quinta-feira, 30 de agosto de 2012

AGENDA DE ATIVIDADES DO COMANDO DE GREVE DA ADUENF



30 de Agosto - visita do Comando de Greve ao campus avançado de Macaé.
31 de Agosto (6a. feira) - Panfletagem na Avenida Pelinca a partir das 17:00 horas
04 de Setembro (3a. feira)- Dia do envio massiva de mensagens para os deputados estaduais cobrando uma ação pronta para resolver os problemas da UENF.
07 de Setembro - Participação nas atividades do Grito dos Excluídos


Participe e apoie a luta dos professores da UENF!

COMANDO DE GREVE DA ADUENF
UERJ FAZ ATO DE DESAGRAVO AOS ESTUDANTES QUE FORAM ATACADOS PELO BATALHÃO DE CHOQUE DENTRO DO CAMPUS MARACANÃ


quarta-feira, 29 de agosto de 2012

AUDIÊNCIA DA COMISSÃO DE EDUCAÇÃO DA ALERJ LOTA AUDITÓRIO DO CENTRO DE CONVENÇÕES DA UENF E APONTA CAMINHOS PARA A GREVE

Frente a um auditório completamente lotado, representantes da Reitoria, da ADUENF, do SINTUPERJ/UENF e do Diretório Central dos Estudantes teceram uma série de considerações sobre a grave situação em que a UENF se encontra neste momento. E as manifestações dos presentes não se ativeram apenas às questões salariais de professores e servidores, mas alcançaram também o problema da falta de recursos que, entre outras coisas, dificulta a permanência dos estudantes dentro da universidade.

O deputado Comte Bittencourt, presidente da Comissão de Educação da Alerj, indicou seu compromisso com as questões mais estratégicas para a Educação do estado do Rio de Janeiro. Na questão da UENF, Comte Bittencourt marcou sua fala por condicionar as propostas de expansão que o governo Cabral deseja a um correto processo de financiamento. Comte afirmou que não parece lógico querer a expansão e criação de novos campi na região noroeste, quando o campus principal em Campos dos Goytacazes já possui tantas dificuldades para funcionar. Além disso, Comte Bittencourt destacou sua posição contrária ao processo de terceirização, cobrando da Reitoria da UENF que evite aprofundar este processo, já que isto implica num processo de precarização do trabalho. 

De forma prática, Comte Bittencourt encerrou a audiência pública indicando dois compromissos claros: 1) a de trabalhar para que ocorra uma reunião dos sindicatos da UENF com o presidente da Alerj, deputado Paulo Mello, e 2) a realização de uma reunião da Frente Estadual em Defesa das Universidades Estaduais.

A partir desta audiência, os Comando de Greve da ADUENF e do SINTUPERJ/UENF deverão traçar os próximos encaminhamentos para fortalecer o processo de greve.




terça-feira, 28 de agosto de 2012

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO REALIZA AUDIÊNCIA PÚBLICA NA UENF!



Data: 29/08/2012



Hora: 10h

Local:  Avenida Alberto Lamego, 2000- Parque Califórnia – Campos dos Goytacazes

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

REVISTA SOMOS ASSIM PUBLICA ENTREVISTA DO PRESIDENTE DA ADUENF SOBRE AS  GREVE NA UENF E A INDIFERENÇA DO GOVERNO CABRAL FRENTE ÀS SUAS CAUSAS


COMISSÃO DE EDUCAÇÃO DA ALERJ VAI REALIZAR AUDIÊNCIA PÚBLICA NA UENF PARA DISCUTIR GREVE DE PROFESSORES E SERVIDORES



A Comissão de Educação da Assembléia, presidida pelo deputado Comte Bittencourt (PPS), estará realizando audiência na próxima quarta-feira (29/08), na Universidade do Estado do Norte Fluminense (UENF), em Campos.



A Comissão vai debater a pauta de reivindicações dos profissionais da UENF,
que estão em greve desde o início do mês.


