segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Delegação de sindicatos da UENF vai a audiência com a deputada Clarissa Garotinho e obtém compromisso de apoio dentro da ALERJ

Nesta 2ª. Feira (28/02) representantes da ADUENF e do SINTUPERJ se reuniram por mais de uma hora com a deputada Clarisssa Garotinho (PR) para explicar as causas do movimento de greve ocorrendo na UENF desde 04 de Dezembro de 2010. Nesta audiência, os representantes dos sindicatos pediram o apoio da deputada Clarissa Garotinho às emendas que serão apresentadas à mensagem do governo Cabral que concede apenas 22% de reposição aos professores, parcelados em seis meses.  Nesta audiência também esteve presente o Prof. Frederico Falcão, membro da direção regional do ANDE-SN que foi ali se solidarizar ao movimento de greve e para participar das discussões.

A deputada Clarissa Garotinho se comprometeu a assinar três emendas que serão apresentadas ao plenário da ALERJ, e que também terão o apoio dos deputados Comte Bittencourt (PPS), Marcelo Freixo (PSOL) e Janira Rocha (PSOL).

Além disso, a deputada Clarissa Garotinho aceitou o convite feito pela ADUENF e pelo SINTUPERJ a visitar o campus Leonel Brizola para conhecer de perto os problemas sendo enfrentados pela comunidade universitária da UENF. Esta visita deverá ocorrer logo após o Carnaval, dependendo da agenda da deputada.


quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

COMANDO RETORNARÁ A ALERJ PARA CONTINUAR AS NEGOCIAÇÕES EM RELAÇÃO À GREVE  DA UENF

O Comando de Greve da ADUENF recebeu no dia de ontem informações de que estaria ocorrendo uma série de dificuldades para que a mensagem do governo que concede apenas 22% divididos em seis parcelas aos preofessores da UENF chega ao plenário da ALERJ.

Enquanto isto, a movimentação dentro em favor dos servidores da UENF continue forte dentro da ALERJ. Na próxima segunda-feira (28/02) o Comando de Greve deverá se reunir com a deputada Clarissa Garotinho que se prontificou a receber uma delegação da UENF para discutir a situação da greve iniciada em 04 de Dezembro.

O Comando de Greve recebeu ainda sinalizações de outros parlamentares de que estão dispostos a apresentar emendas para melhorar a proposta do governo. Para tanto, após a audiência com a deputada Clarissa Garotinho, o Comando de Greve irá visitar outros gabinetes.

O fundamental neste momento é que a greve na UENF está sensibilizando uma parcela importante de deputados, e é importante que todos continuem enviando mensagens à ALERJ para que a situação dos servidores da UENF seja resolvida de forma positiva o mais rápido possível.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

PARLAMENTARES DE DIFERENTES PARTIDOS SE MANIFESTAM NA ALERJ NA DEFESA DA UENF E DE SEUS SERVIDORES

Na sessão desta 3a. feira a deputada Clarissa Garotinho (PR) fez a leitura de um documento produzido pelo Comando de Greve da ADUENF no plenário da ALERJ e defendeu o atendimento de nossas demandas, no que foi positivamente aparteada pelo deputado Comte Bittencourt (PPS), que também se manifestou em apoio aos interesses dos servidores da UENF.

Além disso, o Comando de Greve recebeu indicações positivas de outros gabinetes no sentido de que existirão emendas para melhorar a mensagem enviada pelo governo Cabral que concede apenas 22% de reposição para os professores parcelados em seis prestações. Entre os deputados que já ofereceram apoio à causa dos servidores da UENF estão os deputados Marcelo Freixo e Janira Rocha do PSOL, e Roberto Henriques do PR.

O Comando de Greve entende que a manifestação destes parlamentares será fundamental para a defesa dos interesses da UENF dentro da ALERJ ao longo dos próximos quatro anos, mas especialmente agora num momento crucial de nossa greve. 


