Carta Aberta do Comando de Greve à Comunidade Universitária




O comando de greve vem a público para se manifestar neste momento conturbado, originado a partir do Ofício SECT/GAB n. 62/2014, endereçado à direção da UENF.

Primeiramente, gostaríamos de manifestar nosso desacordo com o endereçamento do referido Ofício, pois entendemos que a greve se discute com quem a decretou, ou seja, a ADUENF em assembleia e por unanimidade dos votantes. A teoria de que “o governo não negocia com categorias em greve” não se sustenta, tendo em vista que o governador reuniu-se com os policiais civis em greve. A recusa em dirigir-se ao nosso sindicato demonstra apenas, na verdade, quais são as reais prioridades do governo. Além disso, pedir à figura administrativa máxima da nossa universidade, o reitor, para que “converse com cada professor individualmente, levando esta mensagem”, é algo tão ingênuo e inexequível que nem merece maiores comentários.

O comando de greve entende que o documento em questão é equivocado politicamente e em nada contribui para as negociações maduras e respeitosas que atualmente estão em curso, nas quais estávamos inclusive discutindo a vinda do governador a nossa instituição. Tentar ameaçar uma categoria em greve há mais de 70 dias é no mínimo contraproducente, pois exacerba os sentimentos radicais, que em nada contribuem à negociação.

Em relação à temporalidade mencionada, o documento é ambíguo, contraditório e inócuo, colocando datas improváveis de serem operacionalmente atingidas: “.. é fundamental que a greve seja encerrada até a próxima sexta feira, dia 06/06/2014,...”. Há frases incoerentes entre si: “enviar entre os dias 11 e 18 de junho”. Se a mensagem só será enviada nessa data, para que tanta pressa na exigência da saída de greve? Novamente, o desespero em nada contribui à negociação em curso.

Em relação ao conteúdo, o documento é funesto. A nossa categoria tem se pautado pelo diálogo, a conversa e a negociação, jamais distorcendo as informações e sempre com o objetivo claro de solucionar o problema atual dos associados, qual seja, perceber o pior salário do Brasil para a nossa categoria.

A saída de greve em várias oportunidades; o grande número de viagens ao Rio; o apoio de deputados da base e da oposição fundamentam esta a nossa afirmação. Todos os prazos e informações colocadas em reunião foram confirmados pelos deputados e demais participantes nas inúmeras reuniões realizadas na cidade do Rio de janeiro. Se ainda estamos em greve, a nossa associação não pode ser culpada.

Não é com desespero que vamos resolver o problema, o mesmo só será resolvido de forma matura e respeitosa, e nesta direção, o Comando de Greve já contatou os Deputados para fazer chegar ao Governador o nosso sentimento de revolta com a carta.

Respeitando o prazo legal de 72h de antecedência para a convocação de Assembleia, convocamos a Assembleia para 2ª feira, às 14h na Sede da ADUENF.

Campos dos Goytacazes, 04 de Junho de 2014.

COMANDO DE GREVE

Postagens mais visitadas deste blog

Professores da UENF decretam greve por tempo indeterminado

Presidente da Assembleia de Deus Central de Campos dos Goytacazes faz apelo em defesa da UENF

Servidores, aposentados e pensionistas sem salários realizam protesto no Fórum do Rio de Janeiro