ALERJ aprova orçamento com emenda proposta pela ADUENF, mas governo Cabral não envia mensagem para criação do ADE


O presidente da ADUENF, Prof. Luis Passoni,  está nesta 4a. feira (18/12) na ALERJ em contatos com lideranças parlamentares, e já obteve duas informações importantes para a continuidade da campanha salarial dos professores da UENF.

A primeira é a notícia de que a ALERJ aprovou o orçamento para 2014 com a inclusão da emenda apresentada pela diretoria da ADUENF que garantiu recursos para a concessão do Adicional de Dedicação Exclusiva (ADE) de 65% do vencimento base de todo os professores da UENF.  Este orçamento se encontra agora no Palácio Guanabara para sanção ou veto do governador Sérgio Cabral.

A segunda informação foi obtida pelo Prof. Passoni diretamente do presidente da ALERJ, deputado Paulo Melo (PMDB), que indicou que o governo Cabral não enviou nenhuma mensagem para legalizar a concessão do ADE dos professores da UENF. Neste caso, o presidente da ALERJ declarou sua expectativa de que essa mensagem seja votada em fevereiro ou março de 2014.  

O problema agora será conseguir que o envio da mensagem ocorra já na volta do recesso parlamentar, o que deverá acontecer no final do mês de janeiro. Nesse sentido, o professor Luis Passoni já está realizando os contatos necessários no dia de hoje para que isso de fato ocorra.

De toda maneira, essa situação demonstra a correção das decisões tomadas em assembléia e encaminhadas pela diretoria da ADUENF, pois a emenda aprovada pela ALERJ para a concessão do ADE não implica em qualquer modificação no regime de trabalho que já existe na UENF. 

Lutar pelos nossos direitos e pela manutenção do modelo institucional é o único caminho aceitável! Unidos somos fortes!

DIRETORIA DA ADUENF 
Gestão Autonomia
2013-2015





Postagens mais visitadas deste blog

Professores da UENF decretam greve por tempo indeterminado

Presidente da Assembleia de Deus Central de Campos dos Goytacazes faz apelo em defesa da UENF

Servidores, aposentados e pensionistas sem salários realizam protesto no Fórum do Rio de Janeiro