“Nossa visita à UENF tem por objetivo atender a uma solicitação dos profissionais dessa universidade que encontra-se em greve. Debater a pauta reivindicatória é a contribuição que a Comissão pode dar para restabelecer a atividade acadêmica”, afirma Comte.

Data: 29/08/2012

Hora: 10h

Local:  Avenida Alberto Lamego, 2000- Parque Califórnia – Campos dos Goytacazes
A UENF ESTÁ EM GREVE? A CULPA É DO CABRAL!

Em um dia em que o campus Leonel Brizola deveria estar fervilhando com o reinício das aulas, o que se viu hoje foi o mais completo silêncio. O problema é que forçados pelo descaso e a indiferença do governo do Rio de Janeiro, professores e servidores resolveram cruzar os braços até que o governo Sérgio Cabral aceite iniciar uma discussão séria sobre os graves problemas salariais e de custeio que afligem a UENF neste momento.

Como no caso da UERJ, a palavra de ordem na UENF é: NEGOCIA, CABRAL!





sábado, 25 de agosto de 2012

SERVIDORES DA UENF VÃO AO CENTRO DE CAMPOS EXPLICAR A GREVE

Na manhã deste sábado um conjunto formado por professores e servidores da UENF esteve nas ruas do centro de Campos para explicar a greve em curso na instituição e pedir o apoio da população à luta por melhores salários e mais verbas para as universidades estaduais fluminenses.

A recepção dada pela população foi mais uma vez de apoio entusiástico e de clara indignação pelo tratamento indigno que o governo Sérgio Cabral dispensa a uma das melhores universidades brasileiras.

Esta tipo de interação vai ser repetida já que só conscientizando a população sobre a real situação por que passam as universidades  estaduais é que conseguiremos fazer o governo Cabral negociar.






sexta-feira, 24 de agosto de 2012

NOTA DE REPÚDIO DO COMANDO DE GREVE DA ADUENF À VIOLÊNCIA COMETIDA PELO BATALHÃO DE CHOQUE NO CAMPUS DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO




Lamentavelmente no dia de ontem (23 de Agosto), o governo do estado do Rio de Janeiro enviou a tropa de choque da Polícia Militar para o interior do campus da Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Durante esta ação violenta e descabida, bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo foram atiradas contra os estudantes e funcionários da nossa querida UERJ. Essa profanação do espaço universitário teve como justificativa a repressão de uma passeata dos estudantes na região do entorno da UNIVERSIDADE. Essa é a forma com que o governador Sérgio Cabral negocia com as categorias, categorias estas que sistematicamente têm colocado, de forma pacífica, as suas reclamações.

O Comando de Greve da ADUENF vem a público para prestar solidariedade para com os nossos colegas da UERJ e para repudiar de forma contundente este comportamento lamentável e ditatorial do Governo do Estado do Rio de Janeiro e da reitoria da UERJ. O mais lamentável neste caso é que a reitoria da UERJ que deveria zelar pela inviolabilidade do campus universitário, permitiu de forma explicita que os membros da sua comunidade universitária, que apenas exerciam o direito constitucional da livre expressão, fossem covardemente atacados dentro do campus Universitário.

O diálogo sempre é a melhor solução para qualquer conflito, e quando o Estado recorre à força bruta seus representantes abrem mão de séculos de evolução da espécie humana para apenas depender do uso da violência ilegítima.

Mais uma vez fica claro a importância do ato de amanhã no centro da cidade de Campos, onde iremos solicitar o apoio da população de Campos à nossa própria luta por melhores salários e pelo correto financiamento das universidades públicas estaduais. A população de Campos dos Goytacazes precisa tomar conhecimento dos fatos que estão acontecendo, precisa saber do desinteresse do governo Cabral em resolver os problemas que estão ocorrendo dentro das universidades estaduais; precisa saber das nossas justas demandas e que estamos tentando negociar a mais de um ano. Tudo isso para evitar que, sabendo que contamos com o apoio da população campista, o governo Cabral pese muitas vezes as consequências de seus atos, antes de mandar a tropa de choque também para dentro da UENF, ou a agredir covardemente os nossos estudantes.

