ADUENF SAÚDA O DIA DO TRABALHADOR

Ainda que muitas vezes seja apresentado como o dia do trabalho, na verdade o 1o de Maio é celebrado em quase em todo mundo como o dia do trabalhador. E para entender esta diferença aparentemente sutil, precisamos entender a história que está por detrás de uma data tão importante para todos os trabalhadores do mundo.

Em 1886, realizou-se uma manifestação de trabalhadores nas ruas de Chicago nos Estados Unidos da América. Essa manifestação tinha como finalidade reivindicar a redução da jornada de trabalho para 8 horas diárias e teve a participação de milhares de pessoas. Nesse dia teve início uma greve geral nos EUA No dia 3 de Maio houve um pequeno levante que acabou numa escaramuça com a polícia que resultou na morte de alguns manifestantes. No dia seguinte, 4 de Maio, uma nova manifestação foi organizada como protesto pelos acontecimentos dos dias anteriores, tendo terminado com o lançamento de uma bomba por desconhecidos para o meio dos policiais que começavam a dispersar os manifestantes, matando sete deles. A polícia abriu então fogo sobre a multidão matando doze pessoas e ferindo dezenas.

Estes acontecimentos passaram a ser conhecidos como a Revolta de Haymarket.

Três anos após os acontecimentos ocorridos em Chicago, em 20 de Junho de 1889, a segunda Internacional Socialista que estava reunida em Paris decidiu convocar anualmente uma manifestação com o objetivo de lutar pelas 8 horas de trabalho diário. A data escolhida foi o 1º de Maio, como homenagem às lutas sindicais de Chicago. Em 1 de Maio de 1891 uma manifestação no norte de França foi dispersa pela polícia resultando na morte de dez manifestantes. Esse novo drama serve para reforçar o dia como um dia de luta dos trabalhadores e meses depois a Internacional Socialista de Bruxelas proclamou esse dia como dia internacional de reivindicação pela ampliação dos direitos dos trabalhadores.

E mais de 120 depois, as condições da classe trabalhadora em todo o mundo não permitem que deixemos de celebrar o espírito original do 1o de Maio. A ADUENF entende que essa data significa muito mais do que as centrais sindicais vem fazendo nas últimas décadas no Brasil com showmícios e distribuição de prêmios. É um tempo para celebrarmos a memória dos que já perderam suas vidas em defesa dos direitos dos trabalhadores e de assumir um compromisso claro com a luta por melhores condições de trabalho e de melhores salários. Esta é a condição essencial para celebrarmos e mantermos vivos o compromisso de luta dos mártires de Chicago e Paris.

Viva o 1o de Maio! Viva a Classe Trabalhadora!

Postagens mais visitadas deste blog

Diretoria da ADUENF envia carta a Sérgio Cabral defendendo a manutenção do modelo de Darcy Ribeiro

Diretoria da ADUENF lança comunicado sobre ações tomadas para defender direitos ameaçados pelo governo Pezão

ADUENF envia carta ao reitor da UENF solicitando respeito ao direito dos estudantes