quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Comunidade universitária faz manifestação em defesa da Uenf na Alerj

Os deputados estaduais que estão presentes na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) para a reabertura dos trabalhos parlamentares estão sendo presenteados com uma vigorosa manifestação por parte de uma caravana composto por membros de todos os segmentos que formam a comunidade universitária da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf).

O motivo dessa manifestação que ocorreu inicialmente nas escadarias do Palácio Tiradentes, sede do parlamento estadual, e depois nas galerias de onde se acompanha a sessão desta 5a. feira, é pressionar pelo envio das verbas de custeio que permitirão a Uenf continuar funcionando. 

É que depois de quase um ano sem envio de qualquer recurso para custear a manutenção básica, a Uenf se encontra sob a ameaça real de fechar.  Por isso a manifestação de hoje e que terá novos desdobramentos caso o governo do Rio de Janeiro continue esse processo de sucateamento da Uenf e das demais universidades estaduais.

Abaixo imagens das manifestações sendo realizadas pela comunidade da Uenf na Alerj.








Caravana "SOS UENF" parte para realizar ato público na Alerj

Apesar das fortes chuvas que ocorrem na cidade de Campos dos Goytacazes na manhã desta 5a .feira (01/09), uma caravana formada por cinco ônibus lotados com membros dos três segmentos da comunidade universitária da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) partiu para a cidade do Rio de Janeiro onde será realizado um ato público na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Esta ação visa criar um ambiente favorável para que a Alerj demande do governo do Rio de Janeiro, especificamente da Secretaria Estadual de Fazenda, o desembolso dos recursos necessários para manter a Uenf em funcionamento. 

A realização desta caravana é uma demonstração de coesão interna e de disposição para impedir o fechamento da Uenf que está há quase 1 ano sem receber verbas para pagar conessionárias de serviços públicos, empresas terceirizadas e fornecedores de insumos para ensino e pesquisa.

É importante lembrar que,  por motivo dessa mobilização, as aulas de graduação e pós-graduação estarão suspensas na Uenf ao longo desta 5a. feira.

Abaixo imagens que mostram o momento da partida da caravana "SOS UENF"

 


quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Comunidade universitária vai ao Rio de Janeiro fazer defesa da Uenf

Após realizar um abraço coletivo simbólico da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), a comunidade universitária irá nesta 5a. feira (01/09) até o Palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, para demandar o imediato das verbas necessárias para manter a instituição funcionando.

Até o momento já foi garantida a ida de 5 ônibus totalmente lotados com professores, servidores e estudantes da Uenf que vão se manifestar nas escadarias e nas galerias internas da sede da Alerj contra o completo descaso a que a universidade vem sendo submetida pelo governo do Rio de Janeiro.

A imagem abaixo reproduz o convite que foi circulado nas redes sociais para obter adesão a mais esta atividade de luta em defesa da Uenf.


Nesta quinta-feira, os deputados que estiverem presentes na primeira sessão pós-recesso parlamentar vão poder testemunhar a disposição de luta da comunidade uenfiana!

Unidos somos mais fortes!

COMANDO DE GREVE DA ADUENF

Jornal Terceira Via faz matéria sobre o abraço coletivo na Uenf


Alunos professores e servidores "abraçam" Uenf

Ato reuniu dezenas de manifestantes que formaram as palavras SOS de mãos dadas



Dezenas de alunos, professores e funcionários da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (Uenf) deram um abraço coletivo na instituição como forma de protesto contra a difícil situação financeira da universidade. O ato aconteceu no início da tarde desta quarta-feira (31) e foi próximo do Centro de convenções Oscar Niemeyer.

“Estamos para completar um ano sem qualquer verba de custeio da universidade. As dívidas com os fornecedores já chegam a mais de R$ 20 milhões e a universidade não tem mais como funcionar sem que o Governo do Estado nos repasse as verbas que já foram aprovadas pela Alerj. Então estamos nos unificando e realizando várias atividades. A suposta normalidade que a gente alcançou com a volta das aulas não se sustenta por muito tempo sem a gente pagar quem a Uenf deve e isso é uma questão urgente”, afirmou o professor Marcos Pedlowski.

