quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Informe da diretoria da ADUENF sobre agendamento de reunião na SEPLAG


A diretoria da ADUENF vem a público informar que foi agendada nova reunião com o secretário de Planejamento e Gestão (SEPLAG) Sr. Sergio Ruy Barbosa Guerra Martins e com o secretário de Ciência e Tecnologia (SECT) Sr. Luiz Edmundo Costa Leite

Esta nova reunião deverá ocorrer no dia 19/12 (próxima quarta-feira) às 17:30 horas nas dependências da SEPLAG.

Nesta reunião, a diretoria da ADUENF deverá reapresentar a principal demanda dos professores da UENF que é a remuneração de 65% referente ao cumprimento do Regime de Dedicação Exclusiva, a qual atinge todos os membros do corpo docente da instituição criada por Darcy Ribeiro.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Presidente da ADUENF envia carta ao governador Sérgio Cabral cobrando resolução do problema da Dedicação Exclusiva



Seguindo o que foi decidido na assembléia dos professores, o presidente da ADUENF, Prof. Raul Palacio, enviou ainda no dia de ontem (11/12) correspondência ao governador do Rio de Janeiro, Sr. Sérgio Cabral Filho, solicitando a criação de mecanismos efetivos de negociação que possam equacionar o problema da remuneração da Dedicação Exclusiva.

O presidente da ADUENF aproveitou ainda para reclamar da postura intransigente do secretário estadual de Planejamento e Gestão, Sr. Sérgio Ruy Pereira, que se negou inclusive a dialogar com a reitoria da UENF. O Prof. Raul deixou claro que este tipo de postura não é apenas inaceitável com a UENF, mas que também é improdutiva no sentido de que não resolve os problemas existentes e ainda acirra os ânimos.

Leia a correspondência abaixo!



terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Nota da diretoria da ADUENF sobre a suspensão da greve e os cuidados na retomada do semestre letivo


A diretoria vem a público para esclarecer os resultados da assembleia. Com uma massiva participação, mais de 120 professores, os associados da ADUENF decidiram, de forma madura, pela continuidade do  movimento em prol da remuneração da Dedicação Exclusiva em estado de greve. Como principal evento esteve a atenção ao pedido dos estudantes de que o calendário acadêmico fosse retomado, em contrapartida à posição intransigente que o governo, através da SEPLAG, apresentou na reunião de ontem. Não é com o simples uso da força que se resolvem os problemas, e sim com inteligência. 

Evidentemente o período da greve afetou o período letivo até final de 2012, motivo pelo a diretoria entende que seria, no mínimo, de bom-senso não aplicar provas até a segunda semana de janeiro, quando todos os estudantes terão voltado e se recuperado das curtas férias de fim de ano. 

No relativo ao calendário será enviada uma carta à Reitoria com o resultado da assembleia para que seja restabelecido e adequado o calendário acadêmico do segundo semestre de 2012, para evitar qualquer tipo de prejuízo aos nossos estudantes de graduação e pós-graduação. 

A diretoria da ADUENF se compromete a trabalhar junto aos estudantes para que o bom-senso prevaleça na retomada do semestre letivo. Certamente a maioria dos professores entenderá o pedido da diretoria para que se evite a aplicação de provas de forma corrida e sem o devido cuidado no oferecimento do conteúdo das diferentes disciplinas. Entretanto sempre existirão alguns casos em que a ADUENF precisará agir. Em outras palavras; estudantes nós estamos juntos na luta pela defesa da UENF, e não há razão para pânico. 

No relativo às outras propostas da assembleia, a diretoria já finalizou a carta que será enviada ao governador do Rio de Janeiro e aos deputados estaduais que estão acompanhando a nossa luta. 

Finalmente, a diretoria iniciará a preparação de uma lista de seminários especiais em que traremos políticos, personalidades e pesquisadores ligados à discussão da situação da universidade brasileira. O fim da greve não significa o fim da luta por melhores salários e melhores condições de ensino dentro da UENF. Quando muito isto representa a adoção de novas estratégias para seguirmos lutando. 

Campos dos Goytacazes, 11 de Dezembro de 2012. 