Neste sentido, o Comando de Greve conclama a que todos que já enviaram mensagens para a ALERJ que continuem enviando suas manifestações a todos os deputados estaduais, e não apenas para aqueles que já se manifestaram em nossa defesa.

COMUNICADO DO COMANDO DE GREVE
Após diversos contatos com diversas lideranças parlamentares na ALERJ fomos informados de que a mensagem enviada pelo governo do estado referente aos 22% para os docentes não está previsto para votação nesta semana. Assim, o Comando de Greve decidiu remarcar a assembléia que seria realizada amanhã para inicialmente para a próxima 5a. feira no horário e local abaixo mencionados. 
Por outro lado, o Comando de Greve já iniciou tratativas com diversos parlamentares visando a apresentação de emendas que melhorem a proposta inicial do governo do estado.
O Comando de Greve informa que continua fazendo contatos com a ALERJ ao longo do dia de hoje. No caso de haver novidades, o Comando de Greve voltará a informar em novo comunicado
Local da Assembléia Auditório 01 do P5
Horário 15 horas
Dia 24.02.011 Quinta-Feira
Campos dos Goytacazes, 22 de Fevereiro de 2011.
COMANDO DE GREVE DA ADUENF

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

COMUNICADO DO COMANDO DE GREVE DA ADUENF

            O Comando de Greve, reunido nesta manhã de segunda feira (21/02), avaliou os possíveis desdobramentos acerca do envio de mensagem à ALERJ, amplamente divulgada pelos órgãos de informação da reitoria da UENF, concedendo 22% a título de reposição salarial. Compete ressaltar que a mensagem ainda não entrou na pauta da ALERJ, e que desde nossa visita à ALERJ na última 4ª. Feira obtivemos o compromisso dos deputados Marcelo Freixo, Janira Rocha e Comte Bittencourt de que realizariam esforços junto à presidência da ALERJ para melhorar a mensagem enviada pelo governo Cabral.

Não obstante o acompanhamento do trâmite do projeto, que realizaremos com auxilio dos deputados supracitados, reafirmamos nosso compromisso inabalável com a decisão da assembléia de 24 de novembro, na qual foi decidido que nossa reivindicação seria de 22% de reposição mais um acréscimo emergencial de 50% no salário base reajustado a título de remuneração da D.E., até a regulamentação deste adicional em forma de Lei.

Cumpre realçar que os 22% impostos pelo governo Cabral sequer cobrem a inflação do período em que o atual governador está no poder, visto ter sido estimado em junho 2010, utilizando apenas o IPCA. Não só a inflação desde julho de 2010 está desconsiderada, como também já conhecemos o efeito daninho do parcelamento. Não será surpresa se, após a reposição escalonada, a nossa defasagem estiver pior do que antes, como já aconteceu no caso do “PCV Casas Bahia”. 


É com pesar que constatamos que a reitoria da UENF simplesmente acatou esta proposta do governo. Se por um lado não esperávamos, e nem poderíamos esperar, que a reitoria assumisse a defesa da decisão da nossa Assembléia de 24/11, por outro lado esperávamos, pelo menos, a defesa da moderada proposta orçamentária aprovada pelo CONSUNI, de 39% de reposição.

            Finalmente, lembramos que só a nossa união e mobilização pode garantir ganhos mínimos nesse processo. Participem das atividades desta quarta feira e fiquem atentos, pois precisaremos levar uma grande delegação à ALERJ quando da votação da mensagem do governo, e dos destaques que serão apresentados pelos deputados que nos apóiam.

            Campos dos Goytacazes, 21 de Fevereiro de 2011.

COMANDO DE GREVE DA ADUENF

Seminário sobre Financiamento Público Universitário: a experiência, do ponto de vista sindical, de SP e PB.

 Data: 23/02, 4ª feira, de 9h-13h, no Centro de Convenções da UENF.