Ainda segundo Pedlowski, um dos organizadores do movimento, nesta quinta-feira (1º) cinco ônibus sairão da instituição para uma manifestação na Alerj.  “Este ato é a preparação de nossa ida à Alerj, que vai acontecer amanhã. Vamos com cinco ônibus fazer um ato na abertura dos trabalhos da Assembleia Legislativa. Também estamos usando esta manifestação para produzir materiais que vamos distribuir através do nosso canal para aumentar a sensibilização da comunidade externa sobre a situação que vivemos na Uenf neste momento”, concluiu.

Ato na Secretaria Estadual de Fazenda - Cerca de 50 estudantes da Uenf impediram o funcionamento da Secretaria Estadual de Fazenda na manhã desta terça-feira (30). Segundo o presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da universidade, Gilberto Gomes, o ato é para chamar a atenção da população diante da grave situação que a instituição atravessa.

Reitor fala em suspensão de atividadesNo último dia 10, o reitor da Uenf, Luis Passoni, conversou com a reportagem do Terceira Via sobre o risco de fechamento da instituição. “Desde outubro do ano passado não recebemos nenhum recurso para a manutenção da universidade e a situação vem piorando. Estamos com recursos escassos para empresas terceirizadas e também não temos mais o fornecimento de alguns insumos básicos como material de escritório, alguns gases especiais que são utilizados, ração para os animais do ensino. A gente não tem nada, estamos trazendo as coisas de casa. Se a gente não tiver como garantir o mínimo de condições de higiene e segurança dentro do campus, nós vamos ser obrigados a suspender as atividades”, afirmou Passoni.

FONTE: http://www.jornalterceiravia.com.br/noticias/campos_dos_goytacazes/89927/alunos-professores-e-servidores-abracam-uenf

SOS Uenf: comunidade universitária faz abraço para denunciar descaso

O início desta 4a. feira (31/08) foi marcado por um ato político que reuniu membros de todos os segmentos que compõe a comunidade universitária da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) no campus Leonel Brizola em Campos dos Goytacazes (RJ).

Este ato consistiu de um abraço simbólico no prédio do Centro de Convenções da Uenf (conhecido popularmente como "Apitão"). Durante este ato foi  feita a tomada de imagens com os participantes formando o sinal de "SOS" para simbolizar a situação de completa precariedade em que a universidade se encontra após 10 meses sem receber verbas de custeio. 

Esta atividade também foi uma forma de preparação para a caravana em defesa da Uenf que deverá ir à cidade do Rio de Janeiro para a realização de um ato nas escadarias do Palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa. 

Abaixo seguem alguns imagens do abraço à Uenf.





terça-feira, 30 de agosto de 2016

DCE/UENF organiza "trancaço" na SEFAZ para protestar contra falta de repasse de verbas

Estudantes liderados pelo Diretório Central dos Estudantes da Universidade Estadual do Norte Fluminense (DCE/UENF) realizaram na tarde desta 3a. feira (30/08) um protesto na sede da Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz) em Campos dos Goytacazes. 

A razão primária do protesto foi demandar a imediata transferência das verbas necessárias para manter a Uenf em funcionamento, já que há 10 meses a Sefaz deixou os recursos que foram aprovados pela Assembleia Legislativa, deixando a universidade à beira do colapso.

A ADUENF saúda a iniciativa do movimento estudantil por entender que este ato se insere no esforço de toda a comunidade universitária no sentido de impedir o colapso das atividades acadêmicas realizadas pela Uenf. E com certeza, unidos seremos ainda mais fortes!

Abaixo imagens deste importante ato de defesa da Uenf.





segunda-feira, 29 de agosto de 2016

ADUENF promove abraço simbólico para fortalecer a defesa da Uenf


A Associação de Docentes da Uenf (ADUENF) irá realizar um abraço simbólico do campus Leonel Brizola na próxima 4a.feira (31/08), com o ponto inicial de concentração sendo o gramado localizado em frente do Centro de Convenções da Uenf.  O horário de início da atividade será 13:00 h.

