COMUNICADO DO COMANDO DE GREVE DA ADUENF SOBRE O INCIDENTE EM SÃO JOÃO DA BARRA


Na quarta feira passada (05/09)  um grupo de professores, em cumprimento a uma decisão de assembléia, foi até o centro da cidade de São João da Barra fazer mais uma das nossas panfletagens. Inicialmente fizemos uma carreata até São João e no centro da cidade iniciamos o nosso movimento. Explicamos para a população que o ato tinha como objetivo informar à população da situação dos professores da UENF, explicar os motivos da Greve e o temor de que todo aquele serviço que a universidades presta para jovens da região poderia ter a sua qualidade afetada. Informamos ainda que o salário inicial que o governo do Rio de Janeiro paga aos professores da UENF é o pior do Brasil. Alertamos da possível saída dos professores, os problemas que temos para repor as vagas em aberto e explicamos as nossas reivindicações. Esta primeira etapa durou cerca de 30 minutos onde distribuímos quase todos os panfletos que havíamos levado.

            A população, mais uma vez, acolheu o movimento com interesse e respeito. Várias dúvidas foram esclarecidas e estava tudo indo bem até que, ao relacionar os 10 milhões contingenciados ao governador Sergio Cabral e este à prefeita de São João; quatro pessoas começaram, de forma alterada e agressiva, a se manifestar contra a relação anteriormente colocada. No calor da discussão tentamos explicar que a prefeita nada tinha a ver com UENF, porém, chegaram pessoas ainda mais exaltadas, numa clara tentativa de nos intimidar e nos expulsar de um local público.

O mais triste do caso é que fomos acossados e acusados de trabalhar para um grupo político rival, gritaram que a UENF não pertence a São João e que tínhamos que fazer o nosso protesto em Campos. Em função deste princípio de tumulto, mais pessoas foram chegando, inclusive do grupo que faz oposição à prefeita Carla Machado. Neste momento, decidimos encerrar a atividade para evitar o agravamento da situação. Na saída ainda demos mais duas entrevistas e fomos parados por cidadãos que não concordaram com o comportamento dos elementos agressivos, segundo um morador nos confidenciou “tinham muitos portadores de contra-cheques da PMSJB envolvidos na provocação”.  

O COMANDO DE GREVE DA ADUENF vem a público repudiar o comportamento antidemocrático dos apoiadores da prefeita Carla Machado. Somos cidadãos livres e moramos num país democrático, onde não podemos deixar nos intimidar, acossar ou agredir pessoas que apresentem idéias contrárias aos interesses de um determinado partido. Não temos medo do confronto de ideias e estaremos sempre abertos ao debate. Gostaríamos também de reforçar, que o nosso único partido é a defesa do ensino público, gratuito, democrático e de qualidade. Gostaríamos também de enfatizar, como fizemos hoje na Radio Continental que a UENF é um patrimônio do estado do Rio de Janeiro e não de uma cidade só. Por isso vemos a necessidade de alertar a população de todas as cidades da região dos problemas que apresentamos e que motivaram a greve, TODOS MERECEM POR IGUAL SEREM ESCLARECIDOS E POSSIBILITADOS DE APOIAR O NOSSO MOVIMENTO DE LUTA. Formamos jovens de todas as cidades da região, representamos o futuro para muitas famílias da região, os que não tenham enxergado isso ainda têm que sentar e repensar muito ao respeito.

Finalmente, gostaríamos manifestar o nosso desacordo com a política de incentivar e fomentar a divisão entre duas cidades vizinhas. Filhos de São João da Barra são formados na UENF, a terra de Campos é transportada diariamente para o solo de São João da Barra onde está sendo construído o Complexo Industrial-Portuário do Açu, da mesma forma que pessoas de Campos trabalham e moram em São João da Barra. Fazer um tipo de política chauvinista é, no mínimo, indecente e obsoleta, especialmente porque o Brasil aceita, de forma exemplar, aos que nasceram, em outros países.

COMANDO DE GREVE DA ADUENF

Postagens mais visitadas deste blog

Professores da UENF decretam greve por tempo indeterminado

Presidente da Assembleia de Deus Central de Campos dos Goytacazes faz apelo em defesa da UENF

Servidores, aposentados e pensionistas sem salários realizam protesto no Fórum do Rio de Janeiro