terça-feira, 31 de agosto de 2010

COMUNICADO DO COMANDO UNIFICADO DE GREVE

O Comando de Greve vem comunicar à comunidade universitária que na tarde desta 3a. feira foi feito um contato pelo Secretário de Ciência e Tecnologia, Luiz Edmundo Horta, que virá até a UENF para participar de uma sessão extraordinária do Conselho Universitário para discutir os problemas que resultaram na greve atualmente em curso em nossa instituição. Neste contato o Secretário Luiz Edmundo demonstrou interesse em também se reunir com o Comando de Greve para discutir possíveis saídas para o impasse político causado pela falta de reposição de perdas salariais, especialmente no caso dos docentes. Neste contato telefônico, o secretário Luiz Edmundo foi informado que há uma manifestação pública agenda para as 15 horas, e que não poderia ser cancelada. Diante desta informação, o Secretário de Ciência e Tecnologia indicou sua disposição de realizar uma reunião com o Comando de Greve antes da reunião do CONSUNI, sendo ainda apresentada a possibilidade de que esta reunião ocorra após o ato público que ocorrerá na Praça São Salvador. O secretário ficou de verificar a agenda da aeronave que o trará a Campos para definir se a reunião com o Comando de Greve irá ocorrer antes ou depois da reunião do CONSUNI.

Diante destes fatos, o Comando de Greve ADUENF-SINTUPERJ vem informar o seguinte:

O ATO PÚBLICO NA PRAÇA SÃO SALVADOR ESTÁ MANTIDO PARA AS 15:00 HORAS, COM AGLOMERAÇÃO EM TORNO DA ESTÁTUA DO EXPEDICIONÁRIO. O Comando de Greve informa que manterá representantes na reunião que manterão assim informados os participantes do ato público de quaisquer novas informações que surjam no interior do Conselho Universitário.

VAMOS TODOS À PRAÇA SÃO SALVADOR DEFENDER OS NOSSOS DIREITOS! A NOSSA UNIDADE É A ÚNICA GARANTIA DE QUE TEREMOS NOSSOS DIREITOS RESPEITADOS! A UENF UNIDA, JAMAIS SERÁ VENCIDA!

COMANDO DE GREVE UNIFICADO ADUENF-SINTUPERJ

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

COMUNICADO DO COMANDO DE GREVE DA ADUENF

O Comando de Greve vem informar aos associados da ADUENF que as negociações com a SECT deverão continuar nesta semana, segundo o que sinalizou o próprio gabinete do secretário Luiz Edmundo Horta em comunicado à imprensa. A duração desta greve estará condicionada ao oferecimento de soluções para os problemas que foram criados pelo próprio governo estadual. Sem isto, não haverá como suspender o nosso movimento!

Neste sentido, o Comando de Greve considera essencial que todos os associados continuam apoiando o nosso justo movimento reivindicatório que já conseguiu abrir negociações que estavam emperradas por mais de três anos. Ao longo desta semana teremos duas atividades importantes para as quais solicitamos a participação de todos:

4a. feira (01 de Setembro), 15 horas, Praça São Salvador - Ato em defesa dos nossos salários e da UENF.

5a. feira (02 de Setembro) 11 horas da manhã, Avenida pelinca na esquina do Banco do Brasil - Panfletagem.

O Comando de Greve reitera seu entendimento de que estamos mais próximos de uma solução positiva para a nossa aflitiva crise salarial do que estávamos antes de iniciar a atual greve, e reiteremos o chamado para que todos continuem apoiando o nosso movimento!

A UENF UNIDA, JAMAIS SERÁ VENCIDA!

PELA REPOSIÇÃO DE 82% DE PERDAS SALARIAIS JÁ!

Campos dos Goytacazes, 30 de Agosto de 2010.

COMANDO DE GREVE DA ADUENF

sábado, 28 de agosto de 2010

ANDES-SN apoia greve na UENF e repudia sindicância contra liderança docente

O ANDES-SN divulgou nesta quarta-feira (25/8) uma Moção de Apoio e solidariedade aos docentes e funcionários da Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF, em greve geral desde o dia 16 de Agosto, data em que a instituição completou 17 anos.

O sindicato Nacional repudia também a atitude do reitor Almyr Junior Cordeiro de Carvalho, que abriu processo de sindicância contra o presidente da Associação dos Docentes da UENF - ADUENF Seção Sindical, como forma de intimidação contra a liderança.

Reivindicações

O motivo da greve é a exigência de que o governo Sérgio Cabral conceda uma reposição de 82% sobre os salários, em função das perdas salariais acumuladas apenas nos últimos 10 anos.

A assembléia dos professores que, no dia 16/8, reuniu em torno de 70 docentes da UENF acabou decretando a greve por tempo indeterminado por uma maioria clara de 50 votos favoráveis contra 11 contrários.

A proposta da diretoria da Aduenf Seção Sindical inclui não apenas a questão da reposição das perdas salariais, mas também da recuperação do valor real do orçamento da UENF para 2011, visto que nos últimos quatro anos o orçamento da instituição está congelado na casa dos R$ 100 milhões, o que de fato implica numa diminuição do valor real do orçamento em função do processo inflacionário ocorrido desde 2007.

Na quarta-feira (18/8), a greve foi reforçada pela adesão dos docentes da UENF lotados no campus avançado de Macaé onde estão alojados os laboratórios de Engenharia e Exploração de Petróleo e o De Meteorologia.

Com a adesão de Macaé, a greve na UENF mostra-se como uma resposta contundente ao tratamento dado pelo governo Sérgio Cabral que até o presente momento estava se negando a qualquer negociação direta com os sindicatos representativos de professores e técnicos.