Essa atividade faz parte de um conjunto de atividades que serão realizadas para pressionar o governo do Rio de Janeiro a realizar o desembolso dos recursos necessários para manter a Uenf em funcionamento.

Durante o abraço será confeccionado um vídeo de divulgação da luta em defesa da Uenf e que utilizará tomadas aéreas obtidas por um drone equipado com uma câmera.

A ADUENF convida a toda a comunidade universitária da Uenf para que participem deste abraço. O convite é extensivo à toda a população do Norte Fluminense.

Venha abraçar a Uenf!

COMANDO DE GREVE DA ADUENF

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Folha da Manhã faz matéria sobre assembleia da ADUENF


Professores da Uenf decidem manter estado de greve



Por Marcus Pinheiro. Foto: Marcos Gonçalves

Professores da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (Uenf) decidiram manter o estado de greve - instituído pela categoria no último dia 9 - até o próximo dia 1 de setembro, quando uma nova reunião determinará os próximos passos a serem adotados pela categoria. A decisão foi tomada pela maioria dos docentes presentes em uma assembleia realizada na sede da Associação de Docentes da Uenf (Aduenf), na tarde desta terça-feira (23), um dia após as aulas referentes ao primeiro semestre letivo terem sido iniciadas, depois de quatro meses de paralisação dos professores.

Após votação, ficou acordado a permanência do estado de greve e a realização de um ato conjunto entre docentes, discentes e técnicos, programado para o próximo dia 30, no entorno do Centro de Convenções, chamado por muitos de "Apito", e será feito por meio de um abraço coletivo à construção. Representantes da universidade participarão de uma reunião prevista para acontecer no próximo dia 31, na sede da Secretaria de Fazenda do Estado do Rio de Janeiro (Sefaz), com o intuito de pressionar os líderes do governo estadual para que as demandas da classe sejam atendidas.

De acordo com a presidente da Aduenf, Maria Angélica da Costa Pereira, a intenção dessa reunião é sensibilizar os governantes e conquistar soluções para as causas da universidade.

Além disto, também ficou acordado que um documento produzido pelo Centro de Ciências do Homem (CCH-Uenf), relatando todo o histórico de dificuldades enfrentadas nos últimos anos pela entidade, será assinado por toda a comunidade interna do campus, a nível de conhecimento e esclarecimento popular.

Dentre as principais preocupações em relação ao retorno dos alunos, está o efetivo reduzido dos profissionais responsáveis pela segurança no interior da universidade e, em especial, no período noturno. Segundo os docentes, não existem garantias de proteção com apenas 30% do expediente em exercício.

– Retornar nas condições que nós temos é irresponsável, principalmente, de noite. Eu quero saber quem vai se responsabilizar pela primeira morte que vier a ocorrer aqui dentro. Além disso, não temos reagentes nos laboratórios, não temos rações para os animais e não temos papel para fazer prova. Muita gente está sem tintas nas impressoras. A realidade é caótica – apontou o professor Marcos Pedlowski.

FONTE: http://www.fmanha.com.br/geral/professores-da-uenf-decidem-manter-estado-de-greve

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Assembleia dos professores estabelece novos passos da luta em defesa da Uenf



Reunidos em assembleia nesta 3a. feira (23/08), os professores da Universidade Estadual do Norte Fluminense analisaram a difícil situação em que a instituição se encontra em face do descaso por parte do governo do Rio de Janeiro.

Após uma fase de debate onde foram tratados os diversos aspectos envolvendo a situação na Uenf, os professores adotaram diversas decisões que visam impulsionar a luta pelo correto financiamento da instituição que hoje acumula cerca de R$ 20 milhões de dívidas com concessionárias de serviços, empresas terceirizadas e fornecedores de insumos.

Abaixo segue a lista de decisões:


1. Continuidade do "estado de greve" até o dia 01/09. Neste dia será realizada uma nova assembleia para discutirmos a situação da Uenf e analisar um possível retorno à greve.