Compareça e participe de um debate estratégico sobre a questão do financiamento das universidades estaduais!

domingo, 20 de fevereiro de 2011

GREVE DA UENF CITADA NO TWITTER DO CÉSAR MAIA


O ex-prefeito do Rio de Janeiro, César Maia, citou no dia de hoje a greve da UENF em seu twitter, bem como postou a carta do Comando de Greve da ADUENF à população do estado do Rio de Janeiro. 


Este tipo de manifestação mostra que o governo Cabral deveria dialogar com os sindicatos da UENF em vez de tentar ignorar sua força de mobilizar a opinião pública do rio de Janeiro!

 Cesar Maia 

Docentes Universidade do Norte Fluminense, protestam. Universidade parada há meses. Carta. Clique:
COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA DA UENF MOSTRA FORÇA NAS RUAS DO RIO DE JANEIRO


Neste domingo a comunidade universitária da UENF marcou sua presença ao longo da Av. Atlântica distribuindo a carta do Comando de Greve da ADUENF à população do Rio de Janeiro. A energia de professores, servidores e estudantes presentes na passeata foi aumentando com a recepção dada pela população que recebeu de braços abertos a comunidade da UENF.

Esta lição de unidade dos três segmentos que compõem a comunidade universitária da UENF demonstra que apenas unidos somos fortes, não apenas para defender nossos salários mas o projeto de universidade do Terceiro Milênio idealizado pelo saudoso Prof. Darcy Ribeiro. 

Que o governo Cabral saiba que estamos dispostos a defender nossos salários e a UENF!





sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

O GOVERNO CABRAL ESTÁ ENGANADO SE ACHA QUE VAI DOBRAR A COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA DA UENF AO ENCERRAR AS NEGOCIAÇÕES COM OS SINDICATOS!


Ao afastar os sindicatos dos professores e servidores da UENF das negociações em torno da crise salarial que está na origem de uma greve que já dura 74 dias, o governo Cabral deve achar que esta é uma opção inteligente e, quiçá, efetiva para calar as demandas da comunidade universitária da UENF. 

No entanto, a força da mobilização de professores, servidores e estudantes vem mostrando que a comunidade universitária da UENF está preparada para defender o modelo institucional idealizado pelo saudoso Prof. Darcy Ribeiro. 

Ainda que se saiba que nos enfrentamentos entre governos e sindicatos existam sempre momentos de fluxo e refluxo, o amadurecimento político que está sendo obtido com a atual greve aponta para uma elevação da consciência política e da capacidade de organização dos três segmentos que constituem e constróem a UENF. Esse é o principal saldo já obtido com esta greve, pois a unidade dos três segmentos promete gerar mobilizações contínuas contra a política de sucateamento em curso não apenas na UENF, mas também na UERJ e na UEZO.

Se os líderes do governo Cabral fossem inteligentes, ao invés de fechar as portas para a negociação com os sindicatos, eles estariam aproveitando a oportunidade para construir respostas duradouras. Do contrário, independente do resultado final da atual greve, o clima na UENF continuará sendo de conflagração e contrariedade com o governador Sérgio Cabral e seu governo.
MANIFESTAÇÃO DA GREVE DA UENF NA PRAIA DE COPACABANA


DOMINGO, 20/02, 12 HORAS


PONTO DE CONCENTRAÇÃO: POSTO 5, CALÇADÃO DA PRAIA, EM FRENTE DA ESQUINA DE PRINCESA ISABEL COM AV. ATLÂNTICA.

COMPAREÇA E FORTALEÇA A LUTA DA COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA DA UENF POR MELHORES SALÁRIOS E CONDIÇÃO DE ENSINO!


UNIDOS VAMOS VENCER A INTRANSIGÊNCIA DO GOVERNO CABRAL!