TODO APOIO À LUTA DA COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA DA UERJ!
PELO FIM DA REPRESSÃO, NEGOCIA CABRAL!
UENF DE NOVO NA RUA, CABRAL A CULPA É TUA!

Campos dos Goytacazes, 24 de Agosto de 2012.


COMANDO DE GREVE DA ADUENF

quinta-feira, 23 de agosto de 2012


COMANDOS DE GREVE DA ADUENF E DO SINTUPERJ/UENF ENVIAM CORRESPONDÊNCIA CONJUNTA AO GOVERNADOR SÉRGIO CABRAL





Ao
Exmo Governador do Estado do Rio de Janeiro
Sergio Cabral Filho

Exmo senhor governador,
            Servimo-nos da presente para informar a vossa excelência que, com base nas decisões das assembleias gerais da ADUENF e Sintuperj/UENF, os servidores da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro encontram-se EM GREVE POR TEMPO INDETERMINADO.
Além de informar a situação de greve, queremos ainda aproveitar para solicitar que vossa excelência intervenha para alcançar soluções que nos permitam encerrar este movimento o mais rapidamente possível, visto que o uso do instrumento da greve não é de interesse dos docentes e funcionários da UENF, mas seu uso atual é legitimo e legal, especialmente em face da persistência falta de resolução dos graves problemas salariais causados por uma corrosão de mais de 90% apenas na última década. Lembramos que esta corrosão salarial hoje causa uma forte evasão de quadros docentes e técnicos que compromete a sustentabilidade do projeto educacional idealizado pelo saudoso Prof. Darcy Ribeiro.
            Aproveitamos ainda para lembrar a vossa excelência que as demandas que orientam a presente greve são as seguintes:
1-    Devolução, no item pessoal, dos R$ 10 milhões tirados do orçamento, a serem utilizados para pagamento imediato da Dedicação Exclusiva.
2-    Resposta  da SEPLAG ao processo E-26/050637/11
3-    Plano de reposição das perdas salariais acumuladas desde 2011 que totalizam 60%.
4-    Implantação do auxilio saúde já aprovado pelo consuni
5-    Definição de 1º de maio como data base dos servidores técnicos administrativos e docentes das Instituições Estaduais de Ensino Superior do Rio de Janeiro.
6-    Respeitar o orçamento aprovado e discutido pelos Conselhos Universitários das Universidades.
7-    Vinculação de um limite mínimo de 6% dos recursos no orçamento estadual para o sistema de ensino superior do estado do Rio de janeiro.
8-    Aumento das bolsas estudantis até o valor de um salário mínimo do estado.

            Desde já nos colocamos à disposição de vossa excelência para somar forças aos esforços de negociação que, tenho plena convicção, a Secretaria de Ciência e Tecnologia continuará realizando em prol de uma solução duradouro para os problemas que estão na base do movimento reivindicatório dos docentes da UENF.

            Sendo o que se apresenta para o momento, despedimo-nos

 Campos dos Goytacazes, 23 de agosto de 2012.

COMANDO DE GREVE DA ADUENF E COMANDO DE GREVE DO SINTUPERJ/UENF.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

ANDRÉ CORREA, LÍDER DO PMDB DA ALERJ, MANDA PROFESSORES DA UENF CONTINUAREM EM GREVE


Na tarde desta 3a. feira(21/08) o presidente da ADUENF, o Prof. Raúl Palácio, teve um encontro conjunto com o líder do PMDB na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro, deputado André Correa (PSD). E qual foi a mensagem do líder do PMDB? Correa informou literalmente que para os professores da UENF não há qualquer proposta do governo, e disse ainda para que continuem em greve.