Conquistas

A força deste movimento já teve um primeiro resultado que foi a indicação pelo governador do secretário Luiz Edmundo Horta para iniciar o processo de negociação. A partir desta indicação é possível que haja uma modificação no tratamento dado pelo governo do Rio de Janeiro à UENF.

Na quarta-feira, houve uma manifestação numerosa onde professores, servidores e estudantes da UENF foram ao centro da cidade de Campos dos Goytacazes para explicar os motivos da greve à população e pedir apoio para a abertura das negociações.

O Comando de Greve Unificado composto por representantes da ADUENF e do SINTUPERJ estabeleceu uma agenda de atividades para os próximos dias, de modo a ampliar o diálogo com a população de Campos e estender este processo até o município de Macaé.

Sindicância

O presidente da ADUENF-SS, Marcos Pedlowski, está sofrendo processo de sindicância por em função do editorial publicado do Jornal da ADUENF-SS. Para a diretoria do ANDES-SN, a sindicância é uma forma de intimidar o sindicalista, atacando a liberdade de expressão, autonomia sindical e o direito de greve.

Em função disso, exige a retirada da comissão de sindicância constituída com o nítido objetivo intimidatório por parte da Reitoria e solicita negociação imediata da justa pauta de reivindicação salarial dos trabalhadores da UENF.

Saiu na FOLHA DA MANHÃ

domingo, 22 de agosto de 2010

Agenda da Semana

Em reunião do Comando de Greve, ficou decido que faremos várias atividades importantes durante toda semana, mas destacamos três dias, a saber:

3ª feira haverá uma manifestação de apoio ao Presidente da ADUENF que ainda sofre uma sindicância pela matéria publicada no Jornal da ADUENF.

4ª feira membros da Diretoria da ADUENF irão ao Rio de Janeiro onde participarão de uma reunião com o Secretário de Ciência e Tecnologia.

5ª feira 10:00 h Assembléia Comunitária e às 15:00 h mesa redonda sobre Autonomia Financeira.

Sempre entre 9:00 e 12:00 h; 15:00 e 17:00 h; 18:00 às 19:00 h o Comando de Greve fará visitas aos Centros da Universidade.

Todos os dias o Blog da ADUENF está sendo atualizado.

sábado, 21 de agosto de 2010

Saiu na FOLHA DA MANHÃ

Comte visitará Uenf para buscar solução para greve de professores e funcionários

Preocupado com a greve de professores e técnicos da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), que vem prejudicando mais de 4 mil alunos, o presidente da Comissão de Educação da Alerj, deputado Comte Bittencourt (PPS), irá à universidade na próxima semana para ajudar a encontrar uma solução para a paralisação.

Comte quer intermediar também um encontro entre o secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Luiz Edmundo Horta, e representantes da Associação dos Docentes da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Aduenf), para negociar algumas reivindicações, entre as quais salariais, e terminar com o movimento de greve.

“A paralisação já dura uma semana. Para os alunos, os transtornos são sempre incalculáveis. É preciso que o impasse entre governo e funcionários seja resolvido o mais rápido possível e não haja mais prejuízos para os estudantes”, disse Comte.

Alguns alunos estão apreensivos com a possibilidade da perda do período letivo. Segundo a Aduenf, nos três últimos anos, 60 professores pediram demissão da universidade, por conta dos salários menores do que os das universidades federais. Ainda segundo a associação, enquanto o salário base inicial dos professores com dedicação exclusiva da Uenf é de R$5.500, nas universidades federais chega a R$ 7.335.

Em matéria publicada no site da Aduenf, o presidente da instituição, Marcos Pedlowski, lembrou a recente conquista da Frente Parlamentar em Defesa das Universidades Estaduais, também instituída por Comte na Alerj. No final do ano passado, a Frente disponibilizou R$12 milhões para a Uenf para reposição salarial de 15% dos servidores, mas o dinheiro, no entanto, não foi liberado pelo governo do estado.

Fonte: http://www2.comte.com.br/2010/08/19/comte-visitara-uenf-para-buscar-solucao-para-greve-de-professores-e-funcionarios/

Encontro com o Presidente da Câmara de Campos dos Goytacazes

Os representantes da ADUENF e SINTUPERJ-UENF na chegada a Camâra Municipal de Campos dos Goytacazes e no Gabinete da Presidência com o Vereador Rogério Matoso.
Este encontro marcou um importante apoio para o movimento de Recomposição Salarial e Mantuenção do Modelo de Excelência que foi implantado pelo Prof. Darcy Ribeiro na UENF. Neste sentido, o Presidente da Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes (Vereador Rogério Matoso) juntamente com o Presidente da ADUENF (Prof. Marcos Pedloswki) discutiram a futura realização de uma série de debates visando uma avaliação para a Educação no Município de Campos dos Goytacazes: Presente e Perspectivas para o Futuro. Na ocasião as instituições que atuam na região serão convidadas para que possamos reverter o quadro atual. Consideramos que a reunião foi fundamental e esperamos que esta situação se resolva rapidamente afirmou o Presidente da ADUENF.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Servidores da Uenf se encontram com Matoso

Nesta sexta-feira, a greve dos professores e servidores da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) completou cinco dias e o comando de greve se reuniu com o presidente da Câmara de Vereadores de Campos com o objetivo pedir apoio para as negociações junto ao governo do Estado do Rio de Janeiro. Durante a reunião, que aconteceu pela manhã no gabinete do presidente do legislativo, Rogério Matoso (PPS), representantes da Associação dos Docentes da Uenf (Uenf) e do Sindicato Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Públicas Estaduais no Estado do Rio de Janeiro (Sintuperj) pontuaram a importância econômica e social da universidade para a região e apresentaram a atual situação da unidade, que, segundo eles, sofre com a evasão de docentes e servidores e sucateamento.