DIRETORIA DA ADUENF

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

ADUENF convoca nova assembléia para discutir próximos passos da campanha salarial



A diretoria da ADUENF está convocando uma nova assembléia de seus associados para discutir os próximos passos da campanha salarial dos professores cujo pronto principal é a remuneração do Regime de Dedicação Exclusiva.

Nesta assembléia o presidente da ADUENF apresentará os resultados dos encontros que manteve nesta 2a. feira (10/12) com o secretário de Planejamento e Gestão, Sr. Sérgio Ruy, com lideranças da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro. 

O presidente da ADUENF também dará informes do encontro que teve na ALERJ com os secretários Régis Fitchner (Casa Civil) e Wilson Carlos (Governo) logo após o encontro na SEPLAG.  Neste encontro que foi viabilizado pelo deputado André Lazaroni, lider do PDMB na ALERJ, o Prof. Raul Palacio aproveitou para solicitar a mediação destes secretários e para mostrar seu descontentamento com a posição do secretário da SEPLAG que, apesar de manter a reunião, se omitiu de apresentar uma resposta das demandas salariais dos professores por causa do movimento de greve.

Esta assembléia ocorrerá a partir das 10:00 horas desta 3a. feira (11/12) na quadra de esportes do Prédio E-1.

domingo, 9 de dezembro de 2012

ADUENF convoca para vigília no acampamento dos estudantes




A ADUENF convoca os professores da UENF e todos os que estão solidários com a sua luta em prol da remuneração do Regime de Dedicação Exclusiva para que compareçam nesta segunda-feira (10/12), a partir das 10:30, ao acampamento organizado pelo Diretório Central dos Estudantes da UENF ao lado da quadra de esportes do Centro de Ciências do Homem.

Esse comparecimento permitirá que alunos e professores estejam juntos no horário da reunião chamada pelo governo do Rio de Janeiro para apresentar a sua proposta de remuneração da Dedicação Exclusiva na UENF.

Essa vigília também significa um reconhecimento da ADUENF à solidariedade ativa dos estudantes à nossa luta por melhores salários. Este apoio é especialmente importante na medida em que mesmo se opondo à greve dos professores, os estudantes da UENF , liderados pelo DCE-UENF, estão mostrando que entendem bem quem é o verdadeiro responsável por este processo que altera a normalidade do funcionamento da nossa instituição. E este culpa tem nome e endereço: governador Sérgio Cabral, Avenida Pinheiro Machado S/N, Palácio Guanabara, Rio de Janeiro, RJ.

A hora de lutar por nossos direitos é essa! Participe da vigília e apoie a luta da ADUENF!

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Presidente da ADUENF será entrevistado hoje na Rede Record



O presidente da ADUENF, Raul Palacio, será entrevistado nesta 6a. feira na versão local da Rede Record, onde deverá falar da situação da greve que foi decretada a partir da segunda-feira passada (04/12).  Esta entrevista visa esclarecer mais uma vez os motivos do movimento.

A versão local do jornal noturno da Record começa a ser veiculado a partir das 19:15. 


Alunos e professores da Uenf se manifestam em aula pública no Centro



Por Daniela Abreu

Fotos: Carlos Grevi


Professores querem espaço para dialogar questões com o governo

Alunos e professores da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) participaram de uma aula pública na manhã desta sexta-feira (07/12), marcando o terceiro dia de paralisação por tempo indeterminado, iniciada nesta terça-feira (04/12). Os professores reivindicam, dentre outros fatores, a equiparação salarial com os profissionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), que é de 75%.

De acordo com o professor Marcos Pedlowski, toda greve tem seus prós e contras e contar com o apoio dos alunos é de fundamental importância para a legitimação do ato.

“Esta última paralisação é extremamente interessante por que apesar dos alunos serem contra a greve, eles vêm nos apoiando na luta contra o Governo. Por que num primeiro momento o governo tinha o argumento de que os alunos estavam sendo prejudicados e os alunos estão fechando a BR- 101 e não estão aqui simplesmente para falar que eles não querem greve, estão aqui para dizer que são contra a política de destruição que o governo do estado vem fazendo na Uenf.”