Em tempo. Para os professores da UERJ, André Correa informou existir uma proposta do governo Sérgio Cabral.  No entanto, Correa informou que esta proposta só será informada após o término da greve que está ocorrendo na UERJ.

Em suma, o líder do PMDB na ALERJ parece pouco se importar com o caos instalado nas universidades estaduais fluminenses. 

Mais informações sobre esta declaração estapafúrdia de André Correia amanhã aqui no blog.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

PROFESSORES DA UENF PARTICIPARÃO DE VIGÍLIA DA UERJ NA FRENTE DA ALERJ!

Nesta 3a. feira a comunidade da UERJ estará realizando uma vigília pela negociação em frente da Alerj a partir das 17 horas.

A diretoria da ADUENF estará lá com um grupo de professores da UENF para se solidarizar com os grevistas da UERJ, pois a luta em defesa de melhores salários e condições plenas de funcionamento das universidades estaduais fluminenses é um objetivo comum.

Apoie e divulgue a luta das universidades públicas estaduais do Rio de Janeiro!




ADUENF PROMOVE PANFLETAGEM NO CALÇADÃO DE CAMPOS NO PRÓXIMO SÁBADO (25/08) PARA DIVULGAR A GREVE DOS PROFESSORES



Neste próximo sábado,dia 25.08., haverá a ADUENF realizará uma panfletagem no centro de Campos a partir das 09:30 da manhã para divulgar as razões da greve inciada no dia 10/08 pelos professores.

Durante a atividade também serão distrbuídas 25 doses da vacina anti-rábica para cães e gatos

Compareça e fortaleça a luta em defesa da UENF!

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

COMUNICADO DA DIRETORIA DA ADUENF NO DIA DO ANIVERSÁRIO DE 19 ANOS DA UENF: A NOSSA LUTA É PARA PRESERVAR O MODELO DE EXCELÊNCIA CRIADO POR DARCY RIBEIRO!



A diretoria da ADUENF vem a público prestar contas do trabalho realizado nas últimas duas semanas. Durante este período participamos de duas atividades na ALERJ, em conjunto com os professores e técnicos da UERJ. Nestas atividades aproveitamos para apresentar, mais uma vez, a nossa pauta de reivindicações. Assim sendo, protocolamos duas cartas, uma na SECT e outra na Reitoria da UENF cujo intuito era informar a estes órgãos a nossa decisão de iniciar uma greve por tempo indeterminado a partir do dia 10 de Agosto, bem como apresentar a nossa pauta de reivindicações. 

Gostaríamos de esclarecer que esta duas cartas se somam às várias missivas que já havíamos enviado para diferentes órgãos do governo estadual, deixando bem claro quais são OS NOSSOS PONTOS DE PAUTA. Neste sentido gostaríamos de chamar especial atenção para os documentos protocolados na Casa Civil e na Secretaria do Planejamento, cujas cópias estarão postadas no nosso blog cujo endereço é aduenf.blogspot.com

Além das atividades na ALERJ, realizamos no sábado passado (11/08) uma panfletagem na Avenida Pelinca onde explicamos à população de Campos os motivos da greve, bem como solicitamos o apoio à nossa luta. Segundo o que já foi informado por artigo já postado no nosso blog, a população de Campos mostrou-se mais uma vez bastante receptiva aos nossos reclamo.s 

No período em questão também nos reunimos várias vezes com o atual Secretário de Ciência e Tecnologia, prof. Edmundo Horta, na tentativa de obter a abertura de um processo sério de negociação. Por entender que o Secretário é sensível às nossas demandas, estamos tentando manter o canal de diálogo aberto de forma a tornar a SECT um ponto de transmissão das nossas reivindicações ao restante governo de estado. 

