Ururau notícia crise financeira na UENF

Uenf "agoniza" e busca soluções para enfrentar crise após corte

Carlos Grevi
Falta de recursos afetou diretamente os pagamentos de contas essenciais e das bolsas universitárias

A situação da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) Darcy Ribeiro, em Campos, está cada dia pior. Considerada a 11ª melhor do Brasil e a primeira do Estado do Rio e pelo Ministério Estadual da Educação (MEC) a segunda melhor estadual do país, a instituição “agoniza” com a falta de recursos, que afetou diretamente os pagamentos de contas essenciais, como água e luz, de bolsas universitárias, entre outros segmentos.

A preocupação do presidente da Associação de Docentes da Uenf (Aduenf), Luis Passoni, é que a universidade não tenha mais condições de funcionar. “Estamos preocupados. Semana que vem (esta semana) vou ao Rio iniciar contatos com governantes para pedir uma ajuda. Estamos sem telefone por causa do atraso no pagamento. Se cortarem a água e a luz, a Uenf fecha as portas”, afirmou.


Outro problema, segundo Passoni, é que as bolsas estudantis de todas as modalidades estão em atraso há dois meses. “Isso prejudica diretamente a manutenção dos estudantes na universidade e os projetos estão paralisados. Os novos terão que ser indefinidamente adiados. Nenhum estudo de extensão está sendo pago. Os alunos carentes e os cotistas encontram dificuldades se as bolsas forem pagas com atraso”, comentou.

O corte de R$ 19 milhões do orçamento da instituição pelo governo estadual — de R$ 172 milhões para R$ 153 milhões este ano — afetou os pagamentos de contas de energia, água, telefone, segurança e limpeza terceirizada, além do repasse dos recursos para o restaurante universitário e a contratação de professores auxiliares.


Em nota, o reitor da Uenf, Silvério de Paiva Freitas, explicou que as bolsas em atraso são pagas com a chamada “verba descentralizada da Faperj”, concedida a todas as universidades estaduais para que possam conceder bolsas para atuar em projetos vinculados à universidade. Segundo a nota, a reitoria tem tentado uma solução junto às secretarias estaduais e à Faperj para solucionar o problema.

“Todos os procedimentos do pagamento de janeiro deste ano foram concluídos no tempo correto e, desde o dia 09 de fevereiro, encontram-se à disposição da Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz), aguardando a sua execução. Do mesmo modo, todos os procedimentos referentes ao mês de fevereiro de 2015 foram concluídos na última terça-feira, restando a liberação financeira pela Sefaz”, informou. A Secretaria informou que os pagamentos à Faperj estão sendo negociados junto à instituição. “Não há um prazo a ser informado, está em negociação permanente”, informou a assessoria.

Em outra nota, a Reitoria informou que "foram executadas nesta segunda-feira (09/03) as PDs (Programações de Desembolso) referentes às bolsas dos alunos cotistas (auxílio-cota). Para as demais bolsas a Reitoria vem se empenhando para obter a cota financeira e assim regularizar os pagamentos.

Quanto ao pagamento das contas, a Reitoria informou que os telefones já foram religados e as demais contas com concessionárias estão sendo regularizadas".

Postagens mais visitadas deste blog

Professores da UENF decretam greve por tempo indeterminado

Presidente da Assembleia de Deus Central de Campos dos Goytacazes faz apelo em defesa da UENF

Servidores, aposentados e pensionistas sem salários realizam protesto no Fórum do Rio de Janeiro