ANDES-SN apoia greve na UENF e repudia sindicância contra liderança docente

O ANDES-SN divulgou nesta quarta-feira (25/8) uma Moção de Apoio e solidariedade aos docentes e funcionários da Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF, em greve geral desde o dia 16 de Agosto, data em que a instituição completou 17 anos.

O sindicato Nacional repudia também a atitude do reitor Almyr Junior Cordeiro de Carvalho, que abriu processo de sindicância contra o presidente da Associação dos Docentes da UENF - ADUENF Seção Sindical, como forma de intimidação contra a liderança.

Reivindicações

O motivo da greve é a exigência de que o governo Sérgio Cabral conceda uma reposição de 82% sobre os salários, em função das perdas salariais acumuladas apenas nos últimos 10 anos.

A assembléia dos professores que, no dia 16/8, reuniu em torno de 70 docentes da UENF acabou decretando a greve por tempo indeterminado por uma maioria clara de 50 votos favoráveis contra 11 contrários.

A proposta da diretoria da Aduenf Seção Sindical inclui não apenas a questão da reposição das perdas salariais, mas também da recuperação do valor real do orçamento da UENF para 2011, visto que nos últimos quatro anos o orçamento da instituição está congelado na casa dos R$ 100 milhões, o que de fato implica numa diminuição do valor real do orçamento em função do processo inflacionário ocorrido desde 2007.

Na quarta-feira (18/8), a greve foi reforçada pela adesão dos docentes da UENF lotados no campus avançado de Macaé onde estão alojados os laboratórios de Engenharia e Exploração de Petróleo e o De Meteorologia.

Com a adesão de Macaé, a greve na UENF mostra-se como uma resposta contundente ao tratamento dado pelo governo Sérgio Cabral que até o presente momento estava se negando a qualquer negociação direta com os sindicatos representativos de professores e técnicos.

Conquistas

A força deste movimento já teve um primeiro resultado que foi a indicação pelo governador do secretário Luiz Edmundo Horta para iniciar o processo de negociação. A partir desta indicação é possível que haja uma modificação no tratamento dado pelo governo do Rio de Janeiro à UENF.

Na quarta-feira, houve uma manifestação numerosa onde professores, servidores e estudantes da UENF foram ao centro da cidade de Campos dos Goytacazes para explicar os motivos da greve à população e pedir apoio para a abertura das negociações.

O Comando de Greve Unificado composto por representantes da ADUENF e do SINTUPERJ estabeleceu uma agenda de atividades para os próximos dias, de modo a ampliar o diálogo com a população de Campos e estender este processo até o município de Macaé.

Sindicância

O presidente da ADUENF-SS, Marcos Pedlowski, está sofrendo processo de sindicância por em função do editorial publicado do Jornal da ADUENF-SS. Para a diretoria do ANDES-SN, a sindicância é uma forma de intimidar o sindicalista, atacando a liberdade de expressão, autonomia sindical e o direito de greve.

Em função disso, exige a retirada da comissão de sindicância constituída com o nítido objetivo intimidatório por parte da Reitoria e solicita negociação imediata da justa pauta de reivindicação salarial dos trabalhadores da UENF.

Postagens mais visitadas deste blog

Professores da UENF decretam greve por tempo indeterminado

Presidente da Assembleia de Deus Central de Campos dos Goytacazes faz apelo em defesa da UENF

Servidores, aposentados e pensionistas sem salários realizam protesto no Fórum do Rio de Janeiro