Matéria sobre greve na UENF publicada no jornal O DIÁRIO

À espera de solução para problemas da Uenf pelos parlamentares da Alerj

Em greve desde o dia 4 de dezembro, os professores e servidores da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) esperam que após o recesso parlamentar, a nova bancada de deputados eleita na Assembleia Legislativa (Alerj) produza avanços nas negociações com o governo estadual, diante do fracasso dos entendimentos com o secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Alexandre Cardoso. Ontem à tarde, os grevistas fizeram panfletagem na Pelinca; hoje, o trabalho será no centro de Campos. “Em dezembro, fizemos uma reunião no gabinete do secretário Alexandre Cardoso no dia sete, quando ficou acordado que em janeiro as negociações para encerrar a greve iniciada no dia quatro seriam retomadas após o recesso do final de ano. Agora que se chega ao final janeiro, há que se perguntar por que o secretário manteve silêncio total em relação à retomada das negociações”, disse o presidente da Associação dos Docentes da Universidade (Aduenf), Marcos Pedlowski.

Segundo Pedlowski, dois ofícios foram enviados pelo comando de greve da Aduenf ao longo do mês solicitando a retomada urgente das negociações. Entretanto, Cardoso não respondeu à solicitação dos professores e servidores da universidade. Durante a reunião, o secretário acenou com uma reposição de 22%. “Uma reposição dessa não representa nada diante das perdas da categoria, hoje em torno de 100%”, disse o professor.

Na volta das atividades na Alerj, os grevistas esperam inflar de novo o movimento junto aos parlamentares. “Durante o recesso ficamos sem interlocução na Alerj. Agora, iremos buscar de novo apoio dos deputados. Afinal de contas, toda a boa vontade de professores, servidores e estudantes até agora só encontrou um muro de silêncio e indiferença. A greve continuará até que as negociações sejam retomadas com base na pauta enviada no último dia 24 de novembro. A palavra agora está com o governo Sérgio Cabral”, concluiu Pedlowski.

Postagens mais visitadas deste blog

Professores da UENF decretam greve por tempo indeterminado

Presidente da Assembleia de Deus Central de Campos dos Goytacazes faz apelo em defesa da UENF

Servidores, aposentados e pensionistas sem salários realizam protesto no Fórum do Rio de Janeiro