POR UMA UENF PÚBLICA, GRATUÍTA, DEMOCRÁTICA E DE QUALIDADE!


quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

DELEGAÇÃO ADUENF. SINTUPERJ/UENF E DCE ENCONTROU DEPUTADOS NA ALERJ E CONSEGUIU COMPROMISSOS PARA A DEFESA DA UENF E SUA COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA


Uma delegação composta por estudantes, servidores e professores da UENF estiveram na ALERJ em busca de apoio para o movimento de greve em curso na instituição. Além de audiências com os deputados Comte Bittencourt (presidente da Comissão de Educação) e com os deputados Marcelo Freixo e Janira do PSOL, a delegação visitou vários gabinetes entregando documentos e pedindo apoio.

Durante esta visita ficou claro que um grande número de mensagens de pedido de apoio vem sendo enviadas a todos os deputados. A indicação recebida é de que estas mensagens continuem sendo enviadas, visto que a possibilidade de que o governo Cabral envie uma mensagem que garanta apenas a reposição de 22% para os professores, sem apontar qualquer solução para o restante das perdas salariais acumuladas apenas a última década.


Esta ação unitária dos sindicatos da UENF mostra que o caminho da unidade é fundamental para se defender a instituição dos ataques do governo Cabral!






NOTA SOBRE ENCONTRO COM O SUBSECRETÁRIO LUIS EDMUNDO HORTA SOBRE A RECOMPOSIÇÃO SALARIAL


Hoje, 16 de fevereiro, a Diretoria da ADUENF se encontrou com o Dr. Luiz Edmundo (Secretaria de Ciência e Tecnologia) antes da reunião do Conselho Curador da Universidade Estadual do Norte Fluminense. Durante este breve encontro, que durou cerca de 60 minutos, a Diretoria informou ao Subsecretário que por várias vezes temos enviado correspondências e não recebemos respostas por parte do Governo. Isto tem sido extremamente negativo no que tange aos relatos que fazemos diante da comunidade acadêmica que aguarda finalização das negociações salariais. 


É muito importante que haja uma simetria nas nossas comunicações e a ausência total de respostas tem deixado à comunidade apreensiva e muito decepcionada. O subsecretário se comprometeu a passar este relato às demais autoridades do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Ainda durante a conversa, perguntamos ser teríamos alguma notícia sobre a reposição salarial. 


O subsecretário informou que existe um documento da Secretaria de Ciência e Tecnologia propondo um aumento de 22% aos docentes retroativos a janeiro de 2011, mas não existe qualquer informação como será pago, ou seja, imediatamente ou parcelada. Esta proposta está na Casa Civil e deve seguir para ALERJ ainda esta semana. A ADUENF continuará aguardando o encaminhamento para recomposição salarial, pois estes 22% estão distantes da proposta apresentada pela ADUENF.


terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

MANIFESTAÇÃO DA GREVE DA UENF NA PRAIA DE COPACABANA NESTE DOMINGO, 20 DE FEVEREIRO

Como decidido na última assembléia, o Comando de Greve da ADUENF estará realizando um ato político na Praia de Copacabana neste próximo domingo a partir das 12:00 horas. O ponto de aglomeração será no calçadão da Praia, próximo da esquina da rua Princesa Isabel com Avenida  Atlântica nas proximidades do Posto 5.

Os interessados em ir ao Rio de Janeiro para participar da manifestação deverão se comunicar com a secretaria da ADUENF, 2739-7270, para deixar reservado um lugar no ônibus. 

Para aqueles que já estiverem na cidade do Rio de Janeiro, a orientação é que se dirijam diretamente ao ponto de encontro indicado e aguardem a chegada dos participantes que estiverem vindo de Campos. 

A hora de lutar por nossos direitos é essa!

COMANDO DE GREVE DA ADUENF


ATIVIDADES DO COMANDO DE GREVE NESTA 4a. FEIRA

O Comando de Greve da Aduenf estará com duas atividades nesta 4a. feira. 

A primeira envolve o envio de uma delegação de professores, servidores e estudantes para dialogar com lideranças na ALERJ. O ônibus deverá sair do campus, na parte lateral na entrada vindo do condomínio Verdes Campos às 08 horas da manhã.