2. Reenvio de um ofício à Reitoria questionando sobre a situação da segurança no interior do Campus Leonel Brizola. 

3. Ida ao Rio de Janeiro no dia 31/08 com ou sem reunião agendada com o Deputado Edson Albertassi, líder do governo na Assembleia Legislativa, com o máximo de membros da comunidade universitária da Uenf. 

4. Ato em defesa da Uenf: abraço ao prédio do Centro de Convenções da Uenf, provavelmente no dia 30/08. Neste dia também teremos a assinatura simbólica dos estudantes, professores e técnicos do documento elaborado por professores do CCH sobre a Uenf. Este documento será encaminhado para autoridades e imprensa.

5. Envio de mensagens eletônicas a todos deputados estaduais para pressionar o Governo para a confirmação da reunião no dia 31/08.


Campos dos Goytacazes, 23 de Agosto de 2016.

COMANDO DE GREVE DA ADUENF

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Carta aberta à população denunciando a situação da UENF é notícia no O GLOBO

Um dia após ser divulgada, a carta aberta população que foi preparada pela ADUENF, para conclamar o apoio da população na defesa da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), foi tema de uma matéria assinada pela jornalista Dayana Resende para o jornal  O GLOBO (ver reprodução abaixo).


Em sua resposta, no costumeiro tom lacônico, a Secretaria de Fazenda (Sefaz) informou que já teria repassou 30% do orçamento da Uenf nos primeiros seis meses do ano (quando deveria ter liberado 50%). Entretanto, a Sefaz convenientemente omitiu que praticamente a totalidade desse repasse se deu para o pagamento de salários de professores e servidores e de bolsas acadêmicas. 

Enquanto isso, a Uenf continua sem receber as verbas necessárias para garantir o pagamento dos salários de terceirizados e das contas de água, luz e telefone. E sem o repasse dos recursos represados pela Sefaz, a crise tende a se agravar até o final de 2016.

De toda forma, essa matéria do O GLOBO possibilita que mais pessoas possam ter conhecimento da situação aflitiva em que a Uenf se encontra neste momento. 

terça-feira, 16 de agosto de 2016

ADUENF lança carta à população no dia do aniversário da UENF

No dia em que a Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) celebra 23 anos de existência, a ADUENF lança uma carta à população para explicar a situação crítica em que a universidade foi colocada pelo governo do Rio de Janeiro.

Mas mais do que um reclamo, a carta é um chamado à continuidade da ação em defesa da Uenf que conta com um robusto apoio da população que é beneficiada pelas atividades de ensino, pesquisa e extensão que a instituição vem oferecendo desde 1993.

A hora é de celebração e de continuidade da luta em defesa da Uenf! 

Abaixo a carta produzida pela ADUENF.


quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Comando de Greve da ADUENF emite comunicado sobre suspensão da greve dos professores



Deliberações da Assembleia geral dos Docentes da ADUENF do dia 09.08.2016

Em Assembleia Geral realizada no dia 09.08.2016, os docentes deliberaram pelo seguinte:


1. SUSPENSÃO DA GREVE até o dia 23.08.2016 e retorno ao estado de greve. Neste período, o líder do Governo na ALERJ, Deputado Edson Albertassi, se comprometeu a elaborar uma proposta para resolver os problemas emergenciais da UENF. Portanto, fica convocada nova assembleia para o dia 23 de agosto, a fim de avaliar a mesma.

2. O retorno das aulas dependendo da apresentação do NOVO CALENDÁRIO ACADÊMICO por parte da Administração. O início das aulas ficou condicionado à garantia por parte da Reitoria de que haverá segurança nos campi da UENF.


3. Atividades a serem desenvolvidas pela ADUENF:

a) Publicar matéria em jornal de grande circulação denunciando o descaso do Governo para com a UENF.

b) Mobilizar da comunidade acadêmica com atos e atividades no aniversario de 23 anos da Instituição na semana do 16 de Agosto.

c) Protocolar denúncia no Ministério Público Estadual sobre a situação dos terceirizados da UENF, que estão trabalhando sem receber.


Campos dos Goytacazes, 10 de Agosto de 2016.

