Em assembleia movimentada, professores da UENF adotam pauta de mobilização contra o governo estadual


Em uma assembleia movimentada e representativa, os professores da Uenf decidiram adotar uma série de passos de cunho organizativo para reforçar a luta contra o processo de sucateamento e ataques a direitos trabalhistas que vem sendo imposto pelo governo do Rio de Janeiro a todo o funcionalismo estadual.

Entre as decisões aprovadas está a definição de uma pauta de reivindicações que tem como ponto central a rejeição do "Pacote de Maldades" preparado pelo governador Luiz Fernando Pezão que, entre outras coisas, implicará em perdas salariais reais e congelamento de salários. Outro ponto se refere à demanda de que os salários sejam pagos nas datas praticadas até dezembro de 2015, já que o atual contexto marcado por atrasos mensais causa graves perdas financeiras aos servidores públicos.




A assembleia também decidiu pela aprovação de um fundo de greve de apoio aos estudantes que, por causa do atraso no pagamento de bolsas acadêmicas, se encontram em dificuldades financeiras e passando por graves dificuldades.

A assembleia aprovou ainda uma série de atividades que serão organizadas em conjunto com estudantes e servidores técnico-administrativos que já se encontram em greve para as próximas semanas, começando com uma atividade musical amanhã no campus Leonel Brizola.

Ainda nesta quarta-feira (16/03), os professores irão participar de uma audiência pública na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro que tratará da proposta de redução de 50% do orçamento da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).



Postagens mais visitadas deste blog

Professores da UENF decretam greve por tempo indeterminado

Presidente da Assembleia de Deus Central de Campos dos Goytacazes faz apelo em defesa da UENF

Servidores, aposentados e pensionistas sem salários realizam protesto no Fórum do Rio de Janeiro