Mas  como amanhã haverá uma reunião do Conselho Curador da UENF, e que deverá contar com a presença do subsecretário Luiz Edmundo Horta, o Comando de Greve da ADUENF vai também estar presente para exigir a retomada das negociações com a ADUENF. Quem quiser se somar ao Comando de Greve a reunião do Conselho Curador deverá ocorrer a partir das 10 horas na sala de reuniões da Reitoria.
REITORIA DA UENF E GOVERNO COBRAM NEGOCIAM ACORDO, MAS ESQUECERAM DE PERGUNTAR A OPINIÃO DOS SINDICATOS

A matéria publicada no dia de hoje pelo jornal Folha da Manhã explicita a existência de um suposto acordo entre a Secretaria de Ciência e Tecnologia e a reitoria da UENF no sentido de conceder 22% para os professores, de forma a retomar a isonomia quebrada pelo governo Cabral em Junho de 2010. Essa solução é inaceitável, visto que as perdas salariais já atingem quase 100%. E, pior, essa tentativa de acordo ocorre com a tentativa do governo Cabral e da reitoria da UENF de isolarem a ADUENF e o SINTUPERJ das negociações. Esta postura anti-democrática somada à reposição para lá de insuficiente das perdas salariais são um prenúncio de que a mobilização não pode e nem vai parar!



Greve na Uenf impede o início do ano letivo


Marcos Pedlowski, da Aduenf: tentativa de retomar negociações


No retorno das férias, o panorama na Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) é o mesmo. Os professores continuam em greve, que perdura desde agosto de 2010 e sem perspectivas de volta às salas de aula.
No fim de semana, o comando de greve da Associação dos Docentes da Uenf (Aduenf), seguindo deliberação da última assembleia, no último dia 10, divulgou carta à população informando as razões da paralisação e pedindo apoio para forçar o governador Sérgio Cabral (PMDB) a retomar as negociações. “Desde 2007 a Aduenf vem tentando fazer ver ao governador que a política de achatamento imposta aos servidores compromete o padrão de excelência vigente na nossa universidade, considerada pelo MEC a 13ª universidade brasileira e segunda instituição de ensino superior do Estado do Rio, tudo isso em apenas 17 anos de existência”, diz o comunicado. “Enquanto Cabral insiste em tratar o movimento com indiferença, o comando de greve não abre mão da retomada das negociações com base na pauta enviada à Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia dia 24 de novembro último”, constituída, principalmente de  82% de reposição salarial, tendo como base a inflação dos últimos 10 anos”, disse o presidente da Aduenf, Marcos Pedlowski.
Estão previstas para esta semana diversas atividades, como um encontro amanhã com deputados estaduais da Comissão de Educação, na Assembleia Legislativa. No domingo os professores farão ato público no Posto 5, em Copacabana, chamando atenção dos cariocas para a greve e a situação da educação no Rio, juntamente com os colegas da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj).
Em mais uma tentativa de retomada das negociações, o comando de greve enviou correspondência ao governador Cabral solicitando que se interceda junto às secretarias de Ciência e Tecnologia e à Secretaria de Planejamento na busca da retomada de negociação com os sindicatos representativos de professores e servidores técnico-administrativos.
O comando de greve considerou urgente a definição de novas datas para o calendário acadêmico, visto que o encerramento do período letivo ocorrerá amanhã, conforme previsto. Neste sentido, o comando de greve informa ter enviado correspondência ao reitor da Uenf requisitando a adoção de novas datas para o calendário acadêmico para que seja possível encerrar de forma correta o segundo semestre de 2010 e iniciar o primeiro semestre de 2011.