Já na ALERJ nos reunimos com a bancada do PT, com os Deputados André Lazzaroni, líder do PMDB, Janira Rocha (PSOL), Comte Bitencourt (PPS), presidente da Comissão de Educação, Robson Leite (PT), Marcelo Freixo (PSOL), Roberto Henriques (PSD), membro da mesa diretora da ALERJ, e Clarissa Garotinho (PR). Nestes contatos apresentamos os documentos que demonstram que a UENF paga atualmente o pior salário inicial, para professor com doutorado e DE do Brasil. Além disso, solicitamos a atuação destes deputados para garantir a realização de uma reunião com o presidente da ALERJ, deputado Paulo Melo (PMDB), e com o líder do governo, deputado André Correa (PSD). É importante que todos os deputados com que nos reunimos se mostram sensíveis aos nossos pleitos e se prontificaram, na medida das suas possibilidades, a contribuir para resolver os graves problemas em que estão imersas neste momento as três universidades estaduais fluminenses. 

Para nossa satisfação os deputados Marcelo Freixo, Comte Bittencourt, Janira Ramos, Paulo Ramos, Robson Leite e Roberto Henriques defenderam publicamente as universidades estaduais, os pleitos apresentados por seus sindicatos, e cobraram a realização da audiência do presidente da ALERJ com as universidades, como um início do caminho para resolução da pauta de reivindicações que hoje colocam em greve tanto a UENF como a UERJ. 

Em função do exposto, a diretoria da ADUENF busca demonstrar que continuamos negociando e, agora em greve, estamos trabalhando para a resolução de suas causas o mais rápido possível. Por tudo isso, não aceitaremos sermos chamados de extremistas ou, tampouco, a disseminação de informações falsas de que o governo não tinha conhecimento da nossa pauta de reivindicações. A verdade é que as 63 viagens realizadas pela diretoria da ADUENF à cidade do Rio de Janeiro desde o início deste mandato comprovam o contrário. Mais uma vez vamos afirmar: O nosso trabalho é pelo fortalecimento da UENF pública gratuita e de qualidade. E essa luta passa pela justa remuneração dos funcionários da nossa instituição. 

Finalmente, é fundamental ressaltar no dia em que a UENF completa 19 anos que a ADUENF não abrirá mão de continuar lutando pelo projeto idealizado por Darcy Ribeiro de estabelecer uma universidade pública e gratuita que pudesse produzir um processo sustentável de desenvolvimento na região Norte/Noroeste Fluminense. É justamente por entendermos o nosso papel estratégico para toda a população que depende mais diretamente do conhecimento estratégico gerado pela UENF que estamos em luta. 

Longa vida à UENF pública, gratuita, democrática e de qualidade! Darcy Ribeiro, presente! 

Campos dos Goytacazes, 16 de Agosto de 2012. 

DIRETORIA DA ADUENF

sábado, 11 de agosto de 2012

SUCESSO DE PANFLETAGEM MOSTRA QUE A POPULAÇÃO DE CAMPOS ENTENDE AS RAZÕES DOS PROFESSORES DA UENF PARA ENTRAR EM GREVE

A ótima recepção dada pela população que recebeu o material distribuído pelos professores da UENF para explicar a razão da greve que começou nesta 6a. feira  é uma prova de que há um entendimento acerca do papel jogado pelo governo Cabral na deflagração deste processo. 

Ao longo de mais de duas horas e milhares de panfletos distribuídos, os professores presentes na atividade puderem dialogar com populares e receber múltiplas manifestações de simpatia. Isto sinaliza que o desgaste que ocorrerá por causa da má vontade do governo em negociar de forma sincera com os sindicatos que representam os servidores da UENF terá um custo ao governador Sérgio Cabral.

Mas mais do que isto, a boa recepção motivou ainda mais os professores que participaram da atividade para realizar novas panfletagens em diferentes pontos da cidade de Campos. 

