G1: Professores da Uenf entram em greve e pedem soluções para crise

Universidade em Campos, RJ, tem dívida de R$ 10 milhões.

Alunos e técnicos também estão com as atividades suspensas.

Do G1 Norte Fluminense, com informações da Inter TV


Professores realizaram uma intervenção no prédio da universidade pedindo "socorro" (Foto: Divulgação DCE Uenf/ Marcos Pedlowski)


Os professores da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (Uenf), em Campos dos Goytacazes, se uniram aos alunos e aos técnicos administrativos e iniciaram uma greve nesta segunda-feira (4) em protesto contra a crise finaNceira que a instituição enfrenta.

A greve foi decidida em assembleia no último dia 29. A universidade já acumula dívida de R$ 10 milhões desde outubro de 2015, com atraso no pagamento nas contas de energia, luz, gases e telefone, já cortado. Em uma reunião realizada no dia 18 de março, o Conselho Universitário afirmou que se os problemas persistirem o fechamento será inevitável

Segundo o comando da greve, a previsão é que 80% da categora vai aderir ao movimento, que reivindica também o retorno do pagamento dos salários ao modelo que era aplicado até o ano de 2015, a rejeição do PLP 257/2016, a defesa do orçamento da Faperj de 2% da receita líquida do estado, a quitação de todas as dívidas da Uenf, além da reposição das perdas salariais acumuladas a partir de 1999

Em nota enviada ao G1, a secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) informou que a prioridade tem sido dos salários, que segundo a secretaria estão em dia. A Secti informou ainda que o governo do estado  tem feito repasses à Uenf, através da Secretaria estadual de Fazenda, de acordo com a disponibilidade de recursos em caixa e que novos pagamentos serão realizados o mais rapidamente possível, dependendo da disponibilidade de recursos

Greve dos aluno

Os alunos da universidade estão em greve desde de janeiro e revidicam pagamento das bolsas universitárias, atrasadas desde 2015, além da implementação do auxílio moradia; criação de pró-reitoria de assuntos estudantis; ampliação da gratuidade do restaurante universitário, que hoje funciona apenas para os cotistas.

Desde o início da greve, várias manifestações foram realizadas e acessos à universidade foram fechados, impedindo a entrada de professores e funcionários.

Greve dos técnicos de administraçã

Mais de 500 técnicos-administrativos da universidade também estão em greve. Eles pedem a reposição salarial, implementação dos auxílios alimentação,educação e saúde, além se seremcontra os cortes sofridos pela a universidade.
FONTE: http://g1.globo.com/rj/norte-fluminense/noticia/2016/04/professores-da-uenf-entram-em-greve-e-pedem-solucoes-para-crise.html

Postagens mais visitadas deste blog

Professores da UENF decretam greve por tempo indeterminado

Presidente da Assembleia de Deus Central de Campos dos Goytacazes faz apelo em defesa da UENF

Servidores, aposentados e pensionistas sem salários realizam protesto no Fórum do Rio de Janeiro