COMANDO DE GREVE DA ADUENF

terça-feira, 26 de julho de 2016

Comando de Greve da Aduenf realiza visitas na Aerj e garante audiência com líder do PMDB

Uma delegação do Comando de Greve da Aduenf vem realizando ao longo desta 3a. feira (26/07) uma série de visitas a vários parlamentares, incluindo os deputados Comte Bittencourt e Bruno Dauaire, na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro para tratar da pauta de reivindicações dos professores que da Uenf que estão em greve desde o mês de Abril.

Um dos primeiros resultados práticos destas visitas foi o agendamento de uma audiência com o lider do PMDB na Alerj, deputado Edson Albertassi, para amanhã (27/07) onde deverão ser discutidos os passos concretos para resolver os problemas que originaram a atual greve. Esta audiência deverá ocorrer a partir das 17:30 h.

O Comando de Greve da ADUENF conclama a que professores que porventura estiverem na cidade do Rio de Janeiro nesta 4a. feira que se dirijam à Alerj para se incorporarem à delegação de professores.

Abaixo imagens das atividades realizadas hoje na Alerj pelo Comando de Greve da Aduenf.



COMANDO DE GREVE 

sexta-feira, 22 de julho de 2016

ADUENF emite de nota de repúdio sobre situação de (in) segurança na Uenf





O comando de greve da ADUENF vem manifestar seu repúdio a falta de segurança na Uenf.

A perseguição policial, como noticiada pela imprensa, estabelecida na noite de ontem (21/07) é um reflexo do abandono da Uenf por parte do Governo do Estado do Rio de Janeiro.

Cobramos da reitoria da Uenf uma investigação interna independente, bem como um posicionamento sobre quais medidas serão adotadas, após o fato ocorrido, para garantir o funcionamento mínimo da universidade com garantias plenas de segurança para a comunidade universitária.



Campos dos Goytacazes, 22 de Julho de 2016.

Comando de Greve da ADUENF

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Assembleia mantém greve dos professores e aprova novas atividades de mobilização


Uma assembleia realizada na tarde desta 5a. feira (21/07) aprovou a manutenção da greve dos professores até o dia 01 de Agosto quando nova reunião avaliará a situação do movimento e os próximos caminhos do movimento docente.

Os professores aprovaram uma série de atividades que deverão ser realizadas até a próxima semana. Entre estas atividades está a ida à cidade do Rio de Janeiro no 26/07 quando haverá uma reunião com representantes do governo estadual e da liderança do PMDB na Assembleia Legislativa.

Além disso, a assembleia decidiu ainda pela realização de atividades de divulgação do movimento ao longo da próxima semana, incluindo a participação na "Ciranda da Villa Maria" que será seguida pela realização de um ato público. Também foram aprovadas outras atividades públicas voltadas para mobilizar todos os segmentos a comunidade universitária  em torno da defesa da Uenf.



quinta-feira, 7 de julho de 2016

Uenf: Sindicatos participam do VIII Confict para fortalecer a greve



Atendendo a uma decisão da última assembleia dos professores, e atuando junto com o Comando de Greve do Sintuperj, a ADUENF está participando do  VIII Congresso Fluminense de Iniciação Científica e Tecnológica (CONFICT) que está ocorrendo no Centro de Convenções da Uenf.


O Comando de Greve da ADUENF preparou um "kit greve" que foi entregue a todos os avaliadores dos mais de 500 trabalhos inscritos por alunos de graduação da Uenf, do IFF e da UFF/Campos dos Goytacazes.   Os "kits greve" contém materiais de esclarecimento e de divulgação as causas da greve que paralisa atualmente a Uenf que está imersa em uma grave crise financeira que impede o pagamento de serviços terceirizados de segurança e limpea, além das contas de luz, água e telefone.

O Comande de Greve está aproveitando ainda para dialogar com os avaliadores externos que vieram de outras instituições de ensino superior para que divulguem a crise causada na Uenf pelo descaso do governo do Rio de Janeiro.