Na última quinta-feira o movimento de greve foi fortalecido com a adesão do campus avançado de Macaé. A Aduenf informou que foi contatada pelo gabinete do Governador para iniciar o processo de negociação em torno da pauta de reivindicações. “No segundo dia de greve eles nos informaram que por conta da cirurgia do governador, foi nomeado o secretário de Ciência e Tecnologia, Prof. Luiz Edmundo Horta, para iniciar o processo de negociação”, explicou o presidente da Aduenf, Marcos Pedlowski. Segundo a Aduenf, as perdas salariais já chegam a 89%. Oswaldo Silva explicou que os servidores técnico-administrativos da Uenf aderiram ao movimento de greve dos professores, mesmo recebendo o reajuste de 22% - parcelado em 12 parcelas de 1,67%, pois lutam pelo plano de Cargos e Salários unificado.

Fonte: http://www.fmanha.com.br/index.php#1219359808/1282325823

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Agenda do Comando de Greve ADUENF

Dia 20 de agosto de 2010 8:30h Reunião do Comando de Greve 9:00 às 12:00h Visita aos Centros 10:00 às 12:00 h Reunião Rogério Matoso Presidente da Câmara dos Vereadores de Campos dos Goytacazes 14:00 às 16:00 h Reunião do Comando de Greve para Definição da Pauta do Próximo Jornal da ADUENF 14:00 às 17:00 h Visita aos Centros 17:00 às 18:00 h Reunião do Comando de Greve a partir das 18:00 h no Braseirinho estaremos recrutando músicos para o Grupo "Grevemente Musical Feridos"

Carta de Apoio do PCB

Presidente da Comissão de Educação da ALERJ virá a UENF

Nesta quinta-feira, o Deputado Estadual Comte Bittencourt, Presidente da Comissão de Educação da Alerj, telefonou para a sede da Aduenf para hipotecar sua solidariedade ao movimento da greve em curso na Uenf. Além disso, o deputado Comte Bittencourt se prontificou a fazer contato com o Secretário de Ciência e Tecnologia do RJ, Prof. Luiz Edmundo Horta, para solicitar a imediata marcação de um encontro que inicie o processo de negociação em torno da pauta de reivindicações do movimento de greve que está ocorrendo na UENF. Finalmente, o presidente da Comissão de Educação da Alerj informou que deverá vir ao campus Leonel Brizola para acompanhar de perto o movimento de greve.

Reunião com o Presidente da Câmara dos Vereadores

O Comando de Greve, composto por professores e técnicos da UENF, estarão nesta sexta-feira, às 10:00h, se reunindo com o Vereador Rogério Matoso que Preside a Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes. Neste encontro serão tratados assuntos pertinentes a pauta dos servidores, pois pretendemos que esta situação se resolva o mais rápido possível porque entendemos que esta é a melhor solução para todos.
ADUENF

COMUNICADO DO COMANDO DE GREVE

O Comando de Greve vem informar os associados da ADUENF que no dia de ontem tivemos dois eventos significativos. O primeiro foi a adesão dos professores do campus avançado de Macaé que decidiram aderir ao movimento de greve. Esta adesão é significativa porque logramos unificar todos os campi da UENF num mesmo movimento reivindicatório e que deverá aumentar ainda mais a pressão sobre o governo do estado. O fato de que a ADUENF já foi contatada pelo Gabinete do Governador para iniciar o processo de negociação em torno de nossa pauta é, inclusive, uma prova cabal da força deste movimento que está ocorrendo em Campos e Macaé. Informamos ainda que o Prof. Luiz Edmundo Horta, secretário de Ciência e Tecnologia, foi nomeado pelo governo Cabral para iniciar este processo de negociação. Assim que a data e o local da primeira reunião forem definidos, este Comando informará a toda a comunidade universitária.

O segundo evento significativo do dia de ontem foi a manifestação realizada nas ruas do centro de Campos, onde pelo menos 50 docentes da UENF estiveram presentes, o que nos fez lembrar do vitorioso movimento pela autonomia da UENF. Esta participação expressiva de docentes é uma demonstração de que estamos unidos por uma greve cujo objetivo inclui a reposição de 82% das perdas salariais e o correto financiamento da UENF. Este tipo de participação demonstra a força que podemos alcançar quando trabalhamos unidos pelos maiores interesses de nossa categoria e da própria UENF. Neste sentido, o Comando de Greve agradece a todos os professores que estiveram no centro no dia de ontem, e aproveita para convocar os que não estiveram para as atividades que ainda deverão ocorrer até que o governo do estado abra efetivamente as negociações.

Por outro lado, o Comando de Greve informa que no dia de hoje iniciou contatos com a Câmara de Vereadores de Campos para solicitar que seja feita uma reunião com o presidente daquela Casa, onde apresentaremos a solicitação de que seja feita uma audiência pública para tratar das questões que desembocaram nesta greve. O Comando de Greve acredita que o engajamento da Câmara de Vereadores poderá agilizar o processo de negociação que tanto queremos.

Finalmente, o Comando de Greve reforça a necessidade de que todos estejam ativamente engajados no fortalecimento deste movimento de greve por acreditar que é a força deste movimento que arrancará do governo Cabral as justas demandas que nos fizeram começar este processo em primeiro lugar.

Unidos somos fortes, e venceremos!

Campos dos Goytacazes, 19 de Agosto de 2010.

COMANDO DE GREVE DA ADUENF

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Agenda do Comando de Greve

Dia 19 de agosto de 2010
8:30 às 10:00h Reunião do Comando de Greve - Avaliação das Atividades e Programação dos Próximos Passos
9:00 às 12:00h Visita do Comando de Greve aos Centros
*Ainda na parte da manhã estaremos em contato com a imprensa.
14:00 às 17:00h Visita do Comando de Greve aos Centros
17:00 às 18:30h Reunião do Comando de Greve
A partir das 18:00h Visita do Comando de Greve aos Centros.
PS. Todos os docentes estão convidados para visitar o Comando de Greve e participar ativamente das atividades internas e preparação das externas. As reuniões estão sendo realizadas na sala da ADUENF.

