sexta-feira, 14 de março de 2014

Docentes da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro enviam moção de solidariedade à greve da UENF



Moção de apoio à greve dos docentes da UENF

            A diretoria da Associação dos Docentes da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro- ADUR-RJ- vem por meio desta declarar total apoio e compromisso com a greve instalada pelos docentes da Universidade Estadual do Norte Fluminense- UENF, na última quarta-feira, dia 12 de março.

            Aprovada por unanimidade em assembleia, a greve é fruto do descaso demonstrado pelo governo do estado. Ela retoma a pauta de reivindicação defendida há 3 anos pelo movimento, mas que permanece ignorada. No final de 2012, a categoria suspendeu a última greve quando o governador Sérgio Cabral se comprometeu a solucionar a defasagem salarial que atinge os professores da UENF. Diante da inércia do governo, a ADUENF passou o ano de 2013 buscando os canais oficiais de negociação e, apesar das novas promessas e do reconhecimento por membros do governo da justeza da pauta, nenhuma atitude foi tomada. O governo do estado reproduz o que indica ser o modus operandi da política institucional brasileira: desdém pelas reivindicações dos trabalhadores e profundo descaso pelos profissionais da educação pública- professores e técnicos do ensino fundamental, médio e superior nos níveis federal e estadual. As recentes greves do funcionalismo público da Educação deixam clara tal realidade.

            A universidade, que em 2013 ocupou lugar de melhor universidade do Rio de Janeiro e a décima-segunda do Brasil segundo o Índice Geral de Cursos (IGC), vê sua excelência ameaçada pelo projeto de desmantelamento da educação pública. Este projeto incluiu a flexibilização da dedicação exclusiva e o progressivo empobrecimento da condição dos professores, que sofrem com seus salários congelados.

            A Diretoria da ADUR demonstra publicamente seu total apoio à luta  perseverante dos professores da UENF.