A hora de lutar pela sustentação do projeto de excelência da UENF é essa!






sexta-feira, 10 de agosto de 2012

PROFESSORES DA UENF FARÃO PANFLETAGEM NA PELINCA PARA DIVULGAR E EXPLICAR OS MOTIVOS DA GREVE INICIADA NESTA 6A. FEIRA



Os professores da UENF realizarão uma panfletagem na região da Pelinca neste sábado(11/08) a partir das 16:00 horas.  O objetivo desta atividade é divulgar a razão da decisão de iniciar mais uma greve na UENF à beira do seu décimo-novo aniversário do início das atividades em Campos dos Goytacazes.

A diretoria da ADUENF avisa que o ponto de encontro será na calçada da agência do Banco do Brasil/Pelinca.


Participem e apoie a luta dos professores da UENF por melhores salários, condições dignas de trabalho e pelo correto financiamento das universidades estaduais do Rio de Janeiro!

terça-feira, 7 de agosto de 2012

A GREVE CONTINUA NA UERJ E COMUNIDADE PROMOVE ATO PARA PRESSIONAR PELA ABERTURA DE NEGOCIAÇÕES! NEGOCIA CABRAL!


sexta-feira, 3 de agosto de 2012


DIRETORIA DA ADUENF PRESTA CONTAS DE ATIVIDADES PRÉ-GREVE REALIZADAS NA ALERJ!


No dia 01 de agosto, em cumprimento ao aprovado pela assembléia da ADUENF, seis professores participaram do ato de boas vindas aos parlamentares que retornavam do recesso parlamentar. É importante notar que a participação teve três momentos diferentes.

No primeiro momento, nas escadarias da Alerj, apresentamos uma retrospectiva de todas as ações que tínhamos realizado ao longo do último ano, e pontuamos a contínua falta de atenção do governo Cabral às nossas demandas, e o desfalque dos R$ 10 milhões do acordo feito pela Comissão de Educação com a presidência da Alerj para iniciar a remuneração do regime de Dedicação Exclusiva na UENF.  Para finalizar a nossa fala inicial, informamos aos presentes no ato sobre a decisão da assembléia da ADUENF de iniciar uma greve por tempo indeterminado no dia 10 de agosto. A noticia foi muito bem recebida pelos mais de 300 servidores públicos presentes no ato.  Gostaríamos de apontar a constatação de união do movimento que foi identificada por um dos nossos professores que participavam da atividade, pois independentemente da associação que fazia uso da palavra as demandas da UENF eram apresentadas também.

No segundo momento, realizamos uma serie de contatos com deputados e assessores parlamentares para explicar sobre o que estava acontecendo na UENF, e para entregar os documentos onde fica claro, segundo o Jornal Folha de São Paulo que o nosso vencimento inicial é o pior do Brasil. Em função disto, aproveitamos para alertar sobre o possível êxodo em massa de professores que pode acontecer caso o nosso salário passe a representar apenas 40 % do salário inicial pago pelo sistemas das universidades federais.  Dialogamos com os Comte  Bittencourt (PPS), Marcelo Freixo (PSOL), André Lazzaroni (PMDB) e Janira Rocha (PSOL). Tentamos também contatar a Deputada Clarissa Garotinho, porém, ela  estava no plenário e não pode nos atender naquele momento.

Como resultado das conversas ficou marcada, numa data próxima a ser confirmada, uma audiência da “Frente Parlamentar em Defesa das Universidades Públicas Estaduais”  na ALERJ, bem como outras duas, na UERJ e na UENF, a ser presidida pelo deputado Comte Bittencourt, presidente da comissão de educação. Através dos deputados  Marcelo Freixo e Janira Rocha tentamos ser recebidos pelo presidente e o líder do governo na ALERJ. Já que no dia do ato isto não foi possível, continuamos trabalhando com os dois deputados nessa direção.

