PROFESSORES DA UENF EM GREVE DESDE 04 DE DEZEMBRO ARRANCAM 22% DE REPOSIÇÃO DO GOVERNO CABRAL

Nesta 3a. feira os professores da UENF mostraram ao restante dos servidores públicos do Rio de Janeiro que movimentos de greve podem sim arrancar conquistas salariais de governos tão intransigentes como o do governador Sérgio Cabral. Em greve desde 04 de Dezembro, os docentes da UENF tiveram hoje suas demandas parcialmente atendidas com a aprovação de 22% de reposição retroativas a Janeiro de 2011. Assim, já em Abril deverá haver uma folha suplementar para pagar os acréscimos relativos ao período de Janeiro a Março, sendo que o restante deverá ser pago nas folhas de abril, maio e junho.

Esta vitória sinaliza para a correção da decisão dos professores da UENF entrar em greve e sinaliza que o caminho da mobilização e da organização é o único possível para alcançar ganhos salariais. Esta experiência demonstra ainda que a tradição de luta da comunidade universitária da UENF, que já arrancou importantes conquistas como a autonomia universitária e o Plano de Cargos de Vencimento em greve, deverá ser utilizada para continuar defendendo a UENF.

Nesta 4a. feira deverá ocorrer uma importante audiência da Comissão de Educação da ALERJ para discutir os próximos passos da luta em prol da UENF. A importância desta audiência está expressa no compromisso assumido pelos deputados Marcelo Freixo (PSOL) e Clarissa Garotinho (PR) de que irão comparecer à audiência para participar das discussões que deverão ali ser realizadas.


Postagens mais visitadas deste blog

Professores da UENF decretam greve por tempo indeterminado

Presidente da Assembleia de Deus Central de Campos dos Goytacazes faz apelo em defesa da UENF

Servidores, aposentados e pensionistas sem salários realizam protesto no Fórum do Rio de Janeiro