ADUENF espera resposta do governo Cabral

A diretoria da ADUENF encontra-se agora em compasso de espera por uma resposta formal às demandas enviadas no dia 24.11.2010 como fruto da assembléia geral realizada naquele mesmo dia. A posição majoritária foi de dar um prazo adicional de 10 dias para que o Secretário Alexandre Cardoso pudesse se encontrar com o governador Sérgio Cabral para formalizar as respostas do governo do Rio de Janeiro às demandas salariais existentes na UENF.
Agora o que se espera é que o Secretário Alexandre Cardoso use bem o prazo que lhe foi dado, a seu próprio pedido, para produzir respostas que evitem o agravamento das tensões existentes na UENF neste momento. Do contrário, a volta da greve será inevitável, já a partir da próxima segunda-feira (06/12).
Aliás, a única forma de se impedir esta greve será a apresentação de compromissos formais por parte do governo do estado. Do contrário, os professores já definiram na assembléia do dia 24.11.2010 pela volta à greve, não estando prevista sequer a realização de nova assembléia até lá. No entanto, uma assembléia será convocada caso o governo Cabral apresente alguma proposta para resolver a grave crise que hoje intranquiliza a UENF.

Postagens mais visitadas deste blog

Professores da UENF decretam greve por tempo indeterminado

Presidente da Assembleia de Deus Central de Campos dos Goytacazes faz apelo em defesa da UENF

Servidores, aposentados e pensionistas sem salários realizam protesto no Fórum do Rio de Janeiro