O professor ressaltou a indignação do corpo docente da universidade, que não encontra diálogo com o executivo do Estado, após greves, paralisações e audiências na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Marcos acredita que algumas questões a dedicação exclusiva e a obrigação do pesquisador captar recurso para financiamento para aulas de graduação deveriam ter diálogo aberto entre a instituição e as secretarias de fazenda, casa civil e planejamento.

“A gente vê que é um problema de enfrentamento talvez num plano maior, de projeto. Para que servem as universidades estaduais. Nós achamos que servem para o desenvolvimento, para a gente se libertar da dependência dos royalties. Para muitos jovens essa é uma condição de ensino de qualidade. Nós precisamos saber o que o governo quer. Nós sabemos o que queremos”, finalizou o professor.

ENVELHECIMENTO DO CORPO DOCENTE


Marcos Pedlowski explicou que a defasagem salarial, no comparativo com o professor federal recém convocado pode retirar o atrativo das universidades estaduais, que desta forma contaria apenas com o quadro atual e a incorporação de alunos recém formados. O fato torna-se preocupante quando compromete a renovação do discurso e a troca de experiências.

“O salário inicial da Uenf está R$ 3 mil abaixo da entrada de uma federal então como é que você vai convencer um jovem doutor recém concluiu seu doutorado a vir pra Campos, ganhando três mil reais a menos do que ganharia na cidade do Rio de Janeiro? Isso representa o sucateamento do ensino superior no estado por que aqui nós vamos ter um processo de envelhecimento em entradas novas, ou a gente só vai depender de quem está na universidade.”

O presidente da Associação dos Docentes da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Aduenf), Professor Raul Ernesto Palacio exaltou a participação dos alunos, mas acredita que para preservar o bom relacionamento e entendimento entre as partes há que se pensar numa nova forma de instigar o estado para o debate.



FONTE: http://www.ururau.com.br/cidades24817

Aula pública e manifestação agitam o centro de Campos



Na manhã desta 6a. feira uma aula pública reunindo professores, estudantes e populares animou o início da manhã. As exposições feitas por professores e um indígena da etnia Pataxó atrair a atenção da população que passava pelo Boulevard Francisco de Paula Carneiro, que é o coração político da cidade de Campos dos Goytacazes.

Uma menção específica foi feita para lembrar as origens do projeto de criação da UENF, que nasceu de uma emenda popular impulsionada pela população de Campos, e o recente falecimento de Oscar Niemeyer que idealizou o projeto arquitetônico do campus da UENF.

Após as exposições, os membros da comunidade da UENF realizaram uma passeata pelas ruas centrais do centro de Campos demandando mais verbas para a UENF e a remuneração da Dedicação Exclusiva dos professores.

Essas atividades ocorrem em meio à greve dos profesosres, justamente num momento em que o Ministério da Educação divulga a informação que a UENF alcançou os melhores resultados entre as universidades sediadas do Rio de Janeiro e o posto de 11a. universidade melhor colocado no Índice Geral de Cursos que avalia todas as instituições de ensino brasileiras.




quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Aula Pública da UENF no Calçadão de Campos


A UENF se encontra novamente em greve por causa da intransigência do governo do estado do Rio de Janeiro que teima em desconhecer as justas demandas da comunidade universitária da instituição.

Nesta sexta-feira, a partir das 08:30 da manhã, professores e estudantes da UENF irão ministrar uma aula pública para interagir diretamente com a população da cidade de Campos que tem sido sempre uma grande aliada. A idéia é compartilhar com a população campista um pouco daquilo que ocorre dentro das salas de aula da UENF nos campi de Campos e Macaé.

Para facilitar colocamos uma imagem abaixo para mostrar o ponto do centro de Campos onde a comunidade da UENF vai se reunir para esta aula pública.


Presidente da ADUENF dará entrevista hoje no Programa Folha no Ar



Hoje a partir das 16:00 horas o Presidente da ADUENF, Prof. Raul Palacio, será entrevistado no Programa  Folha no Ar que é retransmitido pela Plena TV, Canal 20 da ViaCabo. 

