Nota política da diretoria da ADUENF conclama retomada da mobilização


É HORA DE RETOMAR A OFENSIVA!

O tempo urge. Já passamos da metade de setembro e nem sinal de nenhuma mensagem do Governo do Estado à ALERJ, tratando do nosso reajuste salarial.

No começo de agosto solicitamos uma audiência ao Secretário de Ciência e Tecnologia, dia 10 do corrente, terça da semana passada, reiteramos a solicitação, ainda sem uma resposta ou previsão de data. Precisamos nos fazer ouvir e, para tal, será necessário que façamos alguma pressão. A hora de agir é agora, e está em nossas mãos a tarefa de defender o nosso direito por salários dignos.

A Diretoria da ADUENF solicita a todos que atuam ativamente para alcançar o objetivo de recompor nossas perdas salariais, sugerimos duas atividades:

1) Continuar com o abaixo assinado. Já contamos com um número muito expressivo de assinaturas de docentes, precisamos ampliar o número de apoios entre os estudantes e os técnicos. Em anexo segue o modelo do abaixo assinado, que também pode ser solicitado pelo telefone 97270.

2) Chuva de e-mails. Abaixo seguem os endereços eletrônicos dos Secretários de C&T, SEPLAG, Chefe da Casa Civil, Governador, Vice Governador e presidente da ALERJ, solicitamos a todos que enviem mensagens com o texto: 


"Os professores da UENF, que recebem os piores salários entre todas as Universidades do Brasil, e não estão em greve, esperam ansiosamente por reajuste salarial ainda este ano, sem que para isso tenham que fazer greve ou engrossar as manifestações que continuam a tumultuar o Rio de Janeiro."

sergioruy@planejamento.rj.gov.br,regis@casacivil.rj.gov.br, paulomelo@alerj.rj.gov.br, pezao@vicegovernador.rj.gov.br,documentacao@gabgovernador.rj.gov.br, gtutuca@cienciaetecnologia.rj.gov.br

Postagens mais visitadas deste blog

Professores da UENF decretam greve por tempo indeterminado

Presidente da Assembleia de Deus Central de Campos dos Goytacazes faz apelo em defesa da UENF

Servidores, aposentados e pensionistas sem salários realizam protesto no Fórum do Rio de Janeiro