O SILÊNCIO DO GOVERNO CABRAL É REVELADOR

Após uma breve reunião realizada no gabinete do secretário Alexandre Cardoso em 07.12.2010 ficou acordado que em janeiro as negociações para encerrar a greve iniciada em 04.12.2010 seriam retomadas após o recesso do final de ano.
Agora que se chega ao final Janeiro, há que se perguntar porque a SECT e o secretário Alexandre Cardoso mantiveram um silêncio total em relação à retomada das negociações, dado que dois ofícios foram enviados pelo Comando de Greve da ADUENF ao longo do mês solicitando a retomada urgente das negociações.
Ainda que se entenda o caos instalado na máquina estadual pela catástrofe ocorrida na região serrana, o que se espera é que a SECT aja de forma imediata para dar uma solução positiva a uma crise que ameaça destruir o projeto educacional idealizado por Darcy Ribeiro. Aliás, há quem enxergue neste protelamento justamente a vontade explícita de sucatear a UENF e, por extensão, destruir o legado de Darcy Ribeiro.
Mas não há outro caminho senão o da cobrança contínua para que o governo Cabral honre seus compromissos com os servidores da UENF! Afinal de contas, toda a boa vontade demonstrada pelos sindicatos representativos de professores, servidores e estudantes até agora só encontrou um muro de silêncio e indiferença!
A greve continua e continuará até que as negociações sejam retomadas com base na pauta enviada para a SECT no dia 24.11.2010.
A palavra agora está com o governo Cabral!

Postagens mais visitadas deste blog

Professores da UENF decretam greve por tempo indeterminado

Presidente da Assembleia de Deus Central de Campos dos Goytacazes faz apelo em defesa da UENF

Servidores, aposentados e pensionistas sem salários realizam protesto no Fórum do Rio de Janeiro