O Prof. Raul deverá dar informações sobre os últimos desdobramentos das negociações com o governo do Rio de Janeiro no que se refere à greve atualmente em curso na Universidade Estadual do Norte Fluminense.


quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Oscar Niemeyer falece e deixa a UENF como um dos seus grandes legados ao povo do Rio de Janeiro



Faleceu na noite desta 4a. feira (05/12), o arquiteto Oscar Niemeyer cuja obra extensa está espalhada por diferentes partes do mundo.  No caso da UENF, Oscar Niemeyer teve um papel fundamental na consolidação da visão de seu companheiro de longa, o antropólogo e idealizador do projeto institucional, Darcy Ribeiro.



A figura de Niemeyer estará sempre ligada à UENF não apenas por causa do seu projeto arquitetônico, mas pelo entusiasmo com que abraçou o projeto e o acompanhou ao longo dos seus 19 anos de existência, mesmo à distância.

Especialmente num momento em que atravessamos um turbulento processo de negociação com o governo do estado do Rio de Janeiro, a ADUENF declara seu compromisso público de procurou seguir sua trajetória política buscando consolidar os aspectos visionários que guiaram Darcy Ribeiro e Oscar Niemeyer no processo de construção da UENF.

Oscar Niemeyer, presente!


Assembleia : Uenf em greve por tempo indeterminado





Em assembleia na quadra do Centro de Ciências do Homem (CCH), os professores da Universidade Estadual de Norte Fluminense (Uenf) resolveram fazer uma greve por tempo indeterminado, na ocasião eles traçaram um cronograma de ações para mobilizar o governo. Os docentes iniciaram uma paralisação por tempo indeterminado desde a segunda- feira e assim vão continuar. Ontem à tarde, representantes da Associação de Docentes da Uenf (Aduenf) junto com um grupo de alunos, se reuniram na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) a fim de conseguir ajuda nas negociações com a Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia (SECT) e com a Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão (Seplag).

De acordo com o presidente da Aduenf, Raul Ernesto Palacio, a paralisação aconteceu, pois o governo estadual não se manifestou até o último dia 30. “Nosso acordo era que se o Estado não começasse a negociar, iríamos parar de novo. E assim fizemos. Na Alerj, conseguimos conversar com 12 deputados para ajudar nas negociações”, disse. Dentre as principais reivindicações estão o pedido de pagamento da dedicação exclusiva e autonomia financeira das universidades, além do aumento de 65% acima do salário base dos profissionais.

Na próxima quinta-feira (6), está previsto um ato na Praça São Salvador, às 9h da manhã. Na sexta-feira os docentes voltam a se reunir com a comunidade acadêmica e na segunda-feira (10), uma nova reunião vai acontecer na Secretaria de Planejamento e Gestão, no Rio de Janeiro. Na terça-feira (11), os professores vão realizar uma nova assembleia.

Em nota, a assessoria da SECT confirmou essa reunião do dia 10/12 para que seja apresentada a análise do Governo do Estado sobre as reivindicações.

Em agosto deste ano, a Uenf entrou em greve e ficou parada por 78 dias. Os docentes retornaram ao trabalho há um mês, depois do Governo do Estado firmar um acordo com a instituição, o que ainda não aconteceu. Na última quarta-feira, cerca de 100 alunos da Uenf fecharam parcialmente a rodovia BR 101, próximo ao Shopping Estrada, em solidariedade as reivindicações dos professores. A manifestação começou por volta das 16h e terminou às 17h30. De cinco em cinco minutos, os manifestantes fechavam um lado da pista.

Decisões da Assembléia da ADUENF




1. Manutenção da greve por tempo indeterminado até a próxima assembléia que deverá ocorrer na próxima 3a. feira (11/12).

2. Assembléia comunitária (estudantes, professores e servidores) amanhã, 5a, feira, 06/12 a partir das 10:00 horas na quadra do CCH.


