Nota da diretoria da ADUENF sobre a suspensão da greve e os cuidados na retomada do semestre letivo


A diretoria vem a público para esclarecer os resultados da assembleia. Com uma massiva participação, mais de 120 professores, os associados da ADUENF decidiram, de forma madura, pela continuidade do  movimento em prol da remuneração da Dedicação Exclusiva em estado de greve. Como principal evento esteve a atenção ao pedido dos estudantes de que o calendário acadêmico fosse retomado, em contrapartida à posição intransigente que o governo, através da SEPLAG, apresentou na reunião de ontem. Não é com o simples uso da força que se resolvem os problemas, e sim com inteligência. 

Evidentemente o período da greve afetou o período letivo até final de 2012, motivo pelo a diretoria entende que seria, no mínimo, de bom-senso não aplicar provas até a segunda semana de janeiro, quando todos os estudantes terão voltado e se recuperado das curtas férias de fim de ano. 

No relativo ao calendário será enviada uma carta à Reitoria com o resultado da assembleia para que seja restabelecido e adequado o calendário acadêmico do segundo semestre de 2012, para evitar qualquer tipo de prejuízo aos nossos estudantes de graduação e pós-graduação. 

A diretoria da ADUENF se compromete a trabalhar junto aos estudantes para que o bom-senso prevaleça na retomada do semestre letivo. Certamente a maioria dos professores entenderá o pedido da diretoria para que se evite a aplicação de provas de forma corrida e sem o devido cuidado no oferecimento do conteúdo das diferentes disciplinas. Entretanto sempre existirão alguns casos em que a ADUENF precisará agir. Em outras palavras; estudantes nós estamos juntos na luta pela defesa da UENF, e não há razão para pânico. 

No relativo às outras propostas da assembleia, a diretoria já finalizou a carta que será enviada ao governador do Rio de Janeiro e aos deputados estaduais que estão acompanhando a nossa luta. 

Finalmente, a diretoria iniciará a preparação de uma lista de seminários especiais em que traremos políticos, personalidades e pesquisadores ligados à discussão da situação da universidade brasileira. O fim da greve não significa o fim da luta por melhores salários e melhores condições de ensino dentro da UENF. Quando muito isto representa a adoção de novas estratégias para seguirmos lutando. 

Campos dos Goytacazes, 11 de Dezembro de 2012. 

DIRETORIA DA ADUENF

Postagens mais visitadas deste blog

Professores da UENF decretam greve por tempo indeterminado

Presidente da Assembleia de Deus Central de Campos dos Goytacazes faz apelo em defesa da UENF

Servidores, aposentados e pensionistas sem salários realizam protesto no Fórum do Rio de Janeiro