Um Dia para História da UENF

Hoje, 18 de agosto, podemos dizer que temos mais um marco histórico pela defesa incondicional do Modelo Institucional da UENF. Inicamos o dia com várias atividades entre elas uma reunião em Macaé e finalizando com uma grande Marcha no Centro da Cidade de Campos dos Goytacazes. Tivemos uma presença expressiva da Comunidade Universitária e podemos afirmar que não víamos tamanha mobilização institucional desde a mobilização pela autonomia da UENF. A Comunidade Universitária continuará se mobilizando pelo respeito e valorização dos servidores da UENF. Convidamos que todos se unam pela educação gratuita e de qualidade.
OS SERVIDORES DA UENF CONTINUARÃO MOBILIZADOS ATÉ QUE O GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RECEBA OS MEMBROS DA COMUNIDADE ACADÊMICA
ADUENF

Saiu na FOLHA DA MANHÃ

Funcionários da Uenf fazem manifestação no Centro

Professores e funcionários técnico-administrativos da Universidade Estadual do Norte Fluminenses Darcy Ribeiro (Uenf) se reuniram na tarde desta quarta-feira, na Praça São Salvador, para informar à população campista sobre a greve que foi iniciada na última segunda-feira, dia em que a instituição completou 17 anos. Na ocasião, as lideranças informaram que no campus Macaé da Uenf também havia começado uma greve por tempo indeterminado. Alunos da graduação e da pós-graduação estiveram na praça em apoio ao movimento de greve.

Munidos de placas, apitos e camisetas, as categorias fizeram uma caminhada pelas principais ruas do centro de Campos exigindo reajuste salarial de 82% e protestando contra o sucateamento da Universidade, conforme relatou no ato o presidente da Associação de Docentes da Uenf (Aduenf), Marcos Pedlowski. “O objetivo da manifestação é exigir abertura imediata de negociação com o governo Sérgio Cabral”. De acordo com Pedlowksi, a defasagem salarial inibe o ingresso de novos professores por meio de concurso público e estimula a evasão.

Fonte: www.fmanha.com.br

MURAL DA GREVE

A Comunidade Universitária e A Comunidade Campista
Está disponível do prédio do Centro de Ciências do Homem o Mural da Greve. Neste local podem ser encontradas notícias sobre a nossa greve e gostaríamos que todos tomassem conhecimento dos avanços obtidos pelo nosso movimento. É importante que todos se informem, pois esta é a única forma de tomar uma decisão corretamente. Este é uma momento crucial da UENF e não podemos deixar que o modelo institucional caia pelo descaso daqueles que não querem ouvir os apelos da Comunidade Universitária.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Agenda do Comando de Greve

Dia: 18 de agosto de 2010 (Quarta-Feira)
8:30h reunião do Comando de Greve na ADUENF
9:00h Entrevista do Tesoureiro da ADUENF (Prof. Carlos Rezende) na Rádio Continental
9:00 a 12:00h Comando de Greve Visita os Prédios na UENF
10:00 à 12:00h Presidente de ADUENF (Prof. Marcos Pedlowski) e Conselheiro do CBB (Prof. Alvaro Ramon) participam de Reunião no LENEP em Macaé
14:30h Concentração dos Servidores da UENF na Praça São Salvador
15:00 h Marcha pela Recomposição Salarial e Manutenção do Modelo Institucional de Excelência Criado por Darcy Ribeiro
18:00h Comando de Greve Visita os Prédios da UENF no Turno Noturno
Convidamos a Sociedade Campista para participar deste ato em favor da UENF.
Informação: A Comissão de Sindicância aberta pela Reitoria contra a ADUENF na pessoa do Presidente (Prof. Marcos Pedlowski) foi adiada para próxima terça-feira dia 24 de agosto. Mantemos o convite para os membros da ADUENF realizarem a vigília pelo encerramento desta sindicância.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Hoje é o Presidente da ADUENF, Amanhã poderá ser você!

Amanhã faremos uma vigília na frente da Casa Ecológica às 15:00h. O motivo desta mobilização é a abertura de uma sindicância contra a ADUENF personificada na figura do nosso Presidente Prof. Marcos Antônio Pedlowski. O motivo para abertura desta sindicância foi a afirmação de que uma matéria publicada no Jornal da ADUENF de Novembro de 2009.
Afirmamos, mais uma vez, que a matéria publicada é de responsabilidade de toda Diretoria e este tipo de ato administrativo por parte da Reitoria da UENF contra o nosso Presidente e Associação atinge a liberdade de expressão da nossa categoria.
Assim, convidamos a todos os Membros da Comunidade Universitária assim como as pessoas comprometidas com a Democracia que compareçam no local acima.
Carlos E Rezende pela Diretoria da ADUENF

A UENF do Futuro Depende do Apoio de Todos

Convidamos a toda Comunidade Universitária formada por Estudantes, Professores e Técnicos que participem nesta próxima Quarta-feira, dia 18 de agosto de 2010, do Ato Público de Apoio à luta dos Servidores da UENF.

Este Ato Público tem por finalidade obter a recomposição salarial dos servidores da UENF e a manutenção do modelo conceitual de sua implantação em 1993. A UENF acaba de completar 17 anos de atividade e tem obtido vários indicadores de sucesso. Entretanto, algumas dificuldades têm colocado em risco o modelo de Implantação da UENF que foi idealizado por Darcy Ribeiro.