Fonte: odiarionews.net

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

ATO EM DEFESA DOS DIREITOS DOS SERVIDORES DA UENF




3a. feira (15/02), 10 horas, andar térreo do prédio da reitoria


Compareça e apóie a luta de professores e servidores técnicos-administrativos em defesa de seus salários e do modelo institucional criado por Darcy Ribeiro


Unidos somos mais fortes e venceremos a intransigência do governo Cabral!


COMANDO DE GREVE DA ADUENF

DE QUE TEM MEDO O GOVERNO?


Na maioria das vezes, os atos de intolerância são provocados pelo desconhecimento da situação, dos interlocutores, e pelo medo de que nossos erros venham à tona durante a interlocução. A intolerância é o medo do outro, e pior, de si mesmo!
Só o medo de reconhecer seus erros, como a total falta de política pública para o setor de ensino superior, e sua incapacidade de lidar com as demandas e lideranças de uma Universidade autônoma, justifica a postura "avestruz" do Governo do Estado, e da Secretaria de Ciência e Tecnologia em relação a UENF.

Falta coragem ao Governo e seus representantes da secretaria em enfrentar o debate democrático, a possibilidade de recuos e avanços de todo o processo reivindicatório.

Falta sensibilidade de enxergar os prejuízos decorrentes de sua desastrada condução da questão salarial, que podem soterrar gerações de esforço e dedicação à pesquisa e a inovação, fundamentais no jogo de deslocamento de poder que o Brasil e nossa região enfrentarão ao longo dos próximos anos.

Podemos argüir que as demandas são justas ou menos justas, umas possíveis, outras menos, mas o que um governo não pode fazer, sob nenhuma hipótese, até porque seus mandatos decorrrem da NOSSA delegação, aí incluídos os servidores públicos, é ignorar todas as tentativas de negociação, empurrando o movimento para uma paralisação que deteriora, ainda mais, as condições já precárias da Universidade.

Assusta ainda mais o silêncio da classe política local, alguns, como os integrantes da frente de oposição, por manterem-se sob a coleira do governador, outros, como o casal de ex-governadores, porque quando lá estiveram, fizeram pior, portanto, falta-lhes autoridade moral para questionar os desmandos atuais.

Ao que parece, a tarefa que se dedica o governador e seus auxiliares é destroçar o legado de Darcy Ribeiro, dando continuidade ao "excelente" trabalho de seus antecessores, e pelo mesmo motivo:

Medo.

Medo do conhecimento que universidades produzem.

Quem tem conhecimento não pode ser domesticado.
 

Nota da delegacia do Sintuperj-Uenf

A luta pela reposição salarial na UENF é longa e passa por várias etapas até atingir a atual greve dos servidores desta instituição, que em 2010 se dividiu em duas partes: Uma em agosto e a outra em dezembro, se estendendo até janeiro de 2011 sem perspectivas de término, uma vez que ficou decidido em assembléia que o movimento só seria interrompido mediante certeza das tomadas das negociações por parte do Governo do Estado do Rio de Janeiro, o que até o momento, 08/02/2011 não aconteceu.

A categoria dos servidores da UENF, após várias tentativas de chegar a um acordo com o estado, sem sucesso, decidiu em agosto por uma paralisação que foi encerrada após uma reunião conjunta entre a Secretaria de Planejamento e a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação sem chegar a nenhuma conclusão que contemplasse as perdas salariais que remontam a mais de uma década.

Após várias tentativas frustradas de negociar uma solução, em 18/08//2010 teve início uma paralisação que durou 39 dias, quando um compromisso assinado pelo então Secretário de Planejamento e Gestão do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Rui e pelo também Secretário de Ciência e Tecnologia, Luiz Edmundo Horta de que haveria uma efetiva negociação após o período eleitoral.

Como não houve cumprimento do compromisso por parte do Governo do Estado, os docentes e técnico-administrativos retornaram ao processo de paralisação em 04/12/2010 por tempo indeterminado.

