Site Quotidiano: Assembleias da Uenf e Fenorte deliberam greve por tempo indeterminado


Os professores da Uenf, mais de 120, votaram historicamente de forma unânime e reivindicam diversos direitos. A Fenorte também faz uma série de reivindicações ao Estado.

Por: Bruno Costa

Nesta quarta (12), a reunião da Uenf contou com mais de 120 professores - o que corresponde quase metade do corpo docente da universidade – e pela primeira vez na história votaram de forma unânime, sem voto contrário ou abstenção, pelo início da greve a partir desta quinta-feira, 13 de março, quando o Comando de Greve que foi formado ao final da assembleia se reunirá para tomar decisões sobre os encaminhamentos a serem adotados.

A pauta de reivindicações ratificada na assembleia dos professores inclui a reposição de 86,7% de perdas salariais e o pagamento de 65% pelo cumprimento do regime de Dedicação Exclusiva. Esta pauta já foi enviada aos representantes da SECT e da SEPLAG em julho de 2013, segundo a Associação dos Docentes da universidade (Aduenf).

A assembleia teve a manifestação favorável do vereador campista Rafael Diniz (PPS) e da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa que é presidida pela deputado Comte Bittencourt, também do PPS.

Segundo a Aduenf, a decisão unânime pela deflagração da greve decorreu de um grande inconformismo que existe entre os professores da Uenf em função da forma que consideram desrespeitosa com que o governo Sérgio Cabral vem tratando as demandas da categoria.

Já os servidores da Fenorte deliberaram pelo início da greve a partir da próxima segunda-feira (17) e fizeram uma série de reivindicações, entre elas, a reposição salarial de 63,3% pelas perdas inflacionárias dos últimos oito anos, a redefinição do estatuto da Fundação - concedendo a mesma uma missão e visão concretas, alcançando as necessidades da sociedade e o caráter continuativo de suas ações, além da revitalização da instituição e o reajuste do Auxílio-creche e Auxílio-alimentação dos servidores.

Postagens mais visitadas deste blog

Professores da UENF decretam greve por tempo indeterminado

Presidente da Assembleia de Deus Central de Campos dos Goytacazes faz apelo em defesa da UENF

Servidores, aposentados e pensionistas sem salários realizam protesto no Fórum do Rio de Janeiro