3. Aula pública na Praça São Salvador, 6a. feira, 07,12, a partir das 08:00 horas da manhã.

4. SUSPENSÃO DE TODAS AS PROVAS ATÉ A 4a. FEIRA DA PRÓXIMA SEMANA (12/12).

A assembléia decidiu pela formação de um comando de greve, que se reunirá amanhã (06/12) a partir das 09:00 na sala da ADUENF. Qualquer tentativa de aplicação de aula e/ou provas deverá ser imediatamente comunicada na ADUENF. O ramal da ADUENF é 9-7260 e o e-mail é aduenf@uenf.br.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Professores da UENF em Campos realizam manifestação no Rio


Cerca de 100 pessoas vão participar do ato em frente a Alerj.
Eles reivindicam 65% de gratificação referentes a dedicação exclusiva.

do G1 Norte Fluminense

















Os professores da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) em Campos dos Goytacazes, RJ, anunciaram que vão paralisar as atividades nesta terça-feira (4). Apoiados pelos alunos, os cerca de 300 profissionais reivindicam 65% de gratificação, pagos sobre a dedicação exclusiva. A prática já existe em outras universidades do estado.

Cerca de 100 pessoas, entre professores e alunos, vão participar do ato em frente a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Dois ônibus saíram da UENF na manhã desta terça em direção à capital. A intenção é pressionar os deputados para que tentem uma negociação com o governo de estado. Ao todo, cinco mil alunos vão ficar sem aulas. Por isso, alguns vão participar do ato, pois querem que a negociação aconteça e que não haja greve.

Entre agosto e outubro desse ano os professores da universidade paralisaram as atividades por cerca de 70 dias. Eles voltaram a trabalhar para começar as negociações, o que não aconteceu. Na quarta-feira (5), haverá uma nova assembléia do sindicato da categoria para saber se começam ou não uma nova greve.

Já no Youtube a visita dos estudantes e professores à ALERJ



A atividade realizada hoje por estudantes e professores à ALERJ já está disponível no youtube. Veja abaixo!



Informe da Diretoria da Aduenf: governo marca próxima rodada de negociações


A diretoria da ADUENF informa à comunidade universitária da UENF e à população em geral que está agendada uma reunião para a próxima segunda-feira (10/12) com o secretário estadual de Planejamento e Gestão, Sr. Sergio Ruy Barbosa Guerra Martins,   e com o secretário  estadual de Ciência e Tecnologia, Sr. Luiz Edmundo Costa Leite.

A diretoria da ADUENF espera que esta reunião sirva para que se realize uma efetiva rodada de negociações em torno da remuneração do Regime de Dedicação Exclusiva que é cumprido por todos os professores da UENF. Afinal só assim poderemos retornar a um clima de normalidade que nos permita continuar realizando nosso trabalho em prol do desenvolvimento regional da região Norte Fluminense.

Manifestantes da UENF serão recebidos por comissão de deputados na ALERJ


Ainda em trânsito, os membros da caravana da UENF foram informados que uma comissão de deputados deverá recebê-los no anfiteatro existente no prédio anexo da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro. A comunicação foi feita ao presidente da ADUENF, Prof. Raul Palacio pela deputada Janira Rocha (PSOL).

Esta recepção por uma comissão de deputados é um sinal claro de que o processo em mobilização em curso na UENF está tendo repercussões dentro da ALERJ, o que deverá ter consequências diretas no processo de negociação com as secretaria de Ciência e Tecnologia e Planejamento e Gestão, onde a questão da remuneração da Dedicação Exclusiva está sendo tratada.


Caravana de estudantes e professores da UENF já está a caminho da ALERJ



Na manhã desta 4a. feira enquanto o campus da UENF em Campos dos Goytacazes está funcionando com atividades essenciais, uma caravana composto por cerca quase cem estudantes e professores partiu para a cidade do Rio de Janeiro. 

A intenção dos participantes da caravana é ir até a Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro para pedir a intervenção de lideranças partidárias no sentido de pressionar o governo do estado para que atenda a principal reivindicação dos professores da UENF que é a remuneração do Regime de Dedicação Exclusiva.

Essa demonstração de unidades entre estudantes e professores é uma prova que as tentativas de cansar a comunidade universitária não deram certo. Assim o que se espera é que este movimento consiga agilizar o processo de negociação com o governo Sérgio Cabral.