Na primeira semana de janeiro, após ofício enviado pelo comando de greve ao Secretário de Estado de Ciência e Tecnologia – Alexandre Cardoso, foi indicado o superintendente professor João Regazzi para negociar com os trabalhadores após retorno de suas férias. Enquanto isso seguem as atividades de mobilização feitas através de panfletagem nas ruas e praças.

Enquanto o governo Cabral insiste em tratar o movimento com indiferença, o comando de greve não abre mão da retomada das negociações com base na pauta enviada á Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia - SECT, no dia 24/11/2011, constituída , principalmente de :

82% de reposição salarial tendo como base os índices inflacionários dos últimos 10 anos (descontados os 22% de majoração de vencimentos básicos estabelecidos na Lei nº 5.759 de 2010);

  • Manutenção da isonomia salarial dos servidores da UENFatravés do restabelecimento da integridade do Plano de Cargos e Vencimentos estabelecidos pela lei 4.800/2006.
  • Aumento dos valores dos auxílios creche e alimentação como os praticados na UERJ.
  • Concessão de auxilio excepcional par os servidores com dependentes portadores de necessidades especiais;
  • Aumento de vagas e autorização para concurso público de vagas já existentes (reposição do quadro) para todos os níveis do quadro permanente de servidores da UENF, conforme estabelece o anexo 1 manual de cargos do quadro permanente de pessoal da Portaria nº 005/2006 e LEI 4.800/2006.

Em Reunião com a Reitoria em 09/02/2011, foi informado aos Delegados presentes que em relação ao Auxílio Saúde será levado no próximo Consuni, pois o mesmo está em estudo (a forma de como será dado aos servidores).Em relação ao Auxílio Creche, segundo o Reitor, a servidora Aline está fazendo um levantamento para o reajuste do mesmo. Segundo o Reitor, o Auxílio Alimentação depende da autorização do Governador, em função de um Decreto Estadual que limita o seu valor.

Em relação ao Concurso, tendo em vista, o que vem sendo observado nos Centros, solicitou que seja elaborado em perfil profissional, o mais abrangente possível, aberto e executado por uma Instituição externa para evitar práticas corporativas. O governo autorizou 37 vagas de reposição num projeto que apresenta 70 vagas.

Em Assembléia no dia: 10/02/2011, ficou decidido pela categoria a continuação da Greve, até que se comprove a recuperação da isonomia salarial.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

COMANDO DE GREVE DIVULGA NA IMPRENSA DE CAMPOS  CARTA À POPULAÇÃO DO RIO DE JANEIRO


Seguindo deliberação da última assembléia da ADUENF, o Comando de Greve fez divulgar neste domingo carta à população do estado do Rio de Janeiro informando as razões da greve em curso na UENF e pedindo apoio para obrigar o governo Cabral a retomar as negociações com os sindicatos de professores e servidores técnicos.


quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

COMANDO DE GREVE ENVIA NOVA CARTA A SÉRGIO CABRAL

Em mais uma tentativa de garantir a retomada das negociações, o Comando de Greve da ADUENF enviou no dia de hoje correspondência ao governador Sérgio Cabral solicitando que o mesmo interceda junto à SECT e à SEPLAG para que haja uma retomada do processo de negociação com os sindicatos representativos de professores e servidores técnico-administrativos (ADUENF e SINTUPERJ) em torno da greve que está ocorrendo na UENF neste momento.



