terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Em visita à ALERJ, ADUENF é ouvida por membros Comissão de Educação sobre a crise salarial na UENF





Nesta 3a. feira (04/02) uma comissão formada pelos professores Luís Passoni, Raúl Palácio e Fernando Luna que representavam a ADUENF ficou nas dependências da ALERJ por mais de 6 horas fazendo contatos com deputados e assessores parlamentares, inclusive do presidente da ALERJ, deputado Paulo Melo.

Após estas conversas todas ficou claro que, ao contrário dos casos da UERJ e da FAETEC, o governo do Rio de Janeiro ainda não enviou nenhuma mensagem de natureza salarial para os servidores da UENF, docentes ou não. 

A delegação da ADUENF aproveitou a ocasião para solicitar aos deputados que fazem parte da Comissão de Educação da ALERJ para que reforcem a cobrança junto aos representantes do governo Cabral para que seja feito o envio de uma mensagem para atender as graves demandas salariais que hoje afligem e ameaçam a sobrevivência da UENF.  A posição expressa por todos os deputados é que esta cobrança será feita de forma urgente.

Os deputados ligados à Comissão de Educação também se comprometeram  a comunicar a ADUENF não apenas da chegada de qualquer mensagem, mas que aguardarão o posicionamento da entidade para redigirem emendas que porventura possam melhorar os termos de uma mensagem que seja, porventura, enviada pelo governo do Rio de Janeiro.

Após esses encontros na ALERJ, a delegação da ADUENF se dirigiu até a Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão (SEPLAG) para cobrar diretamente o envio da mensagem.  Informações adicionais em relação a esta visita poderão ser prestadas a qualquer momento.

De toda forma, a ADUENF continuará tentando cumprir as decisões de suas assembléias que apontam para a necessidade de que haja uma solução para o pagamento do Adicional de Dedicação Exclusiva (ADE) no valor de 65% do salário base de cada docente, sem que seja feita qualquer alteração no regime de trabalho vigente para os professores na UENF.