Deste modo, a presença de estudantes e dos que já possuem diplomas da UENF será uma oportunidade ímpar para demonstrar a toda sociedade local, regional e nacional da importância de nossa instituição.

Local de Concentração às 14:30 h na Praça São Salvador em frente da Estátua do

Expedicionário.

A marcha dos Servidores pelo centro da cidade começara às 15:00 h

Carta ao Governador Sérgio Cabral

Campos dos Goytacazes, 16 de Agosto de 2010.

Ao

Excelentíssimo Governador do Estado do Rio de Janeiro

Sr. Sergio de Oliveira Cabral

Palácio Guanabara

Av. Pinheiro Machado, S/N

Rio de Janeiro, RJ

Excelentíssimo Senhor Governador,

A Associação de Docentes da Universidade Estadual do Norte Fluminense (ADUENF) vem, ao longo dos últimos anos, buscando estabelecer um diálogo profícuo com Vossa Excelência assim como com outros órgãos do Executivo do seu Governo. Infelizmente, o pequeno diálogo realizado até o momento não promoveu qualquer avanço no tocante a uma das questões que hoje afligem todos os servidores da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), ou seja, a recomposição das perdas salariais acumuladas apenas na última década.

O que mais tem chamado atenção em nossas inúmeras tentativas de negociação com Vossa Excelência é que constantemente temos sido rotulados de intransigentes e de que nosso pleito está totalmente fora da realidade. Pois bem, abaixo listamos todas as correspondências enviadas ao Palácio Laranjeiras e entre elas consta a solicitação de racionalização dos valores salariais entregue a Vossa Excelência há um bom tempo. A análise da seqüência destas correspondências não nos permite admitir este tipo de rótulo e mais, demonstra que nossos salários estão totalmente fora da realidade das universidades federais e mais, compromete negativamente o Projeto de Universidade realizado pelo saudoso professor Darcy Ribeiro. Como Vossa Excelência já deve ter conhecimento, Darcy Ribeiro idealizou a UENF composta por um corpo docente com 100% professores doutores atuando em regime de Dedicação Exclusiva. A UENF foi a primeira universidade brasileira a ser criada com este perfil, e a degradação salarial hoje existente não mais torna atrativa a vinda de jovens pesquisadores, e menos ainda de pesquisadores seniores. Neste sentido é importante, mais uma vez, ressaltar que a manutenção deste modelo de sucesso, e agora copiado para algumas instituições no Brasil, a exemplo da Universidade Federal do ABC, passa pela manutenção sine qua non de seu modelo conceitual.

A seguir, listamos os documentos que foram enviados a Vossa Excelência, a saber:

1. Envio de diversas correspondências ao Exmo. Senhor Governador do Estado do Rio de Janeiro e a Secretaria de Ciência e Tecnologia solicitando a abertura de negociações.

2. Entrega de abaixo-assinado Exmo. Senhor Governador do Estado do Rio de Janeiro contendo 160 assinaturas de docentes da UENF em apoio à reposição de 82% das perdas salariais. Este documento foi protocolado no Palácio Guanabara.

3. Participamos em quatro audiências publicas na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ) onde foi apresentada a pauta de reivindicações dos professores da ADUENF.

4. Participação em duas rodadas de negociações na ALERJ em torno da extensão dos 22% de reposição aos docentes da UENF e da UERJ.

Estas duas últimas ações novamente têm sido usadas para rotular nossa associação negativamente, afirmando que nos aproximamos da oposição, e isto teria sido um equívoco de procedimento nas negociações junto ao Estado. No entanto, foi exatamente esta mesma comissão, que possibilitou a negociação dentro da ALERJ, que garantiu os recursos que estão sendo utilizados na construção do restaurante universitário, e para esta finalidade, com as mesmas pessoas, não houve qualquer tipo de associação negativa.

O fato é que, Exmo. Senhor Governador do Estado do Rio de Janeiro, este se apresenta como o momento de abrirmos uma linha de negociação, pois a comunidade universitária em assembléia geral das categorias, em face do que é amplamente percebido como sendo um total descaso do Vosso Governo, decretou Greve por Tempo Indeterminado a partir do dia 16 de agosto de 2010, data esta que marca o 17º aniversário da Universidade Estadual do Norte Fluminense. Deste modo, solicitamos respeitosamente que Vossa Senhoria nos indique as autoridades de seu governo com as quais os sindicatos representativos da UENF deverão se reunir para garantir que este movimento grevista seja o mais breve possível, mas que alcance soluções duradouras para os graves problemas salariais que já causaram (segundo dados da Reitoria da UENF) uma evasão de 20% dos docentes da instituição, atraídos por melhores condições salariais nas instituições federais de ensino superior. Neste sentido, informamos que o salário inicial de um professor doutor, de 40 horas, em regime dedicação exclusiva, é atualmente 33% superior nas universidades federais ao que é praticado na UENF, e deverá aumentar ainda mais até meados de 2011 graças a uma política sustentada de recuperação salarial adotada pelo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Finalmente, o Comando de Greve da ADUENF vem convidá-lo a que aproveite o atual período eleitoral para que compareça ao campus Leonel Brizola para que possamos ouvir diretamente de Vossa Excelência quais são as propostas e planos que constam em Vossa plataforma de governo no tocante ao sistema estadual de ensino superior que expressa, em seu âmago, a política de desenvolvimento pretendida para o Estado do Rio de Janeiro. Acreditamos que esta seria uma excelente oportunidade para estabelecermos canais de diálogo que tornem desnecessários a quebra da normalidade institucional dentro da UENF, que também acreditamos ser um interesse comum de Vosso Governo e de todos os membros da comunidade universitária da instituição idealizada por Darcy Ribeiro, e que hoje já se transformou num importante instrumento para o desenvolvimento científico e tecnológico não apenas do estado do Rio de Janeiro, mas de todo o Brasil.

