Professores da UERJ decidem paralisação para unificar com UENF e UEZO

Campanha salarial da UERJ: assembleia docente aprova paralisação a partir das 12h da quarta-feira, 9/4

Campanha salarial: assembleia docente aprova paralisação a partir das 12h da quarta-feira, 9/4

A decisão, unânime, inclui a realização de uma manifestação conjunta com os trabalhadores da Uenf (Universidade Estadual do Norte Fluminense), que se encontram em greve e da Uezo (Centro Universitário Estadual da Zona Oeste) neste mesmo dia a partir das 14h, na Seplag. A manifestação deverá seguir em caminhada até a Alerj e ocupar a audiência, reivindicando a recomposição salarial das instituições de ensino superior do Estado. 
Veja outras deliberações da assembleia docente realizada nesta quinta-feira, 3/4, no auditório 11:
- Criar material especialmente direcionado aos professores aposentados
- Panfletagem ao fim da manhã e da tarde na segunda, 7/4, e na terça-feira, 8/5
- Fixação de faixas na área externa da Uerj, divulgando os 12 anos sem recomposições das perdas inflacionárias e a decorrente defasagem salarial, que já se encontra em 83,3%
- Panfletagem em dias de grandes jogos no maracanã
- Ação jurídica cobrando o cumprimento do dispositivo constitucional que garante reajuste anual para o servidor público



A decisão, unânime, inclui a realização de uma manifestação conjunta com os trabalhadores da Uenf (Universidade Estadual do Norte Fluminense), que se encontram em greve e da Uezo (Centro Universitário Estadual da Zona Oeste) neste mesmo dia a partir das 14h, na Seplag. A manifestação deverá seguir em caminhada até a Alerj e ocupar a audiência, reivindicando a recomposição salarial das instituições de ensino superior do Estado. 
Veja outras deliberações da assembleia docente realizada nesta quinta-feira, 3/4, no auditório 11:
- Criar material especialmente direcionado aos professores aposentados
- Panfletagem ao fim da manhã e da tarde na segunda, 7/4, e na terça-feira, 8/5
- Fixação de faixas na área externa da Uerj, divulgando os 12 anos sem recomposições das perdas inflacionárias e a decorrente defasagem salarial, que já se encontra em 83,3%
- Panfletagem em dias de grandes jogos no maracanã
- Ação jurídica cobrando o cumprimento do dispositivo constitucional que garante reajuste anual para o servidor público.

Postagens mais visitadas deste blog

Professores da UENF decretam greve por tempo indeterminado

Presidente da Assembleia de Deus Central de Campos dos Goytacazes faz apelo em defesa da UENF

Servidores, aposentados e pensionistas sem salários realizam protesto no Fórum do Rio de Janeiro