Abaixo algumas imagens do VIII Confict e dos participantes usando camisetas, adesivos e outros materiais de divulgação da greve.








terça-feira, 5 de julho de 2016

Moção aprovada no 25o Congresso Nacional de Pós-Graduandos apoia greve nas estaduais do RJ e de SP e na UFSCar

Apoio aos movimentos grevistas nas universidades estaduais do Rio de Janeiro (UERJ, UENF) e de São Paulo (USP, UNESP, UNICAMP) e na UFSCar.




O processo de precarização das condições de estudo e trabalho nas universidades brasileiras tem se agravado nos últimos meses, pois os cortes de verbas destinadas ao custeio da educação tornaram insustentável a manutenção das atividades de ensino, pesquisa e extensão nas IES públicas. Estes cortes se iniciaram em 2015, quando cerca de 11 bilhões de reais foram retirados do orçamento do MEC e MCT&I, e o projeto de desmanche da educação pública se tornou mais evidente com a recente proposta de desvinculação constitucional do orçamento da educação e saúde, a fusão do MCT&;I com o Ministério das Comunicações. Esses cortes já se fizeram sentir no atraso das bolsas de mestrado e doutorado em janeiro de 2015, e este ano com o atraso do repasse das verbas PROAP aos programas de pós-graduação.

Também faz parte deste projeto os ataques às conquistas históricas dos trabalhadores, como a terceirização de atividades fim – a terceirização de serviços de limpeza e segurança já ser uma realidade em todas as universidades. Nas estaduais paulistas a situação também é grave, a falta de transparência nos gastos e a degradação dos serviços devido a essa mesma terceirização, junto com o programa de incentivo a demissão voluntária e agora uma tentativa de flexibilização do regime de dedicação exclusiva na carreira docente. Além disso, a reitoria da USP não tem admitido mais crianças na creche, evidenciando seu ataque a permanência estudantil principalmente das mães estudantes. Na UNESP houve cortes de bolsa de auxílio, a moradia estudantil está completamente lotada, e das três paulistas, esta é a universidade que mais realizou expansão sem que o repasse do ICMS aumentasse na mesma proporção, que é o mesmo desde 1995.

Situação semelhante acontece com o descaso do governo do Estado do Rio de Janeiro com as universidades estaduais e os recorrentes atrasos no repasse das verbas de custeio, no pagamento dos funcionários terceirizados, parcelamento dos salários dos docentes, atraso e corte das bolsas estudantis. Estes atrasos atingem desde os serviços básicos, como: limpeza, segurança, alimentação e tem comprometido as atividades de ensino, pesquisa e extensão das instituições.

Não aceitaremos o sucateamento das universidades públicas! Educação pública e de qualidade é direito de todas e todos e dever do Estado! Estaremos a postos para garantir a efetivação desse direito.

Assim, mobilizações estudantis, dos trabalhadores da educação e de docentes foram organizadas em diversas universidades e, em assembleias históricas (como a que ocorreu na UFSCar com mais de 2100 presentes) o estado de greve foi deflagrado. Com atos nas próprias universidades, e com a realização de debates constantes estas mobilizações vêm crescendo e contagiando outras IES públicas onde já se faz sentir o peso do projeto de desmonte da educação pública. Para que estes movimentos grevistas se fortaleçam e para que suas pautas sejam vitoriosas, declaramos nosso apoio às mobilizações grevistas na UFSCar, na USP, na UNESP, na UNICAMP, na UERJ, na UENF.


quinta-feira, 30 de junho de 2016

Movimento em defesa da Uenf realiza encontros com parlamentares e entrega abaixo-assinado no Palácio Guanabara

Ontem, 29/06/2016, membros doo Comando de Greve da ADUENF juntamente com membros do SINTUPERJ-UENF e do DCE/UENF  foram recebidos na ALERJ e  no Palácio Guanabara para apresentar  demandas e realizar a entrega do Abaixo-Assinado “EU DEFENDO A UENF” que alcançou mais de 15.000 assinaturas.