Sendo o que se apresenta para o momento, despedimo-nos no aguardo de Vossa pronta manifestação.

Atenciosamente,

Em nome do Comando de Greve

Prof. Marcos A. Pedlowski

Presidente

Carta ao Governador Sérgio Cabral

Campos dos Goytacazes, 16 de Agosto de 2010.

Ao

Excelentíssimo Governador do Estado do Rio de Janeiro

Sr. Sergio de Oliveira Cabral

Palácio Guanabara

Av. Pinheiro Machado, S/N

Rio de Janeiro, RJ

Excelentíssimo Senhor Governador,

A Associação de Docentes da Universidade Estadual do Norte Fluminense (ADUENF) vem, ao longo dos últimos anos, buscando estabelecer um diálogo profícuo com Vossa Excelência assim como com outros órgãos do Executivo do seu Governo. Infelizmente, o pequeno diálogo realizado até o momento não promoveu qualquer avanço no tocante a uma das questões que hoje afligem todos os servidores da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), ou seja, a recomposição das perdas salariais acumuladas apenas na última década.

O que mais tem chamado atenção em nossas inúmeras tentativas de negociação com Vossa Excelência é que constantemente temos sido rotulados de intransigentes e de que nosso pleito está totalmente fora da realidade. Pois bem, abaixo listamos todas as correspondências enviadas ao Palácio Laranjeiras e entre elas consta a solicitação de racionalização dos valores salariais entregue a Vossa Excelência há um bom tempo. A análise da seqüência destas correspondências não nos permite admitir este tipo de rótulo e mais, demonstra que nossos salários estão totalmente fora da realidade das universidades federais e mais, compromete negativamente o Projeto de Universidade realizado pelo saudoso professor Darcy Ribeiro. Como Vossa Excelência já deve ter conhecimento, Darcy Ribeiro idealizou a UENF composta por um corpo docente com 100% professores doutores atuando em regime de Dedicação Exclusiva. A UENF foi a primeira universidade brasileira a ser criada com este perfil, e a degradação salarial hoje existente não mais torna atrativa a vinda de jovens pesquisadores, e menos ainda de pesquisadores seniores. Neste sentido é importante, mais uma vez, ressaltar que a manutenção deste modelo de sucesso, e agora copiado para algumas instituições no Brasil, a exemplo da Universidade Federal do ABC, passa pela manutenção sine qua non de seu modelo conceitual.

A seguir, listamos os documentos que foram enviados a Vossa Excelência, a saber:

1. Envio de diversas correspondências ao Exmo. Senhor Governador do Estado do Rio de Janeiro e a Secretaria de Ciência e Tecnologia solicitando a abertura de negociações.

2. Entrega de abaixo-assinado Exmo. Senhor Governador do Estado do Rio de Janeiro contendo 160 assinaturas de docentes da UENF em apoio à reposição de 82% das perdas salariais. Este documento foi protocolado no Palácio Guanabara.

3. Participamos em quatro audiências publicas na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ) onde foi apresentada a pauta de reivindicações dos professores da ADUENF.

4. Participação em duas rodadas de negociações na ALERJ em torno da extensão dos 22% de reposição aos docentes da UENF e da UERJ.

Estas duas últimas ações novamente têm sido usadas para rotular nossa associação negativamente, afirmando que nos aproximamos da oposição, e isto teria sido um equívoco de procedimento nas negociações junto ao Estado. No entanto, foi exatamente esta mesma comissão, que possibilitou a negociação dentro da ALERJ, que garantiu os recursos que estão sendo utilizados na construção do restaurante universitário, e para esta finalidade, com as mesmas pessoas, não houve qualquer tipo de associação negativa.

O fato é que, Exmo. Senhor Governador do Estado do Rio de Janeiro, este se apresenta como o momento de abrirmos uma linha de negociação, pois a comunidade universitária em assembléia geral das categorias, em face do que é amplamente percebido como sendo um total descaso do Vosso Governo, decretou Greve por Tempo Indeterminado a partir do dia 16 de agosto de 2010, data esta que marca o 17º aniversário da Universidade Estadual do Norte Fluminense. Deste modo, solicitamos respeitosamente que Vossa Senhoria nos indique as autoridades de seu governo com as quais os sindicatos representativos da UENF deverão se reunir para garantir que este movimento grevista seja o mais breve possível, mas que alcance soluções duradouras para os graves problemas salariais que já causaram (segundo dados da Reitoria da UENF) uma evasão de 20% dos docentes da instituição, atraídos por melhores condições salariais nas instituições federais de ensino superior. Neste sentido, informamos que o salário inicial de um professor doutor, de 40 horas, em regime dedicação exclusiva, é atualmente 33% superior nas universidades federais ao que é praticado na UENF, e deverá aumentar ainda mais até meados de 2011 graças a uma política sustentada de recuperação salarial adotada pelo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Finalmente, o Comando de Greve da ADUENF vem convidá-lo a que aproveite o atual período eleitoral para que compareça ao campus Leonel Brizola para que possamos ouvir diretamente de Vossa Excelência quais são as propostas e planos que constam em Vossa plataforma de governo no tocante ao sistema estadual de ensino superior que expressa, em seu âmago, a política de desenvolvimento pretendida para o Estado do Rio de Janeiro. Acreditamos que esta seria uma excelente oportunidade para estabelecermos canais de diálogo que tornem desnecessários a quebra da normalidade institucional dentro da UENF, que também acreditamos ser um interesse comum de Vosso Governo e de todos os membros da comunidade universitária da instituição idealizada por Darcy Ribeiro, e que hoje já se transformou num importante instrumento para o desenvolvimento científico e tecnológico não apenas do estado do Rio de Janeiro, mas de todo o Brasil.

