quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Governo do Rio de Janeiro protela para março solução do problema da Dedicação Exclusiva

Essa posição ignora esforços da ADUENF para manter a normalidade nos trabalhos acadêmicos e aumenta chances de greve na UENF




A matéria abaixo, publicada pelo Jornal Extra, dá conta que o governo do Rio de Janeiro decidiu protelar a solução da falta de remuneração do regime de Dedicação Exclusiva dos professores da UENF para o mês de março, contrariando compromissos assumidos com a diretoria da ADUENF ao longo de 2013.

Além disso, o secretário de Ciência e Tecnologia, Gustavo Tutuca, apenas indica que uma proposta deverá ser enviada, sem citar prazos ou o conteúdo da proposta. O secretário de C&T também sinaliza para a problemática questão da quebra do regime de Dedicação Exclusiva na UENF, uma posição que contraria as posições aprovadas em assembléia da ADUENF.  A posição dos professores de manutenção do modelo de regime de Dedicação Exclusiva vigente desde a fundação da UENF já foi comunicada a diversos níveis de governo e à presidência da ALERJ.

É preciso lembrar que os professores da UENF aprovaram em assembléia um indicativo de greve para ser iniciada no dia 10 de março, caso as suas questões salariais ficassem sem solução até aquela data. 

Assim, é preciso que fique claro que a protelação que está sendo feita pelo governo Sérgio Cabral aumenta exponencialmente as chances de que o primeiro semestre de 2014 não seja iniciado na UENF. 

Esta postura é lamentável, visto que ao longo de 2013 a ADUENF fez múltiplas viagens ao Rio de Janeiro para garantir a aprovação de uma lei que garantisse a remuneração da D.E., de modo a manter a UENF funcionando normalmente.


Servidores estaduais da área de Ciência e Tecnologia terão novos planos de carreira



Djalma Oliveira

Gustavo Tutuca: novos planos à vista Foto: / Divulgação

Depois da aprovação dos planos de cargos da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) e da Uerj, outros mil servidores estaduais da área de Ciência e Tecnologia terão novas estruturas de carreira. Segundo o secretário da pasta, Gustavo Tutuca, será encaminhado para a Alerj, ainda este mês, o projeto de lei do plano de cargos da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), que vai prever progressões por merecimento a cada dois anos e uma gratificação por aquisição de título acadêmico. 

Para março, está prevista uma outra proposta, a fim de mudar as regras da dedicação exclusiva e reajustar o valor da mesma para os professores da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf).

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

ADUENF participa do congresso nacional do ANDES-SN

Participação visa integrar a luta dos docentes da UENF nas ações do seu sindicato nacional dos docentes de ensino superior

Dois delegados enviados pela ADUENF, um deles o prof Luís Passoni, participam nesta semana do 33o. Congresso Nacional do ANDES-SN, sindicato nacional que unifica a luta de todos os docentes de universidades no Brasil que está ocorrendo em São Luís, capital do estado do Maranhão.

Essa participação é vista pelo presidente do ADUENF como ocorrendo num momento fundamental para a luta desenvolvida pelos docentes na UENF que lutam pelo pagamento do Adicional de Dedicação Exclusiva (ADE) e pela manutenção do modelo acadêmico idealizado por Darcy Ribeiro.

Já na primeiro dia de trabalho, os delegados da ADUENF puderem dialogar com membros da direção regional do ANDES acerca da necessidade de apoio para pressionar o governo do Rio de Janeiro e a própria ALERJ para que a situação seja resolvida o mais rápido possível.




quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Visita da ADUENF à ALERJ ainda está produzindo efeitos positivos

Deputados Geraldo Pudim e Janira Rocha dão informes de que o presidente da ALERJ assegurou que a questão salarial dos docentes será tratada ainda em Fevereiro


Ao longo desta 5a. feira (05/02), o presidente da ADUENF, Prof. Luis Passoni, recebeu informes dos dois deputados que o presidente da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro, Paulo Melo, informou que a situação do pagamento do Adicional de Dedicação Exclusiva (ADE) será tratada pela ALERJ ainda no mês de fevereiro.

Segundo o deputado Geraldo Pudim, após a reunião do colegiado de líderes da ALERJ que tratou do Plano de Cargos da FAETEC,  Paulo Melo teria dito que o problema dos professores da UENF será resolvido antes do final deste mês.  Já à deputada Janira Rocha, o presidente da ALERJ teria dito que em 48 horas informará à ADUENF quando o projeto de lei deverá chegar na casa para ser analisado, e qual seria o teor da mensagem a ser enviada pelo governo do estado.

Estas notícias confirmam que a ação persistente da diretoria da ADUENF em defesa dos docentes é reconhecida como a legítima representante dos professores da UENF nas suas demandas por melhores salários.

Agora o que se espera que o governo do Rio de Janeiro faça a sua parte e envie uma mensagem que atenda as demandas que foram legitimamente decididas pelos professores da UENF, as quais não visam apenas a melhoria dos salários, mas também a manutenção do modelo de carreira idealizado por Darcy Ribeiro.

Unidos estamos mostrando que somos realmente fortes!

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Em visita à ALERJ, ADUENF é ouvida por membros Comissão de Educação sobre a crise salarial na UENF





Nesta 3a. feira (04/02) uma comissão formada pelos professores Luís Passoni, Raúl Palácio e Fernando Luna que representavam a ADUENF ficou nas dependências da ALERJ por mais de 6 horas fazendo contatos com deputados e assessores parlamentares, inclusive do presidente da ALERJ, deputado Paulo Melo.

Após estas conversas todas ficou claro que, ao contrário dos casos da UERJ e da FAETEC, o governo do Rio de Janeiro ainda não enviou nenhuma mensagem de natureza salarial para os servidores da UENF, docentes ou não. 

A delegação da ADUENF aproveitou a ocasião para solicitar aos deputados que fazem parte da Comissão de Educação da ALERJ para que reforcem a cobrança junto aos representantes do governo Cabral para que seja feito o envio de uma mensagem para atender as graves demandas salariais que hoje afligem e ameaçam a sobrevivência da UENF.  A posição expressa por todos os deputados é que esta cobrança será feita de forma urgente.

Os deputados ligados à Comissão de Educação também se comprometeram  a comunicar a ADUENF não apenas da chegada de qualquer mensagem, mas que aguardarão o posicionamento da entidade para redigirem emendas que porventura possam melhorar os termos de uma mensagem que seja, porventura, enviada pelo governo do Rio de Janeiro.

Após esses encontros na ALERJ, a delegação da ADUENF se dirigiu até a Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão (SEPLAG) para cobrar diretamente o envio da mensagem.  Informações adicionais em relação a esta visita poderão ser prestadas a qualquer momento.

De toda forma, a ADUENF continuará tentando cumprir as decisões de suas assembléias que apontam para a necessidade de que haja uma solução para o pagamento do Adicional de Dedicação Exclusiva (ADE) no valor de 65% do salário base de cada docente, sem que seja feita qualquer alteração no regime de trabalho vigente para os professores na UENF.