Na ALERJ, às 14:00h, fomos recebidos pelo Presidente da Comissão de Educação, Deputado Comte Bittencourt, a quem entregamos  uma copia do abaixo assinado. O deputado se ofereceu a mediar uma audiência junto ao Presidente da ALERJ, Deputado Jorge Picianni,  para fazer entrega pública do abaixo-assinado na Plenária. Informou, ao mesmo tempo, que a Frente Parlamentar da ALERJ em defesa Uenf irá propor na Plenária da ALERJ e junto ao Governador que a universidade seja excluída do corte de 30% do orçamento, além de outorgar autonomia financeira para a instituição.



Fomos também recebidos pelos deputados Eliomar Coelho e Marcelo Freixo a quem também se fez entrega copia do abaixo-assinado. Os dois deputados manifestaram solidariedade com os motivos da greve na UENF e se comprometeram a apoiar no plenário as demandas da comunidade universitária.





Às 16:00h, fomos recebidos em audiência no Palácio Guanabara pelo chefe de Gabinete da Secretaria Estadual de Desenvolvimento, Murilo Leal, onde protocolamos a entrega do abaixo-assinado em defesa da Uenf.






O Comando de Greve da ADUENF aproveita para agradecer toda a generosidade recebida nas ruas da população de Campos dos Goytacazes e de outros municípios do Norte Fluminense. A acolhida do movimento " EU DEFENDO A UENF!" é uma prova concreta de que ao longo de sua história a Uenf construiu uma história de pertencimento social, e que hoje se expressa na sua defesa por toda a população, mas especialmente daqueles que querem garantir a existência de uma universidade pública, gratuita e de qualidade.

COMANDO DE GREVE - ADUENF

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Comando de Greve emite comunicado sobre andamento da luta em defesa da Uenf


O Comando de Greve da ADUENF vem comunicar as seguintes informações sobre o desenvolvimento das atividades de GREVE e outras providências:

1.     Diversos colegas têm relatado para a ADUENF que, embora seus prazos de lei para o Estágio Probatório tenham sido finalizados, a administração não finalizou o respectivo processo. Nesse sentido, a Mesa Diretiva encaminhou um ofício à Reitoria demandando a finalização dos mesmos. Em respeito a isto, solicitamos aos colegas que se encontram nessa situação (ou com qualquer situação similar), que enviem uma mensagem para o e-mail da ADUENF (aduenf.sesduenf@gmail.com), indicando qual o respectivo problema, de forma a tomarmos as providências necessárias.

2.     Como no caso anterior, colegas têm manifestado que, embora com direito a usufruir do adicional de insalubridade ou periculosidade, não estão gozando do mesmo, desde que não estão sendo avaliadas as respectivas solicitações. Pedimos, portanto, aos colegas nessa situação, enviem para e-mail da ADUENF uma mensagem indicando sua situação.

3.     A Direção do Hospital Veterinário agradece a acolhida da Comunidade Universitária à Festa Junina realizada na sexta-feira passada e informa o sucesso da mesma.

4.     O Comando de Greve vem negociando com o presidente da Comissão de Educação da ALERJ e no Palácio Guanabara a entrega do ABAIXO-ASSINADO “EU DEFENDO A UENF”. Na próxima quarta-feira, dia 29 de junho, está marcada uma reunião do Dep. Comte Bittencourt para finalizarmos esta atividade.  A Comissão de educação já entrou em contato conosco para participar de reunião anteriormente agendada, porém desmarcada por duas vezes, com o secretário da fazenda, Julio Bueno.



COMANDO DE GREVE - ADUENF

quarta-feira, 15 de junho de 2016

ADUENF emite nota pública de repúdio ao parcelamento de salários dos servidores, pensionistas



NOTA DE REPÚDIO


Campos dos Goytacazes, 15/06/2016


A ADUENF vem, por meio desta, expressar seu total repúdio ao decreto sancionado pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, que pretende “poupar” R$ 1 bilhão dos gastos do Estado cortando irresponsavelmente 30% das despesas operacionais de todas as secretarias, autarquias e fundações. Dentre estas, estão a Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro e a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação.

