quarta-feira, 16 de março de 2016

Em assembleia movimentada, professores da UENF adotam pauta de mobilização contra o governo estadual


Em uma assembleia movimentada e representativa, os professores da Uenf decidiram adotar uma série de passos de cunho organizativo para reforçar a luta contra o processo de sucateamento e ataques a direitos trabalhistas que vem sendo imposto pelo governo do Rio de Janeiro a todo o funcionalismo estadual.

Entre as decisões aprovadas está a definição de uma pauta de reivindicações que tem como ponto central a rejeição do "Pacote de Maldades" preparado pelo governador Luiz Fernando Pezão que, entre outras coisas, implicará em perdas salariais reais e congelamento de salários. Outro ponto se refere à demanda de que os salários sejam pagos nas datas praticadas até dezembro de 2015, já que o atual contexto marcado por atrasos mensais causa graves perdas financeiras aos servidores públicos.




A assembleia também decidiu pela aprovação de um fundo de greve de apoio aos estudantes que, por causa do atraso no pagamento de bolsas acadêmicas, se encontram em dificuldades financeiras e passando por graves dificuldades.

A assembleia aprovou ainda uma série de atividades que serão organizadas em conjunto com estudantes e servidores técnico-administrativos que já se encontram em greve para as próximas semanas, começando com uma atividade musical amanhã no campus Leonel Brizola.

Ainda nesta quarta-feira (16/03), os professores irão participar de uma audiência pública na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro que tratará da proposta de redução de 50% do orçamento da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).