quinta-feira, 21 de junho de 2012

ESTUDANTES DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA ZONA OESTE (UEZO) ESTÃO PREOCUPADOS COM O FUTURO DA INSTITUIÇÃO QUE CONTINUA SEM TER CAMPUS PRÓPRIO!


Durante a audiência pública que foi realizada pela Comissão de Educação da ALERJ, um grupo de estudantes da UEZO demonstrava uma grande preocupação com o futuro da mais jovem universidade estadual do Rio de Janeiro. O problema é que até hoje a UEZO funciona num espaço temporário dentro Instituto de Educação Sarah Kubitschek (IESK), sem que haja previsão para o início da construção do campus universitário cujo terreno já foi até doado pelo município do Rio de Janeiro, especificamente no bairro de Campo Grande. Aliás, a situação deste terreno é uma preocupação a mais, visto que a UEZO teria até Outubro de 2012 para iniciar a construção do seu campus sob pena da cessão ser extinta.

Um outro fato que estaria preocupando os estudantes da UEZO seria o atraso no pagamento dos diferentes tipos de bolsas com que eles conseguem se manter dentro da instituição. De quebra, a ausência de estruturas apropriadas de assistência estudantil complicaria ainda mais a situação já precária em que os estudantes da UEZO tentam prosseguir seus estudos.

E pensar que as três universidades estaduais fluminenses, segundo o secretário estadual de Planejamento e Gestão, Sérgio Ruy Pereira, estariam sendo devidamente financiadas pelo governo Cabral. Imagina então se não estivessem!