Sendo o que se apresenta para o momento, despedimo-nos no aguardo de Vossa pronta manifestação.

Atenciosamente,

Em nome do Comando de Greve

Prof. Marcos A. Pedlowski

Presidente

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Candidato ao Governo do Estado do Rio de Janeiro Visita a ADUENF

Nesta sexta-feira, 13/08, o Professor Eduardo Serra, da Escola Politécnica da UFRJ e candidato a governador pelo Partido Comunista Brasileiro visitou a sede da ADUENF para apresentar as propostas do seu partido para o governo estadual, mas também para prestar solidariedade ao movimento de greve que irá ser iniciado por professores e técnicos da UENF a partir da próxima segunda-feira. Segundo Eduardo Serra, o PCB entende ser fundamental consolidar uma frente política que possa defender os direitos dos trabalhadores que se encontram sob frontal ataque neste momento. No caso da UENF, Eduardo Serra condena a postura antidemocrática do governador Sérgio Cabral que vem se negando a negociar com os sindicatos da universidade as questões relativas a salários e ao correto financiamento da instituição.

O presidente da ADUENF, Prof. Marcos Pedlowski, agradeceu a visita e solicitou que o PCB apóie a greve da UENF, divulgando a existência do movimento e suas reivindicações no sítio eletrônico que o partido mantém na rede mundial de computadores. Eduardo Serra se prontificou a apoiar a greve e assegurou que está disposto a retornar à UENF para participar de debates e seminários que porventura ocorram durante a greve.

COMUNICADO DO COMANDO DE GREVE AOS ASSOCIADOS DA ADUENF

Em uma assembléia altamente representativa, por ampla maioria, foi decidido que os docentes da UENF irão entrar em greve por tempo indeterminado a partir do dia 16 de agosto de 2010.

A pauta de reivindicações que orientará a condução desta greve é a reposição de 82% de perdas salariais e a garantia do devido financiamento da UENF.

Esta decisão implica na paralisação de todas as aulas de graduação e pós-graduação, bem como a necessidade de que quaisquer atividades que necessitem ser mantidas sejam submetidas ao crivo do Comando de Greve para que possam ser realizadas.

O Comando de Greve ressalta a importância de que todos os associados da ADUENF participem ativamente de todas as ações que serão realizadas para abrir os canais de diálogo com o governo estadual.

Além disso, o Comando de Greve convida a todos os associados da ADUENF para que participem do ato público que será realizado para marcar o início de greve nesta 2ª. Feira, 16 de agosto de 2010, a partir das 11:00 horas. O local de aglomeração para a realização do ato será em frente das obras do restaurante universitário.

Finalmente, o Comando de Greve da ADUENF conclama a todos os associados que apoiem as decisões tomadas por uma assembléia democrática, especialmente porque todos estamos interessados numa solução rápida e positiva para a grave corrosão salarial que hoje ameaça a própria existência da UENF idealizada por Darcy Ribeiro.

Campos dos Goytacazes, 12 de agosto de 2010.

Atos arbitrários VIII: Apoio ao Presidente da ADUENF

A Constituição Federal de 1988 é explicita no sentido de garantir a liberdade de expressão e a livre organização sindical. Infelizmente desde a promulgação da nossa atual carta magna muitas tentativas têm sido feitas para impedir a sua completa aplicação no cotidiano da população brasileira. Uma das facetas mais explicitas deste encantamento com as práticas ditatoriais que vigoraram no Brasil por mais de duas décadas tem sido a tentativa de criminalizar a ação política de sindicatos e movimentos sociais. E este pendor autoritário tem se manifestado também no interior das universidades, normalmente revestido sob a capa administrativa das comissões especiais de sindicância.

Este uso abusivo de atos administrativos para tentar calar e punir lideranças sindicais vem ocorrendo em todo o território brasileiro, e atinge normalmente lideranças claramente comprometidas com as causas dos trabalhadores que representam. Neste contexto se enquadra a comissão especial de sindicância aberta pelo Reitor da UENF, Prof. Almy Junior, contra o Prof. Marcos A. Pedlowski, presidente da Associação de Docentes da Uenf, seção sindical do ANDES-SN, em função de um editorial publicado no jornal da Aduenf. Esta publicação que é de responsabilidade coletiva de uma diretoria democraticamente eleita não poderia jamais servir de instrumento para a abertura de tal procedimento.

Neste sentido, vimos solicitar ao Reitor Almy Junior que proceda com o imediato arquivamento desta comissão especial de sindicância, visto que não podemos conviver com tal arbitrariedade em uma universidade, que deve ser espaço de livre pensamento, livre crítica e formação de cidadãos conscientes

Profª Eliane Maria de Menezes Macie l- DME- CE- UFPB

Atos arbitrários VII: Apoio ao Presidente da ADUENF

Moção de apoio a ADUENF e o seu Presidente

A Associação dos Professores da PUC-SP – APROPUC – vem manifestar a sua solidariedade ao professor Marcos Pedlowski, presidente da ADUENF, que está sendo sindicado pela reitoria da UENF. Essa Comissão Especial de Sindicância, instaurada a mando do Reitor Almyr Junior Cordeiro de Carvalho por conta de um editorial no jornal da ADUENF, é um ataque a liberdade de expressão e a autonomia sindical. Essa sindicância, montada as vésperas do indicativo de greve que reinvidica 82% de reposição salarial. Trata-se de uma tentativa de intimidação contra os docentes e servidores técnico-administrativos, que reivindicam reajuste salarial e melhores condições de trabalho. Entendemos que o ambiente universitário deve ser um espaço de tolerância e de liberdade de opinião, o que não condiz com perseguição política, ameaças e a intimidação por parte dos gestores contra membros da comunidade, ainda mais quando se trata de direitos protegidos pela constituição e pelas leis trabalhistas. A APROPUC apoia a luta dos docentes e servidores técnico-administrativos da Universidade Estadual do Norte Fluminense e exigimos a extinção da comissão sindicante por parte da reitoria.