A UENF já sofre com cortes e contingenciamentos desde o início de 2015. Diversos setores da Instituição se encontram com as atividades comprometidas ou paralisadas. Recursos necessários para pagamentos de telefonia, água, eletricidade, gases, reagentes químicos, insumos em geral para realização de pesquisa, ensino e extensão, rações para animais, e principalmente serviços terceirizados de segurança, limpeza e transporte estão sendo afetados. Com o corte de 30% das despesas, a comunidade acadêmica se pergunta: “que reduções ainda podem ser implementadas na Instituição, dado que desde outubro de 2015 esta não recebe repasse de verbas de custeio do governo”?

Será que deveremos escolher entre pagar água e luz ou alimentar os animais dos experimentos? Entre pagar o serviço de segurança ou os gases dos laboratórios de pesquisa e a limpeza? Está claro que escolher algumas das alternativas em detrimento das outras destrói o funcionamento da UENF, pois TODAS elas são essenciais.

Vale lembrar que segurança, limpeza e manutenção na UENF são serviços realizados por cooperativas de trabalho que vêm sendo vítimas dos mesmos cortes acima citados. Ou seja, as pessoas que executam tais trabalhos estão com seus salários atrasados há meses, o que é inadmissível.

Docentes, discentes e servidores técnicos da UENF também vivem hoje uma situação de intensa instabilidade quanto ao pagamento de seus salários e bolsas de estudo, que deveriam ser realizados até o décimo dia útil de cada mês. O fato mais grave ocorreu no último dia 14 de junho, quando o salário dos servidores foi parcelado, sem indicação do número de parcelas e de quando estas serão depositadas.

A ADUENF não desconhece que o Estado do Rio de Janeiro passa por dificuldades financeiras, porém o custo para manter o Estado tem recaído nos ombros dos servidores públicos, em particular sobre os ombros dos servidores da UENF.

A incerteza quanto ao pagamento dos salários tem preocupado os professores. O salário é um direito inalienável de todo trabalhador, dele depende sua sobrevivência e a de sua família. Esse direito é estabelecido e protegido pela Constituição Federal que proíbe sua alteração ou redução (Artigo 7º, VI, da Carta Magna). O atraso sistemático e, sobretudo, o parcelamento dos salários são intoleráveis, tanto mais quando se constata que outras categorias do funcionalismo estadual, incluindo os dirigentes do poder executivo, estão recebendo seus proventos de modo integral e em dia. A alegação de que há uma crise econômica não justifica qualquer agressão ao servidor, mas se há de fato uma crise, ela deveria atingir a todos.

Em adição, os professores da UENF trabalham em regime de Dedicação Exclusiva, i.e., não podem ter outro vínculo ou fonte pagadora, e, portanto, dependem desse salário. A ADUENF reitera que o pagamento do salário integral é prioritário.

Esse tratamento indigno, do qual é vítima a UENF, faz parte de uma política de precarização dos serviços públicos. A melhor universidade do Estado do Rio de Janeiro, a 12ª melhor do país, uma das melhores da América Latina, designada por seu fundador, Darcy Ribeiro, como Universidade do Terceiro Milênio, não pode ser tratada de forma tão vil e irresponsável.

A ADUENF reitera seu repúdio total e absoluto a essas medidas e manifesta mais uma vez sua disposição de defender a UENF.


Comando de Greve da ADUENF

terça-feira, 14 de junho de 2016

A unidade na Uenf se consolida na prática: caminhada percorre campus Leonel Brizola para reforçar ações unificadas

O campus Leonel Brizola foi palco nesta manhã de 3a. feira de uma caminhada unificada dos vários segmentos que compõe a comunidade universitária da Uenf. O objetivo desta caminhada foi elevar o grau de participação na greve em curso, bem como na defesa da instituição que se encontra sob grave ataque do governo do Rio de Janeiro.

Abaixo algumas imagens desta caminhada que percorreu todos os prédios da Uenf e que conseguiu mobilizar a comunidade para as atividades que deverão ocorrer ao longo desta semana, e que culminarão com a festa junina em defesa do Hospital Veterinário.

E com esse espírito de unidade seguiremos defendendo a Uenf!