Folha da Manhã: Em decisão apertada, greve segue na UENF



Em assembleia realizada no início da tarde desta quarta-feira (23), com três horas de duração, o corpo docente da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) aprovou a continuidade da greve. A categoria está paralisada há 20 dias. A proposta apresentada pela diretoria da Associação dos Docentes da Uenf (Aduenf) teve 51 votos favoráveis, além de 49 contrários e uma abstenção. Com isso, as aulas do segundo semestre continuam suspensas. A greve se estenderá por tempo indeterminado, até que seja apresentado um calendário de garantia de pagamento dos próximos meses e também do 13º salário referente a 2016.
Uma das grandes discussões entre os professores era quanto às condições de trabalho. Segundo a presidente da Aduenf, Luciane Silva, não há mais como trabalhar nessa situação. “Estamos sem segurança nenhuma para trabalhar. O campus não tem iluminação, os laboratórios estão sucateados, sendo sustentados pelos professores. Precisamos que além do pagamento do 13º e do calendário para os próximos meses, que o Estado libere insumos para que a universidade possa trabalhar como antes. Enquanto isso não for decidido ficaremos parados”, disse ela.
Entre as manifestações de ideias dos professores, alguns pediram mais apoio durante a paralisação. Segundo eles é preciso que haja uma consolidação entre professores, corpo técnico e terceirizados.
— Hoje nossa luta não é só pelo salário, mas também por defender a universidade pública de gratuita. Precisamos nos mobilizar com ações concretas e manifestações que chamem a atenção do Governo do Estado — informou a vice-reitora Teresa de Jesus Peixoto Faria.

Postagens mais visitadas deste blog

ADUENF envia carta ao reitor da UENF solicitando respeito ao direito dos estudantes

Diretoria da ADUENF envia ofício ao reitor da UENFcomunicado suspensão da greve

Nota de Repúdio contra o abuso de autoridade no arrombamento do DACOM da UFF Campos