Saudações Sindicais Diretoria da APROPUC

Atos arbitrários VI: Apoio ao Presidente da ADUENF

A Constituição Federal de 1988 é explicita no sentido de garantir a liberdade de expressão e a livre organização sindical. Infelizmente desde a promulgação da nossa atual carta magna muitas tentativas têm sido feitas para impedir a sua completa aplicação no cotidiano da população brasileira. Uma das facetas mais explicitas deste encantamento com as práticas ditatoriais que vigoraram no Brasil por mais de duas décadas tem sido a tentativa de criminalizar a ação política de sindicatos e movimentos sociais. E este pendor autoritário tem se manifestado também no interior das universidades, normalmente revestido sob a capa administrativa das comissões especiais de sindicância.

Este uso abusivo de atos administrativos para tentar calar e punir lideranças sindicais vem ocorrendo em todo o território brasileiro, e atinge normalmente lideranças claramente comprometidas com as causas dos trabalhadores que representam. Neste contexto se enquadra a comissão especial de sindicância aberta pelo Reitor da UENF, Prof. Almy Junior, contra o Prof. Marcos A. Pedlowski, presidente da Associação de Docentes da Uenf, seção sindical do ANDES-SN, em função de um editorial publicado no jornal da Aduenf. Esta publicação que é de responsabilidade coletiva de uma diretoria democraticamente eleita não poderia jamais servir de instrumento para a abertura de tal procedimento.

Neste sentido, vimos solicitar ao Reitor Almy Junior que proceda com o imediato arquivamento desta comissão especial de sindicância, visto que não podemos conviver com tal arbitrariedade em uma universidade, que deve ser espaço de livre pensamento, livre crítica e formação de cidadãos conscientes

Evson Malaquias de Moraes Santos, prof da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), pesquisador da Pós-Graduação em Educação

Atos arbitrários V: Apoio ao Presidente da ADUENF

A Constituição Federal de 1988 é explicita no sentido de garantir a liberdade de expressão e a livre organização sindical. Infelizmente desde a promulgação da nossa atual carta magna muitas tentativas têm sido feitas para impedir a sua completa aplicação no cotidiano da população brasileira. Uma das facetas mais explicitas deste encantamento com as práticas ditatoriais que vigoraram no Brasil por mais de duas décadas tem sido a tentativa de criminalizar a ação política de sindicatos e movimentos sociais. E este pendor autoritário tem se manifestado também no interior das universidades, normalmente revestido sob a capa administrativa das comissões especiais de sindicância.

Este uso abusivo de atos administrativos para tentar calar e punir lideranças sindicais vem ocorrendo em todo o território brasileiro, e atinge normalmente lideranças claramente comprometidas com as causas dos trabalhadores que representam. Neste contexto se enquadra a comissão especial de sindicância aberta pelo Reitor da UENF, Prof. Almy Junior, contra o Prof. Marcos A. Pedlowski, presidente da Associação de Docentes da Uenf, seção sindical do ANDES-SN, em função de um editorial publicado no jornal da Aduenf. Esta publicação que é de responsabilidade coletiva de uma diretoria democraticamente eleita não poderia jamais servir de instrumento para a abertura de tal procedimento.

Neste sentido, vimos solicitar ao Reitor Almy Junior que proceda com o imediato arquivamento desta comissão especial de sindicância, visto que não podemos conviver com tal arbitrariedade em uma universidade, que deve ser espaço de livre pensamento, livre crítica e formação de cidadãos conscientes.

Neilson Meneses

1º Tesoureiro da Regional Nordeste 3

ANDES - SSIND e filiado a ADUFS

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Atos arbitrários IV: Apoio ao Presidente da ADUENF

Prezados Companheiros da ADUENF:

A Constituição Federal de 1988 é explicita no sentido de garantir a liberdade de expressão e a livre organização sindical. Infelizmente desde a promulgação da nossa atual carta magna muitas tentativas têm sido feitas para impedir a sua completa aplicação no cotidiano da população brasileira. Uma das facetas mais explicitas deste encantamento com as práticas ditatoriais que vigoraram no Brasil por mais de duas décadas tem sido a tentativa de criminalizar a ação política de sindicatos e movimentos sociais. E este pendor autoritário tem se manifestado também no interior das universidades, normalmente revestido sob a capa administrativa das comissões especiais de sindicância.

Este uso abusivo de atos administrativos para tentar calar e punir lideranças sindicais vem ocorrendo em todo o território brasileiro, e atinge normalmente lideranças claramente comprometidas com as causas dos trabalhadores que representam. Neste contexto se enquadra a comissão especial de sindicância aberta pelo Reitor da UENF, Prof. Almy Junior, contra o Prof. Marcos A. Pedlowski, presidente da Associação de Docentes da UENF, seção sindical do ANDES-SN, em função de um editorial publicado no Jornal da ADUENF. Esta publicação que é de responsabilidade coletiva de uma diretoria democraticamente eleita não poderia jamais servir de instrumento para a abertura de tal procedimento.

Neste sentido, vimos solicitar ao Reitor Almy Junior que proceda com o imediato arquivamento desta comissão especial de sindicância, visto que não podemos conviver com tal arbitrariedade em uma universidade, que deve ser espaço de livre pensamento, livre crítica e formação de cidadãos conscientes.

Cordialmente,

Luiz Claudio de Santa Maria

Professor da UERJ e filiado à Aduerj, atualmente primeiro vice-presidente da Asduerj