segunda-feira, 26 de maio de 2014

Professores da Uenf em greve fazem manifestação em São João da Barra

Diante do não cumprimento de promessas do governo estadual, professores da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) que retomaram a greve desde a semana anterior, decidiram percorrer cidades vizinhas a Campos para mostrar a luta e os motivos da greve para a população. A greve foi deflagrada em 12 de março, chegou a ser suspensa por uma semana, mas sem respostas do governo foi reiniciada. Nesta sexta-feira houve manifestação no calçadão de São João da Barra.
O presidente da Aduenf, Luís Passoni, informou que há três anos a categoria está negociando e não houve avanço. Além disso, o prazo para o envio das propostas à Assembleia Legislativa (Alerj), conforme solicitado pelo secretário de Ciência e Tecnologia, Gustavo Reis, teria expirado e não havia sido cumprido.
— Os professores e alunos do interior do estado estão sendo discriminados, os valores pagos, por exemplo, na Uerj, não condizem com a realidade da Uenf. Os professores da Uenf ganham menos, os alunos recebem auxilio inferior. A universidade não consegue nem contratar novos professores. Com a defasagem salarial ninguém se interessa pelo concurso — ressaltou Luís Passoni.
Dentre as reivindicações dos docentes estão a reposição de 86,7% das perdas salariais, relativas ao período entre 1999 e 2013, e o pagamento de 65% pelo regime de Dedicação Exclusiva (DE). Além dos professores, os técnicos administrativos também aderiram à greve. E os alunos dizem apoiar o ato e enumeram problemas enfrentados por eles.
“Uma universidade isolada, sem restaurante (bandejão). O que tem está sem uso e demorou seis anos para ser construído, a água que sai dos bebedouros não é de qualidade, os auxílios são inferiores aos oferecidos na capital, não há alojamento estudantil, entre diversos outros. A verdade é que o governo não se interessa em melhorar a Universidade. Estamos abandonados”, concluiu.
A greve continua até que a proposta seja apresentada na Alerj. E no sábado, 24, a categoria fará manifestação no Cepop, em Campos, onde acontece a Bienal do Livro.
FONTE: http://www.sjbonline.com.br/noticias/professores-da-uenf-em-greve-fazem-manifestacao-em-sao-joao-da-barra