O terceiro momento foi dentro da ALERJ, assistindo à reunião plenária. Na plenária fomos contemplados pelo discurso de todos os deputados anteriormente mencionados, onde eles defenderam as universidades, concordaram com os pleitos apontados pelas associações e colocaram seus mandatos à disposição do movimento. Em um ato de democracia impar os professores das duas instituições se manifestarem com gritos como NEGOCIA CABRAL, CADÊ O DINHEIRO, DE Já, Queremos o pagamento da D.E. já!

Finalmente, informamos que na próxima segunda-feira (06 de Agosto) continuaremos o trabalho na ALERJ pois a convitte da  diretoria da ASDUERJ vamos a participar na reunião da bancada do PT com os sindicatos da UERJ. 

DIRETORIA DA ADUENF 

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

COMUNICADO DA DIRETORIA DA ADUENF SOBRE A DECISÃO DE DEFLAGRAR GREVE A PARTIR DO DIA 10 DE AGOSTO




A diretoria vem a público para informar que após uma ampla discussão, em assembléia chamada para o pleito, ficou democraticamente determinada a entrada de greve para o dia 10 de Agosto. Na assembléia, com a participação de quase 70 professores, ficou claro a indignação dos professores da UENF por serem os professores universitários com doutorado em regime de Dedicação exclusiva com piores vencimentos de todo Brasil, segundo artigos do Jornal Folha de São Paulo do dia 2 e 3 Julho. O clímax da indignação foi a informação que em Março de 2015 os nossos vencimentos representarão apenas 40 % do vencimento dos professores que estejam trabalhando no regime de Dedicação Exclusiva nas universidades federais. 

Gostaríamos de esclarecer que chegamos a esta decisão após um ano e meio de tentar abrir a negociação com o governo Cabral. Mais de 60 viagens à cidade do Rio de Janeiro, mais de 500 horas de ônibus e avião, várias panfletagens, participação em inúmeras passeatas e vários documentos protocolados nas diferentes secretarias do governo, representam o caminho percorrido pela diretoria antes de decretar a entrada em greve da nossa querida UENF. Tentamos de tudo para evitar a greve, não por medo ou cansaço, e sim por estarmos cientes dos preguiçosos que a greve causa para todos e principalmente para os estudantes. Entretanto, não podemos continuar aceitando o desinteresse do Governo para com a nossa Universidade, chegando-se ou cúmulo do não pagamento da DE, a prostituição do nosso orçamento, e o contingenciamento dos esquálidos recursos que o governo repassa para a UENF. 

Como tínhamos esclarecido em comunicado anterior, o governo do Rio de Janeiro tem ainda um período para tentar negociar com os servidores da UENF para evitar a greve. Mantendo a característica de usar do diálogo como via principal de resolução dos nossos problemas, ficou determinada a participação de um grupo de professores no ato de boas vindas que as ASDUERJ está organizando nas escadarias da ALERJ no dia 1 de Agosto. Nesse ato entraremos em contato com os deputados para que seja marcada com urgência uma audiência do "Frente em defesa das universidades públicas do estado do Rio de Janeiro" para tentar negociar as exigências do movimento. 

Caros UENFIANOS, professores ou não, chegou a hora fortalecer o movimento, pois, lamentavelmente, duas máximas foram confirmadas; governo algum prioriza a educação, dado que para os atuais governantes, a Educação não dá votos, e a greve é a única ferramenta que os governos entendem na hora de ouvir e resolver as nossas demandas. Vamos nos unir para pedir aumento das bolsas dos alunos, para pedir reestruturação do PCV, pela recuperação das perdas salariais, e pelo justo pagamento da Dedicação Exclusiva. 

Finalmente, gostaríamos de conclamar  aos nossos colegiados para que discutam a realidade da UENF, e apóiem o nosso movimento pelo direito ao oferecimento do ensino gratuito, democrático e de qualidade. Basta de funcionar como bombeiros tentando apagar os diferentes fogos que surgem no dia a dia por falta de uma política correta de financiamento da universidade. Enfim, sem a devida e necessária autonomia financeira. 


A DIRETORIA