COMUNICADO DO COMANDO DE GREVE SOBRE O CALENDÁRIO ACADÊMICO


            Reunido nesta manhã, o Comando de Greve analisou a situação criada pela manutenção do calendário acadêmico adotado após o retorno da greve de 49 dias iniciada em 18 de Agosto de 2010.  O Comando de Greve considerou que é urgente a confecção de novas datas para o calendário acadêmico, visto que o encerramento do período letivo efetivamente não se dará no dia de amanhã como está prevista. Neste sentido, o Comando de Greve enviará ainda hoje uma correspondência ao reitor da UENF requisitando a adoção de novas datas para o calendário acadêmico para que seja possível encerrar de forma correta o segundo semestre de 2010 e iniciar o primeiro semestre de 2011.
            Por outro lado, o Comando de Greve vem lembrar a seus associados que a entrega de pautas de notas de disciplinas neste momento, sem que o segundo período de 2010 tenha sido efetivamente cumprido, contribui para o enfraquecimento do nosso movimento de greve e, pior, poderá criar situações insustentáveis do ponto de vista institucional. Neste sentido, o Comando de Greve orienta a que os associados da ADUENF não entreguem pautas de notas, a não ser em casos explicitamente autorizados, e que aguardem o estabelecimento de um novo calendário acadêmico pelas pró-reitorias de Graduação e Pós-Graduação.
            Finalmente, o Comando de Greve da ADUENF conclama a que todos os seus associados se engajem de forma direta em todas as atividades que estão sendo preparadas para fortalecer o nosso movimento de greve!

Campos dos Goytacazes, 10 de Fevereiro de 2011.
COMANDO DE GREVE DA ADUENF

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

ASSEMBLÉIA DECIDE CONTINUAR GREVE NA UENF!

Reunidos em uma assembléia altamente representativa, os professores da UENF decidiram pela manutenção da greve por tempo indeterminado. Os professores presentes nesta assembléia se manifestaram de forma majoritária pela manutenção da greve, e decidiram adotar uma série de medidas para aumentar a pressão sobre o governo Sérgio Cabral em torno da pauta apresentada à Secretária de Ciência e Tecnologia no dia 24.11.2010.

Entre as ações aprovadas na assembléia estão os seguintes pontos:

  • A publicação de uma carta aberta à população de Campos nos veículos da imprensa local explicando as razões do movimento e o perigo que existe neste momento de destruição da UENF em face dos baixos salários sendo pagos pela instituição.
  • Disseminação desta carta a todos os associados da ADUENF para que estes a enviem aos deputados federais e estaduais e senadores do Rio de Janeiro no sentido de instá-los a pressionar o governo do estado para que as negociações sejam retomadas.
  • Envio de carta ao governador Sérgio Cabral exigindo a retomada das negociações com a ADUENF.
  • Realização de ato público na Praia de Copacabana, como forma de divulgar a greve da UENF na cidade do Rio de Janeiro.
  • Ida à Assembléia Legislativa para dialogar com lideranças partidárias para que estas pressionem o governo do estado para que retome as negociações com a ADUENF.

Afora estas propostas a assembléia aprovou uma série de sugestões enviadas pela diretoria regional do ANDE-SN e suas seções sindicais no Rio de Janeiro que visam ampliar o apoio à greve em curso na UENF visando pressionar o governo Sérgio Cabral.

Enquanto isto no plano institucional, a assembléia deixou clara a sua inconformidade com a manutenção do calendário escolar fixado em Setembro de 2010, visto que com a greve iniciada em 04.12.2010 tal calendário hoje se tornou impraticável e sua manutenção prejudica de forma mais explicita os interesses de formandos e pós-graduandos. Neste sentido, o Comando de Greve discutirá as medidas necessárias para preservar o movimento de greve e os interesses dos estudantes da UENF.

A mensagem desta assembléia é clara: os professores da UENF não estão dispostos a aceitar de braços cruzados o descaso e o desrespeito sendo imposto a eles pelo governo Sérgio Cabral, e escolheram fortalecer o movimento de greve para forçar que as negociações sejam retomadas.

O que se espera agora é que o governo do estado e a Secretaria de Ciência e Tecnologia, em especial, cessem sua postura de ignorar as demandas dos professores da UENF e retomem a negociação de forma imediata e sem mais protelamentos.

A unidade dos professores e o apoio político do ANDES-SN e de suas seções sindicais são a única garantia de que nossos direitos serão respeitados!

Campos dos Goytacazes, 09 de Fevereiro de 2011.

COMANDO DE GREVE DA ADUENF